Estudos Reflexões Daladier Lima

A águia de Prometeu assombra o poder eclesiástico

Não sei, nobres 100 leitores, se vocês conhecem o mito de Prometeu. Vou tentar ajudar, fazendo um breve resumo.

Prometeu era um titã, da mitologia grega, filho de Jápeto. Na narrativa seu pecado foi roubar o fogo de Héstia e o dar aos mortais. Temendo que estes ficassem tão poderosos quanto os deuses, Zeus adotou como punição deixá-lo amarrado a uma rocha por toda a eternidade, enquanto uma grande águia comia seu fígado a cada dia – que crescia novamente no dia seguinte. Sem dúvida uma história criativa com uma poderosa metáfora.

Perguntará o nobre leitor: Ok? Mas o que tem a ver com o poder eclesiástico? Tudo e muito mais. Mas vamos por partes.

Norte do Brasil. Um nobre líder amigo relata seus problemas na cúpula de sua organização. Omissões, incoerências, brigas por poder. Outro, da região Sul, me aciona pelo WhattsApp, relatos semelhantes, pecados de sacristia, simonia, envolvimento político. Outro do Centro Oeste me envia até documentos, para que eu não pense que é um mero desabafo. As histórias se sobrepõem e coincidem umas com as outras. Só mudam os personagens. Brigas por poder, encobrimentos convenientes, ausência de projetos, prioridade para o engrandecimento pessoal, nepotismo. Muita gente correndo atrás do vento, expondo o fígado por nada.

O que está acontecendo?

Salvo raras exceções, nossa liderança eclesiástica está adoecida. O fogo mortal do narcisismo tem corroído a mente de muitos e se alastrou, expondo a igreja institucional às águias externas, enquanto vociferamos no endomarketing.

Agora mesmo, tendo em vistas a eleição de um orgão nacional assembleiano, não se fala em outra coisa em determinados círculos. Há grupos do WhattsApp nos quais 80 a 90% dos posts dizem respeito a divulgação dos candidatos, como se isso fosse a coisa mais indispensável para a denominação. E a águia olhando para o fígado…

Quantos líderes já não perderam suas famílias, amigos, parentes, amizades caras, em busca do poder passageiro? Quantas loucuras não foram feitas em busca de cargos e importância? Quem não conhece a história de um pastor que tentando priorizar a Obra perdeu sua família? Mas, pare! Será que era a obra ou a sensação de indispensabilidade que faz muitos de nós cometer erros gravíssimos em nome de Deus? A águia não perde tempo. Devora o mais precioso e vital e não se sacia.

Voltava de Natal, após rodar 300km até minha casa. Pensava num compromisso assumido com a juventude de uma de nossas congregações. Mal cheguei em casa, engoli o jantar e corri mais 20km para cumprir a agenda. Apesar do meu cansaço, o trabalho fluiu dentro do esperado. Por misericórdia de Deus fomos abençoados com sua Palavra. Ao final o obreiro da congregação me chama num canto: “Sábado é meu aniversário. Me honre!”. Devolvi, incrédulo: “Prezado, dirigi, agora, por 320km, para estar em sua igreja. Estou extremamente exausto e mal comi ou vi minha família. Gastei tempo preparando o esqueleto do sermão, como é meu costume. Isso não é honra?”. Ele sorriu amarelo e pediu desculpas, com o fígado exposto.

Lideranças menores brigam por espaço para seus orgãos. E o fazem dizendo que estão trabalhando para a glória de Deus. Como assim? Chegamos ao desplante de não colaborar ou sabotar o trabalho de um colega na mesma congregação e o fazemos para a glória de Deus? O Altíssimo anda bem longe disso. O fígado está exposto, a águia o come.

O problema é: conquanto o fígado renasça no outro dia, não importa o sacrifício que será feito hoje. É um fascínio perigoso. Converso com um amigo pastor do Sudeste: “Será que Deus vai fazer alguma coisa? Tomar alguma providência grande e estrondosa nesse sistema?” Ele me confidencia: “Deus não vai fazer nada, já entregou essa engrenagem à própria sorte. Se algum arrependimento houver mais adiante, o destino pode ser mudado”. Do contrário, muitos estarão no inferno, onde o bicho que come, não somente o fígado, nunca morre.

