Browse By

A Igreja evangélica pode ensinar ética à política partidária?

6 thoughts on “A Igreja evangélica pode ensinar ética à política partidária?”

  1. Eduardo Juvenal says:

    Eu sempre tive minha opinião formada neste sentido: Igreja e a Política Partidária se situam em pólos distintos. A política no Brasil é historicamente corrompida e corruptora, podre e maligna. Todavia, acredito ser necessário, termos homens comprometidos com Deus e sua Palavra, a família e os bons costumes. Mas, é lamentável a atitude de muitos líderes, que movidos por desejos obscuros e gananciosos, envolvem a Noiva do Cordeiro nesta podridão. As eleições estão aí, que Deus tenha misericórdia da Igreja.

  2. Jair Calixto de Sena says:

    Parabéns pelo texto.
    O Senhor continue te abençoando!

  3. Davi Barbosa Campos says:

    Excelente artigo pastor. A minha questão é: como nós, membros, devemos responder a questões que põe em cheque a nossa Fé, baseadas em fatos como estes citados no artigo, sendo que o problema está numa esfera inatingível por nós (membros, meros mortais)?
    A Paz do Senhor meu pastor!

  4. Daladier Lima says:

    É complicado, prezado Davi Campos, a única alternativa que sobra é orar.

    Abração!

  5. Elnatan Silva de Araújo says:

    “Eles afirmam que conhecem a Deus, mas por meio de suas atitudes o negam; e por isso são abomináveis, insubordinados e desqualificados para qualquer boa obra”.
    Tito 1.16
    … quantas vezes os debates na EBD tem sua temp eratura bem elevada por conta destas questões!

  6. Michael Evangelista says:

    A Paz do Senhor, Daladier.

    Não posso deixar de comentar este excelente texto!!! Compartilho de tais reflexões, pois, na atualidade, a igreja deixa a desejar quando o assunto é política. Pastores se vendem facilmente em troca de benefícios, de materiais de construção e outros ´´presentinhos“. Sem falar em ´´patrocínios` recebidos para realizar eventos!! Dia desses um aspirante à Câmara Municipal deixou escapar em alto e bom som que, se ele não fosse eleito, poderia ocupar determinado órgão, que facilitaria repassar verbas, para realizar eventos ´´evangelísticos“. Confesso, meus ouvidos sangraram!! Falta-nos ética e até mesmo coerência, contudo, criticamos ferrenhamente a politicagem corrupta. Será que a igreja tem musculatura para isso? Estamos em ano eleitoral e em breve começará o show de horrores!! púlpitos serão transformados em palanques de campanhas políticas e cultos em comícios.
    Acredito que a igreja evangélica está distante de ensinar ética à nossa famigerada política tupiniquim, pois não conseguimos sanar nosso problemas internos!! E o que dizer da cômica nomeação de um pastor ficha suja para o conselho de ética da CGADB? Oremos, apenas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: