Browse By

Assunto espinhoso, mas fazer o quê?

Já falamos aqui no blog sobre a importância de enxergarmos a dimensão institucional da CGADB. Ora, o que é tal orgão senão um colegiado com ingerência* sobre seus filiados? Se a este princípio básico a convenção não serve, a que mais serviria? Por que a digressão? Para voltar ao assunto relatado no post anterior. Como é que num Estado duas ou mais convenções filiadas à CGADB digladiam-se entre si e a convenção máxima nada faz? Sabemos da imposição de ordem financeira, com a saída de ministros filiados, mas é melhor uma Convenção menor que realmente congregue os objetivos das igrejas sob sua direção, do que ser conivente com um desmando desta natureza, não obstante o tamanho. É como manter uma igreja grande cheia de pecados, somente por conta dos dízimos e ofertas. Qualidade é melhor que quantidade!

Digo mais**, as notícias que ouço por aí afora é que por vezes se toma partido nesta ou naquela facção. Na minha opinião, o que deveria ser feito era aplicar o regimento, inclusive por conta do escândalo para os de fora. E que os rebeldes beligerantes partam, se não houver acordo! Aqui em Pernambuco, vocês sabem do estranhamento que há entre a CONADEPE e a COMADALPE. É um assunto público e notório, e vergonhoso. Eu já fui defenestrado várias vezes visitando igrejas. Coisas do tipo, você ir ao velório de seu avô, pastor jubilado da CONADEPE, e não ser nem apresentado como ministro! Penso que se fosse um padre ou babalorixá, se devesse, por uma questão de educação, fazê-lo, quanto mais a obreiros de uma mesma denominação? É até uma insanidade num momento de luto e perda esse tipo de comportamento. O que deveria fazer o Presidente da CGADB? Levar, por exemplo, a tiracolo uma comitiva de uma Convenção à Ceia da outra, e vice-versa! Se somente o presidente pudesse ser recebido, e a comitiva fosse ignorada, a convenção que rejeitasse a recepção seria suspensa. Reincindente? Excluída!

Que história é essa? Quem fala mais alto é o dinheiro e/ou o apadrinhamento? Erro é erro. Desunião é motivo de disciplina para membros em uma igreja, quanto mais para pastores que falam cobras e lagartos de pares desafetos, mantendo uma relação reiterada de inimizade. Agora ficam os coitados dos membros e líderes menores no meio de um tiroteio. Ameaçados de perder cargos na hipótese de apresentar e dar oportunidade a obreiros visitantes, ainda que conhecidos e com profundas raízes familiares na congregação. Estranhamento no culto, aonde os visitantes são tratados como cachorros. Não se lhes dá a dignidade de mencionar seus nomes (aqui eu menciono o nome até dos não crentes que nos visitam), ou lhes fazer um convite formal. Ouvi-los? Nem pensar. O que fariam com o apóstolo Paulo, que chega, de repente, como obreiro enviado por Jesus? Enxotariam dos cultos!?

Eu fui visitar, por exemplo, com minha família, um culto na igreja de um amigo, de outra convenção, que me conhece bem de perto e é regente de um grupo musical lá. O recepcionista pegou meu nome, meu cargo, minha igreja de origem e o nome de minhas filhas e esposa. Não fui com carta, porque foi uma visita espontânea, mas não faria diferença. Sabe como fomos apresentados? Um obreiro falou o nome dos visitantes das congregações da mesma convenção, mencionou os visitantes da Igreja Batista, depois se dirigiu ao público e disse: Aonde está o restante dos visitantes? Somente para não ter que citar meu nome e meu cargo, etc! Ele sabe que se o fizer e chegar nas instâncias superiores a informação ele será chamado, para apurar seu desvio de conduta. Por aqui, na nossa convenção, ao contrário, a determinação do Pr. Presidente é apresentar e receber da melhor forma possível. Se o obreiro for conhecido da igreja local, poderá ser convidado ao púlpito. Dependendo da recomendação não haverá nenhuma restrição em ouvi-lo. Deus do Céu, isso não é favor, é obrigação! Faz parte da nossa fraternidade, da nossa amizade e comunhão. Será que esse pessoal dividiria um prato no ágape com um irmão de outra convenção?

Voltando ao eixo do post, aqui no blog costumo dar o nome certo às coisas. E essa palhaçada tem um nome: fraqueza institucional. Se a CGADB não é o CNJ das Assembleias de Deus no Brasil, então estamos perdidos. Qualquer pastor persegue e impõe uma diretriz a seu bel prazer, como denunciamos aqui em relação à política, e não há instância a recorrer. Essa turma facciosa e beligerante tem que ser enquadrada ou sumir da Convenção Geral. Criar sua própria Convenção Geral aonde seu projeto de poder tenha espaço. E pode ser deputado, senador, pregador, milagreiro ou o que for! Se necessário até o departamento jurídico da Convenção seria acionado. Eles sabem tanto que sairão impunes que fazem e reincidem nos atos. Não sei como conseguem dormir. Mas sei que a consciência pode ser cauterizada pela quantidade de vezes que um erro é cometido.

E nós nem abordamos a possibilidade da retirada do nome, para os rebeldes intransigentes, visto que a CGADB detém a marca. Que tal um brigão perder a deferência? É preciso, porém, pulso para resolver o problema impondo uma solução. A tibieza só agrava as feridas.

Links aqui e aqui.

*sf (ingerir+ência) 1 Ato ou efeito de ingerir ou ingerir-se. 2Influência. 3 Intervenção.
** Como diz o Reinaldo Azevedo, o segredo de aborrecer é dizer tudo

Comments

comments

60 thoughts on “Assunto espinhoso, mas fazer o quê?”

  1. Tocai a Trombeta em Sião! says:

    Graça e paz nobre Pastor, como sempre seus post são sempre bem pertinentes.
    Aqui na Bahia estamos sofrendo das mesmas mazelas, de um lado o sr. Pr. Valdomiro representando a CEADEB e do outro o sr. Pr. Israel, representando a ADESAL e Coframadeb, sabemos muito bem na pele o que o senhor tem postado, aqui na Bahia simplesmente os obreiros da ADESAL são proibidos de serem recebidos nas igrejas da CEADEB. É lastimável tudo isso! É o que eu digo: “- Nesta guerra santa, não temos ganhadores, apenas perdedores!”
    Graça e paz.

  2. Tocai a Trombeta em Sião! says:

    Paz mais uma vez amado companheiro, leia esse blog e veja os absurdos que vem acontecendo aqui na Bahia:
    http://prdariogomes.blogspot.com.br/2012/05/igreja-assde-deus-e-enganada-pela.html
    Esse blog é do meu amigo e companheiro Pr Dario Gomes. paz

  3. Anonymous says:

    Paz do Senhor
    Eu fiquei comovido com sua visão, quem sabe o Pr. Pres. da CGADB não visitasse igreja da mesma denominação que abre na frente da outra quando o que separa é somente a rua??o que ele deveria fazer?? expulsar esta convenção???, o que fazer quando uma convenção recebe obreiros disciplinados, ou que causaram males a igreja irma?? o que se deveria fazer? receber-los?? é muito fácil se fazer de vítima heinnn??? é verdade que a orientação ai é apresentar, colocar no púlpito, dar o microfone e principalmente se é da outra convenção, para usar como bandeira, e isso temos visto gente de toda índole, haja visto um cantor usado na última EBO como cantor principal dos hinos,e até preletor de obreiros,este irmão foi convidado através do seu Pastor Presidente como é Ético se fazer??? como está a relação do mesmo quando a sua Igreja se buscou observar isto, se voces são tão Ético assim??ele é tão humilde, respeitador dos seus Pastores de origem??? para não falar mais!!! ai vocês colocam ele como Estrela, o que o Pr. Pres. da CGADB devia fazer??? por favor seja crítico mas seja verdadeiro!!! poderia falar mais mas teria que usar nomes, mas estou a disposição de qualquer informação adicional.
    Miss. Gilberto Diniz

  4. Tocai a Trombeta em Sião! says:

    Graça e paz amado Pastor, como eu pude ver o senhor acessou a pagina do meu amigo Pr. Dario Gomes, mas contudo e de forma democrática eu sempre procuro ouvir as duas partes, com isso não estou dizendo o que Pr. Dario fala não seja verdade, de forma alguma, mas é sempre atentarmos para o outro lado e coloco aqui o link do Pr. Samuel Couto Junior, que conheço apenas de vista, também não digo aqui ele está errado ou falta com a verdade, apenas cada qual puxa a sardinha para o seu lado, dê uma busca no blog dele e o senhor vai encontra várias postagens contra a ADESAL, COFRAMADEB e até CGADB.
    http://www.samuelcoutojunior.com.br/
    Grande e fraternal abraço, sim há tempo, só fui informado aqui para o fim do prazo da AGE em Maceió, faltando poucos dias, infelizmente perdi o prazo e também não vou estar, uma pena, gostaria muito de ir, mas o Senhor nosso Deus sabe de todas as coisas. Paz

  5. Daladier Lima says:

    Prezado Miss. Gilberto Diniz, é um prazer ouvir seus argumentos. Farei uma tréplica partindo do pressuposto que seja quem realmente é: o responsável pela área 50 da CONADEPE. Se não for, perdoe-me pela parte que lhe cabe.

    Vamos lá. Em termos genéricos, não há coisa dentro das falhas apontadas que as duas Convenções NÃO tenham feito. Ou seja, ambas cometeram falhas graves no processo de expansão e seus desdobramentos. Receber obreiros com problemas? Ora, minha área o sabe muito bem, destarte nestes dias quando um deles foi recolhido pelo Senhor… E ele ainda tinha a ousadia de dizer que era melhor que os daqui. Só pode ser brincadeira!? Usar como bandeira? Meu Pai!… O cantor ao qual se refere é livre para cantar em qualquer igreja!? É preparado para isto. Pelo que sei o problema era de cabresto, na linha demarcação de eles e nós, então por sua discordância em se enquadrar foi defenestrado, sendo, em seguida, recebido aqui. Como, aliás, o era desde sempre!

    Nunca houve nenhuma pretensão em sermos um ministério de elite, do tipo em que não há falhas. Entendemos que há problemas em todos os ministérios e igrejas. É necessário, porém, impedir que os pecados proliferem, disciplinando e afastando os transgressores. O que sabemos é que tal pretensão permeia preocupantemente o outro lado, pois a soberba precede a ruína.

    Voltando ao ponto central do meu post, eu entendo que a CGADB é como um Pai, que deveria enquadrar os dois filhos. Houveram erros? Certamente. Vamos agora repará-los!? Certamente! Esta é a questão levantada. Aliás, a Bíblia, naquele episódio de Mateus 5:23,24, afirma que “se te lembrares que teu irmão tem algo contra ti”, vejamos, não é se você te algo contra seu irmão. O que é inadmissível é essa postura de animosidade, guerra e discriminação, enquanto o ódio é semeado e germina entre pequenos membros que nem sabem o que, de fato, aconteceu. É forçoso concluir que tais coisas farão os litigantes perder o Céu, o alvo de todo crente verdadeiro. Se uma oferta não será aceita, se eu souber que meu irmão tem algo contra mim e eu não for me reconciliar com ele…

    O que dizer, por exemplo, da negativa de apresentar obreiros de outra Convenção. Meu Deus, apresentar, aquele simples gesto de educação!? Nunca tive a pretensão, nas poucas oportunidades que visitei igrejas da CONADEPE, de receber oportunidade e ter acesso ao púlpito. Não dou conta nem das igrejas em que atuo… Mas, sabe o que é discriminar alguém, como se essa pessoa fosse o mal do mundo?

    Um caso emblemático é um, hoje, pastor, amigo, que não declinarei o nome sem autorização, que criou-se numa das congregações do interior. Lá foi diácono, casou, constituiu família, etc. Dez, quinze anos atrás, veio para Paulista em busca de maiores oportunidades de trabalho. Não havia até o momento igrejas da CONADEPE por lá, de modo que integrou-se à nossa Convenção. Com o tempo foi consagrado a presbítero, evangelista, pastor. Tempos atrás, sua família, naquele interior, promoveu um Culto de Ações e Graças, ele foi convidado e, evidentemente, compareceu. Não foi nem apresentado! Constrangimento geral, nem apresentado!?

    Por fim, a CONADEPE deveria agradecer à COMADALPE. Olhe por esta ótica, o senhor não teria uma área do lado de cá. Não teria um templo para 2.100 pessoas, não marcaria presença. É para isso, entre outras coisas, que serviu a expansão. Agora, cada um veja como edifica.

    Estou, sinceramente, orando para que haja uma reconciliação. Do jeito que está é que não pode ficar. A CGADB deveria ser agente ativo no processo. Esta é a questão!

  6. Anonymous says:

    Paz do senhor querido Companheiro Ev. Deladier
    Quero informar que sou eu mesmo, é um prazer também compartilhar essas linhas com o senhor. Gostaria de informar que estamos abertos a tomar atitudes com qualquer obreiro que tenha saído dai com problemas e tenha sido recebido aqui, sem que este tivesse sido corrigido, até porque não recebemos obreiros sem que ele passe um bom tempo em observacao isto vai de 1 a 4 anos, quero informar que temos buscado não receber nínguém disciplinado ou afastado da comunhão sem que o mesmo tenho sido corrigido na sua Igreja de Origem, agora eu posso afirmar que este não tem sido um processo observado pela minha Igreja irmã, tenho muitos exemplos gritantes, de gente que disciplinamos até por roubo, ex. um pb. que antes que terminasse sua disciplinada ja estava no Púlpito da Igreja irmã, com anuencia dos seus Líderes sabendo o que havia acontecido, sei que erros acontece mas quando são conciente é dificil aceitar amigo, não pretendemos ser os perfeitos ainda que voces nos taxem de soberbos e outros qualificativos, mas é de nossa responsabilidade buscar a excelencia por isso somos obreiros e devemos ser espelhos. sobre o cantor o senhor disse “até onde sei” gostaria de le ajudar em dizer que o senhor não sabe, este irmão esta a 9 anos sem cantar, e por motivos que não tem nada a ver com o que o senhor falou, e seus líderes sabem, outra o senhor disse que o irmão é “livre”, mas existe uma palavra chamada ética, respeito, se o senhor fala de reconciliacão e sabe da situacão de uma pessoa e faz as coisas sabendo que a pessoa o faz em revelia, no minimo eu evitaria ou se fizesse o faco tendo conciencia de ser uma provocacão então não me venha falar de reconciliacão quando suas atitudes negam essa suposta disposicão, durante 8 anos buscamos em todas instancias desde ir em Abreu e Lima e ser recebido com o dedo no Nariz do nosso Pastor, até a Convencão Geral sem que nada fosse feito, e hoje vem se fazer de vítima por favor, Caro Companheiro!!!! Não pense que gostamos disso, tenho familia /em Abreu e até digo somos pioneiros meu tio foi o 2 Dc de Abreu, minha tia só dirigiu 50 anos Círculos de oracão, minha familia fundou os trabalhos de Poty, fosfato, Avelós e outras e infelismente me da tristeza de ver obreiros, que não conhecem nem a história recente e se posicionam como vítimas não vendo o fundo da questão, mas pode ter certeza, terei todo o cuidado para não receber pessoas, disciplinadas, divisoras , porque quem não foi bom ai, não sera aqui, voces tem visto como isto tem sido real, haja ver os casos de varios Ministros abracados ai e depois criaram problemas com voces mesmos, obreiros que eram pregadores tops, e hoje tem Igrejas como resultado de divisão, não cito nomes, mas estão a olhos vistos.
    Desejo sim reconciliacão mas o caminho amigo é longo e requer tomadas de atitudes, renuncia, cortes e não vejo um pingo de disposicão para tal, o que vejo é muito discurso e uma prática totalmente diferente do discurso.
    Receba um abraco fraternal, e pode vir aqui em Abreu e lima o senhor sera apresentado faco questao de não defenestra-lo.
    Um abraco em Cristo.
    gilbertodinizmissao_1@hotmail.com
    Miss. Gilberto Diniz

  7. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, publiquei seu novo comentário. Respeito suas colocações. Mas, repito, não há nada que uma convenção tenha feito que a outra não fez. Poupo-nos dos detalhes, para não envolver nomes. Somente para emblematizar a questão e não perdermos tempo, roubo é pouco diante do que determinados líderes fizeram e foram recebidos em sua Convenção. Não duvido que possa ter havido o mesmo aqui. No momento, esta é uma questão acessória. O importante é entender que uma convenção não é melhor que a outra. Temos de pensar, urgentemente, numa reconciliação e caminhar para depurar tais erros. Meu mote desde o início é: do jeito que está não pode ficar. Vemos, novamente, a necessidade de uma mediação clara da CGADB. Mas lá, em São Paulo, não é diferente. Poderia até citar casos reais ocorridos lá, mas não o farei.

    Ressalvo, que, ao menos em nossas reuniões, nosso pastor presidente tem mostrado disposição para tal reconciliação. Não posso, obviamente, falar por ele, muito menos pela Convenção. O que falo são situações vividas por experiência pessoal e de amigos. Não tenho muito conhecimento das gestões feitas pela CONADEPE neste quesito. Lembro da gestão do pastor Lucas (José Leôncio). Havia o lá e cá, como acontece em duas casas distintas. Mas de modo normal e respeitoso. Obreiros daí eram recebidos em nossos cultos e vice-versa. A prioridade para oportunidades era dos obreiros locais, evidentemente. Na gestão atual é que mudou radicalmente. De todo modo, é elucidativo suas colocações neste sentido.

    Vamos caminhando e orando para que tudo se resolva. A bem da verdade, pondo a Bíblia e a vontade de Deus em primeiro plano. Enquanto perdurar esta situação só haverão problemas.

    Da minha parte, agradeço sua deferência e tendo oportunidade irei sem problemas ao templo de Abreu e Lima. Por aqui, também não haverá problemas em recebê-lo. Nossos diáconos são orientados a conduzir obreiros da CONADEPE até o púlpito.

    Fique na paz!

  8. Anonymous says:

    Paz do Senhor, prezado Pastor
    Quero agradecer ja o seu ultima resposta que ja foi melhor que as outras, mas eu quero dizer que o seu mote desde o pricipio foi justificar “do jeito que esta nao da para ficar” usando e atacando a convencao de Recife, agradeco por comecar a dizer que voces erraram e erram, o que no post de incio esqueceu de fazer. O que o senhor disse ser acessório nao é bem assim pelo contrario é o fundo de questao, nao ha reconciliacao, se nao ha mudanca e correcao. O Fato de ter dito que o Pastor Leoncio é diferente concordo sim, por ele ter sido daquele jeito muita gente se aproveitou da sua bondade para fazer o que queria pois, sabiam que o Pastor Leoncio por sua índole nao faria nada, inclusive esta dita expansao, desenfreada, sem critério, sem ética, sem respeito e sem límites comecou ainda com o Pastor Leoncio, quando o Pastor Ailton assumiu e foi em Abreu Lima conversar le puseram foi o dedo no seu nariz dizendo que o campo é o mundo e nínguem impediria e até eu posso concordar mas fique a questao.
    1- Porque nao abrir onde nao tinhamos Igreja.
    2- Porque abrir igreja como Rio Doce, Timbi, Piedade, Tabatinga e outras, aonde só a rua separava da nossa Convencao, uma na frente da outra.
    3- Porque aceitar obreiros disciplinados, ou em estado real de rebeldia, e lhe digo e até le deixei meu email, cite la os nomes de obreiros nesta condicao sem ter sido tratados, que foram recebidos aqui em estado de disciplina, divisao, roubo o algo parecido, pode ter certeza eu serei o gestor para que tal seja corrigido e pode ter certeza que meu Pastor sera o primeiro a fazer, nao sei se assim o faria ai.
    4- Hoje depois de mais de 15 anos passado se pousar de vítimas, ou dizer que nosso Pastor tem disposicao para tal, para mim é falacia, ou entao mostre com pratica e nao com discurso, pedir para a cgadb intervir isto buscamos a 15 anos, um dos obstaculos foram voces…; mostre com Pratica e nao com discurso.
    Meu amigo o grande problema é que nao queremos descobrir a raiz, queremos tratar os ramos, mas a questao esta debaixo dos troncos.
    O senhor disse que se essa expansao nao tivesse sido feita eu nao estaria aqui, isso nao justifica o erro, como o meu e seu Deus, aproveita as situacoes ele permitiu, mas tenho certeza que essa nao era a sua vontade.
    Volto a dizer que nao queremos ser melhores que ninguem aindo que nos taxem de soberbos, mas Deus nos chamou para exceder, sermos espelhos, essa é a vontade de Deus.
    Agradeco esse espaco para compartir, muita gente nova nao conhece a história, vivem do que alguem disse, mas dizia Pastor Pedro Nunes “Quer que todo mundo seja, santo e bom, MATE OS VELHOS!” sem velhos nao ha historia, só existe discurso e argumentos teóricos, precisamos de verdade e de pratica. Sei que existem homens de Deus, gente seria e amigos, até porque 2 testemunhas do meu casamento sao Pastores dai, fui de dir. de campanha até presbitero em Tabajara Recife, conheco muito bem Abreu e Lima e tive o privilegio de 97 até 2003 viver no Templo Central na casa do 4 andar como gerente administrativo do Patrimonio da Igreja o que falo, falo com conhecimento de vida, e nao uma defesa sem fundamento, sem história, sei que o senhor é sincero no que defende e espero em Deus que isto possa um dia mudar, mas tenha certeza que nao ser com discursos, enquanto nao cuidemos do rocado que Deus nos entregou, porque um dia prestaremos conta diante daquele que tudo ve e tudo sabe, que ele seja Juiz entre nós, pois ele sabe todas as coisas.
    Que Deus prospere sua vida e Ministério estes sao meus sinceros votos e de coracao o digo.
    Miss. Gilberto Diniz.