Caminhando para o fim…

A águia come o fígado do Brasil, mergulhado na corrupção histórica. A liderança jogou a igreja institucional na linha de alcance. O que seria uma organização isenta e alheia tornou-se partícipe e corresponsável da lambança. Almas gemem mordidas no fígado pelo pecado e acordam no outro dia para pecar ainda mais. O escárnio contra as instituições religiosas é generalizado. Ninguém nem se dá conta dos outros que vão, sem reflexão, para as correntes da incredulidade, observando como líderes expõem gratuitamente suas entranhas para as águias.

Cada um esteja seguro em seu próprio ânimo e que a águia não coma nosso fígado.

Leia também Os sete perigos do poder

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

9 Comentários

  1. Só tenho que concordar, lamentar, esperar que haja ouvidos para ouvir e o que foi escrito é uma forma de Deus não deixar indesculpável ninguém que vive esse malsinado círculo.

  2. A metáfora da águia de Prometeu, veio em um momento de suma importância para nossa reflexão. Como sempre aprecio e compartilho seus textos críticos e reflexivos sobre nossa liderança assembleiana. Parabéns amigo! Deus te abençoe! Oremos por nossos líderes e pela nossa denominação, a situação está um caos, pois muitos só querem o poder.

  3. Roberto Rocha disse:

    A IURD tem um dono: Edi Macedo. Mundial tem um dono: Valdeniro. A Plenitude tem um dono: Duque. A Internacional da graça tem um dono: RR Soares… e por aí vai! A Assembleia de Deus (que fique bem claro, A ORIGINAL!) Tem um Dono: Deus! E aí daquele que desejar tomar aquilo que pertence a Deus e Ele não a abandonou,como muitos pensam,pois esta igreja custou a morte do seu único filho! Nesta minha curta caminhada já vi muitos sucumbirem por querer tomar posse desta igreja! Conheci um que não queria mudar para outra cidade e que ninguém tiraria ele daquela igreja, um dia foi para uma convenção no RJ e terminou invadindo a contra mão e morrendo debaixo de uma carreta, juntamente com todos que o acompanhava( é ruim viver em companhia de certos donos de Igreja!). Um outro caiu no púlpito da igreja vomitando sangue e nunca mais voltou.Um outro que tb não queria sair, os filhos se envolveram em roubos dos dizimos da igreja, e teve que sair nas carreiras… são tantos os exemplos que não caberia aqui! Ai desses homens que foram ” dados a igreja”, para servi a mesma como estar escrito em Efésios 4:11,12. O interessante que eu não vejo nestes versos, Deus dando a igrejas para estes homens. E depois que foram chamados deixaram a arrogância,a soberba tomar contas do vosso coração, vão todos perecer como o rei Uzias pereceu! Se vc. reúne em uma igreja em que o dono é um homem, sai dela,pq Deus não tem compromisso com esta igreja!

  4. Cristina Souza disse:

    Roberto Rocha says, o irmão disse tudo. Dispensa qualquer outro comentário, que Deus seja louvado por ter irmãos como o senhor.

  5. ALEXSANDRO CABRAL disse:

    Ótimo texto Pr Daladier, fico chocado que depois de anos de tradição e grandes líderes, temos hoje verdadeiros lobos devoradores dentro do aprisco de Cristo. Concordo com o seu amigo Pastor, que disse: “Deus não vai fazer nada, já entregou essa engrenagem à própria sorte”.
    Pra não falar muito deixo: Ezequiel 34.1-31

    Profecia contra os pastores infiéis de Israel
    1E veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: 2Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza e dize aos pastores: Assim diz o Senhor Jeová: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não apascentarão os pastores as ovelhas? 3Comeis a gordura, e vos vestis da lã, e degolais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. 4A fraca não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza. 5Assim, se espalharam, por não haver pastor, e ficaram para pasto de todas as feras do campo, porquanto se espalharam. 6As minhas ovelhas andam desgarradas por todos os montes e por todo o alto outeiro; sim, as minhas ovelhas andam espalhadas por toda a face da terra, sem haver quem as procure, nem quem as busque.
    7Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor: 8Vivo eu, diz o Senhor Jeová, visto que as minhas ovelhas foram entregues à rapina e vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores não procuram as minhas ovelhas, pois se apascentam a si mesmos e não apascentam as minhas ovelhas, 9portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor: 10Assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu estou contra os pastores e demandarei as minhas ovelhas da sua mão; e eles deixarão de apascentar as ovelhas e não se apascentarão mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e lhes não servirão mais de pasto.
    11Porque assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu, eu mesmo, procurarei as minhas ovelhas e as buscarei. 12Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das suas ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas; e as farei voltar de todos os lugares por onde andam espalhadas no dia de nuvens e de escuridão. 13E as tirarei dos povos, e as farei vir dos diversos países, e as trarei à sua terra, e as apascentarei nos montes de Israel, junto às correntes e em todas as habitações da terra. 14Em bons pastos as apascentarei, e nos altos montes de Israel será a sua malhada; ali, se deitarão numa boa malhada e pastarão em pastos gordos nos montes de Israel. 15Eu apascentarei as minhas ovelhas, e eu as farei repousar, diz o Senhor Jeová. 16A perdida buscarei, e a desgarrada tornarei a trazer, e a quebrada ligarei, e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com juízo.
    17E, quanto a vós, ó ovelhas minhas, assim diz o Senhor Jeová: Eis que eu julgarei entre gado pequeno e gado pequeno, entre carneiros e bodes. 18Acaso não vos basta pastar o bom pasto, senão que pisais o resto de vossos pastos a vossos pés? E beber as profundas águas, senão que enlameais o resto com os vossos pés? 19E, quanto às minhas ovelhas, elas pastam o que foi pisado com os vossos pés e bebem o que tem sido turvado com os vossos pés.
    20Por isso, o Senhor Jeová assim lhes diz: Eis que eu, eu mesmo, julgarei entre o gado gordo e o gado magro. 21Visto como, com o lado e com o ombro, dais empurrões e, com as vossas pontas, escorneais todas as fracas, até que as espalhais para fora, 22eu livrarei as minhas ovelhas, para que não sirvam mais de rapina, e julgarei entre gado miúdo e gado miúdo. 23E levantarei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as há de apascentar; ele lhes servirá de pastor. 24E eu, o Senhor, lhes serei por Deus, e o meu servo Davi será príncipe no meio delas; eu, o Senhor, o disse.
    25E farei com elas um concerto de paz e acabarei com a besta ruim da terra; e habitarão no deserto seguramente e dormirão nos bosques. 26E a elas e aos lugares ao redor do meu outeiro, eu porei por bênção; e farei descer a chuva a seu tempo; chuvas de bênção serão. 27E as árvores do campo darão o seu fruto, e a terra dará a sua novidade, e estarão seguras na sua terra; e saberão que eu sou o Senhor, quando eu quebrar as varas do seu jugo e as livrar da mão dos que se serviam delas. 28E não servirão mais de rapina aos gentios, e a besta-fera da terra nunca mais as comerá; e habitarão seguramente, e ninguém haverá que as espante. 29E lhes levantarei uma plantação de renome, e nunca mais serão consumidas pela fome na terra, nem mais levarão sobre si opróbrio dos gentios. 30Saberão, porém, que eu, o Senhor, seu Deus, estou com elas e que elas são o meu povo, a casa de Israel, diz o Senhor Jeová. 31Vós, pois, ó ovelhas minhas, ovelhas do meu pasto; homens sois, mas eu sou o vosso Deus, diz o Senhor Jeová.

  6. Emília Asevedo disse:

    Admiro sua coragem!!!!!!!! excelente!!!!!!!!!!

  7. Daladier Lima disse:

    Prezada irmã Emília, é preciso alertar nossa liderança. Lamento ser eu a fazê-lo. Quem diz a verdade nem sempre vive cercado de amigos… como canta o João Alexandre.

    Abração!

  8. Teônia Soares disse:

    Texto MARAVILHOSO , verdadeiro. Que DEUS use cada vez mais a coragem como emblema no seu caminhar.

  9. Márcio Menezes de Souza disse:

    Bem isso, muitas vezes deixamos o fígado exposto ou expomos os fígados de muitos. Lamentável o caminho em que muitas igrejas e fiéis estão andando.