  9. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, só hoje abri o e-mail. Em resposta às suas colocações, pontuaremos o seguinte (dividido em partes porque o Blogger não aceita um comentário muito extenso):

    1) Abreu e Lima é uma Convenção desde há muito estabelecida. Não apenas pelas mudanças dos últimos quinze anos. Haja vista que o Pr. Isaac Martins, por uma oportunidade do estatuto de então, a tenha registrado na CGADB antes mesmo da Convenção Recife. Esta é a condição real. O ideal é que só houvesse uma Convenção no Estado todo. Com esta perspectiva a narrativa se divide. Aliás, há hoje inúmeras Convenções assembleianas em atividade no Estado, e já havia há quinze anos. Por que somente Abreu e Lima não poderia atuar no Estado todo, devendo se restringir por uma imposição unilateral? Conheço uma Convenção que atua em Vitória e adjacências com mais de 30 congregações!? E elas não foram abertas e construídas ontem… Sem esquecer o caso de Jaboatão e Goiana, entre outras cidades, somente há alguns anos “rebaixadas” a campo… Mas deixa pra lá, diz mais respeito a vocês;

    2) A chamada “expansão” se deu frente à necessidade de crescimento desta Convenção, ao clamor do Estado e ao fato de não haver impedimento regimental. A Convenção Recife não podia, regimentalmente, impedir tal fato. Como nós também não podíamos fazê-lo, ou seja, não podíamos impedir vocês de atuarem aqui. É o que se evocou na reunião mencionada. Erros pontuais inegáveis foram cometidos por este ou aquele líder, no afã de fazer acontecer o que ficou determinado entre nós. A intenção era boa, o nó é fazê-la acontecer. Discordo da metodologia empregada para algumas cidades, embora ache que devêssemos nos expandir. Era uma imposição do tempo pois as cidades originais haviam ficado pequenas. Digo mais, acho balela essa história de reinados estaduais, a menos que houvesse uma Convenção apenas em cada um deles. A CADEESO está aqui, qual o problema? A não ser o peso financeiro das igrejas do Sul/Sudeste… Mormente, dados os feudos, há uma acomodação generalizada, incompatível com a vontade de Deus. Quando é que Arassoiaba teria uma igreja daquele tamanho? Bomba do Hemetério? A Caxangá com duas congregações? Provavelmente, nunca, a menos que a Convenção Recife se sentisse pressionada pela “concorrência”. É uma visão gerencial, mas incontestável. E olha que meu avô foi pastor ali, em Arassoiaba, por trinta longos anos. No mais, via de regra, ocorre o efeito Barnabé, quanto mais se divide mais cresce. Basta estabelecer os critérios corretos. O senhor deve não ter entendido a minha colocação no que tange a agradecer por poder se expandir por aqui também. Ou não seria desejável à Convenção Recife ter um templo de 2.100 pessoas em Abreu e Lima? Na minha ótica, claro que sim. Podia e deveria, estava demorando. Pese numa balança: trocamos Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Itapissuma, Itamaracá e pequenas partes de Goiana pelo Estado todo. Financeira e Geopoliticamente, a barganha não estava e não está do nosso lado. É verdade que vocês cresceram menos aqui, do que nós lá, mas esse não é um problema nosso. Podem evocar argumentos dos mais diversos, no fim das contas todos queremos é crescimento mesmo;

    Continua…

  10. Daladier Lima says:

    3) Há hoje espaço para crescermos ainda mais. Se as duas Convenções duplicassem o número de templos, não daria conta das almas que precisam de abrigo. Noto com alegria, a grande quantidade de novos templos abertos pela Convenção Recife, em todo Estado, mas precisamente na área aonde já atuava. Isto é mais do que saudável, é desejável. A expansão só lhes fez bem, e não nos fez mal algum! Exceto, por esta visão acanhada e sectária e pelos erros pontuais apontados. Não querem receber nossos ministros? Que o façam. Isto os diminue como irmãos, mas não impede o crescimento de vocês. É simples de entender. Em que a Convenção Recife foi prejudicada? Abriu novos templos aonde não enxergava oportunidades, reforçou o patrimônio dos templos existentes para fazer frente aos novos desafios. Que mal pode haver nisso? É inegável que o caixa melhorou, haja vista as aquisições crescentes de terrenos, rádios, programações de TV e etc. Deu uma mexida em obreiros acomodados. O que mais seria desejável? E não cresce mais por bobeira, poderia me alongar neste detalhe, mas vou relevar…

    4) No processo de expansão obreiros com problemas podem ter sido aceitos, como foram aceitos lá. É uma atitude condenável. Mas, de ambas as partes. Vou citar ao menos um exemplo emblemático. O que dizer de um evangelista, responsável por congregação, que encontra um irmão num motel, e diz para ele: Sabe por que você está fraco? Por sua ausência na igreja! Num motel? Um evangelista? Pasme! Ele foi disciplinado e escanteado aqui e reconhecido aí. Não estou fazendo acusação gratuita, estou nivelando oponentes, que se querem diferentes. Ele, por exemplo, andava dizendo que aqui era “Abreu e Lama” e que os presbíteros daqui não sabiam de Bíblia. É brincadeira? Tais erros, aliás, ocorrem para que entendamos que, a partir dos díscipulos de Jesus, não existe ministério infalível, uma Liga da Justiça elevada. O que nos distingue é a certeza de que tais fatos devem ser repudiados e punidos. E não são troféu pra ninguém, fazem parte de um processo infinito de depuração. Cada um veja como é crente! Somente os salvos, que vencerem cotidianamente o pecado chegarão no Céu. Aí de quem pensar que é melhor, porque na soberba esquecemos que os “pés são de barro”…

    5) Entretanto, faremos uma ressalva dos obreiros escanteados por puro diletantismo. Não havia opção, então, em alguns casos se pressionava a não mais poder. Estes casos estão bem documentados. Uns foram traídos por suas esposas. Contraindo novo matrimônio, perdiam o ministério. Outros discordavam de decisões administrativas, eram sumariamente defenestrados. Oops! Aqui também já aconteceu isto, não somos melhores! O problema é que não havia opção. Com a chegada de outra Convenção a coisa muda de figura. Exemplo real: Obreiro discorda da política na Igreja. Não pede votos para um candidato que, inclusive, suspendera um diácono porque aliado a determinado candidato outrora. Apontou a incoerência, antes suspendia, agora é candidato, além do mais de um partido de esquerda! Resultado: foi retirado do campo e jubilado compulsoriamente. Nesta condição vem para Abreu e Lima. A rigor, estamos errados em dar-lhe uma oportunidade de trabalho na Igreja? Que é que é isso, companheiro?

  11. Daladier Lima says:

    6) A CGADB está num caldo de omissão para resolver o problema desde a permissão do registro inicial. Agora não é mais o caso de punição, mas de “juntar os cacos” e promover uma reconciliação. Entre o querer e o poder é que está a questão. Repito: não pode ficar do jeito que está. Se não houver gestos de um dos lados (fazendo uma concessão à sua colocação, vamos provar no próximo ponto que não é bem assim) a CGADB deveria se encarregar de fazer a ponte;

    7) A minha referência à soberba está amparada em fatos. O que dizer, por exemplo, da última reunião da UMADENE? O que ouvi dizer foi o seguinte, com perdão da falta de conhecimento: Como é que Abreu e Lima vai acolher mil ministros nossos? Pode ser mentira. A verdade é que não veio ninguém! Para a AGE em Alagoas, da CONADEPE, estão inscritos sete ministros! Das duas uma: ou é porque era Abreu e Lima ou porque a UMADENE é irrelevante. Neste último caso, o desprezo se estenderia à todos companheiros do Nordeste? Ou por causa de uma divergência, usamos um pretexto incoerente para punir convivas? Se seu filho fosse drogado, você não receberia uma visita adequadamente? De todo modo, a próxima reunião será em Recife, estamos nos preparando para ir em peso. Vamos ver como seremos recebidos. Por falar nisso, conheço um pouco a igreja de Recife. Fui seminarista por três anos na antiga ESTEADEB, participei de diversos congressos de jovens em Goiana, Jaboatão, Condado, etc. Meu irmão trabalha na Convenção Recife. Posso assegurar, não somos diferentes em nada. Nem nos pregadores, alguns falastrões e desastrados, outros profundos conhecedores da Palavra. Nem no comportamento de jovens e adolescentes, alguns carnais e mundanos, acomodados na tradição familiar, outros espirituais e devotados. Nem nos obreiros, alguns ciosos de suas responsabilidades, outros indiferentes, acomodados e preguiçosos, quando não torpes. Nem na liderança, por um lado homens de Deus e com profunda visão do Reino, por outro com laços negativos, como a política. Somos iguais!

    Abraços, na gloriosa paz do Senhor!

  12. Anonymous says:

    Paz do Senhor
    Querido Ev. Daladier, quero fazer uma correcao é que citei no meu ultimo comentario o texto de josue cap.15, quero retificar que o texto é josue 22:10 em diante, por favor receba minhas desculpas pelo erro de citacao biblica.
    Paz do Senhor
    Miss. Gilberto Diniz

  13. Pr. Rogério Miguel says:

    A paz do Senhor, quem não tiver pecados atire a primeira pedra. Disse Jesus para a mulher que foi pega em ato de adultério. Ninguém teve coragem de condená-la todos se saíram e foram embora. Jesus em seguida disse para a mulher eles não te condenaram, nem eu vou te condenar vai em PAZ digo PAZ e não peques mais eu disse e NÃO PEQUES MAIS. Quem estava ali para fazer julgamento daquela causa? Jesus que foi constituído por Deus seu Pai para julgar todas as coisas, mais o que ele fez perdoou, deu paz para ela e a orientou a abandonar o pecado. Será que o nome de Jesus está sendo glorificado com esta situação de discórdia entre ABREU E LIMA E RECIFE, nós já paramos para analisar de quantas vidas nós iremos prestar contas a Deus no dia do julgamento, vidas que estão vendo tudo isto e dizendo, ser crente desse jeito e não que nunca, ou até crentes que se desviaram por conta desta discórdia e dizem eu aceitei JESUS para mudar de vida mais na igreja é pior do que no mundo. Eu poderia sitar grandes vergonhas que passei em recife por este estado a fora, na igreja que me converti e etc.. Mais também poderia sitar cultos memoráveis que participei em igrejas do Recife e de Abreu e lima, inclusive com o Senhor pastor Gilberto e com vc meu amigo Daladier Lima. Vamos levar usar este espaço com sobriedade e humildade pois Deus rejeita os soberbos mais dá graça ao humildes. Porque se nós não começarmos a mudar nosso comportamento quanto a esta situação Deus começará a tomar as providências dele e eu sei e vc’s também sabem que Quando ele quer tomar uma decisão ele toma e pronto, ninguém é para sempre as pessoas morrem o Deus do velho testamento é o mesmo do novo. Vamos lembrar disso pois os nosso lideres não se atinaram para isto Deus já está enojado com tudo isto.

    Ev. Rogério Miguel da Silva
    Pastor Auxiliar
    Caetés Centro.

  14. Daladier Lima says:

    Prezado Ev. Rogério, obrigado por seu comentário. Só para ampliar a questão, na Bahia se está promovendo a tomada armada de igrejas. Os irmãos se reúnem e em grupos retomam o controle de uma congregação. Veja a que estado de coisas persistir na animosidade chega.

    Abraços!

  15. Anonymous says:

    Paz do Senhor!
    Ev. Daladier, teve um comentário do Pr. Gilberto que não foi publicado, por favor publique-o.Queremos ver do assunto na integra.
    Agradeço.
    Ir. Marcos

  16. roberio junior says:

    A paz do Senhor Ev. Daladier.
    Parabéns pela sua colocação, tudo que vc escreveu é verdade. Eu digo isto porque estava na reunião e não houve dedo nem palavras agressivas. É importante quando falar de algum assunto saber o que está falando para não dizer bobeira. O problema é que nossos queridos irmãos queria colocar Abreu e Lima num quadrado e dizer fique quetinho não saia daqui pois o restante do Estado de Pernambuco é nosso. O restante e tudo conversa fiada. Os nossos problema internos resolvemos e não precisa de ninguém dizer o devemos fazer. Erros acontece dos dois lados. Não é assim que a bana toca, sei muitas coisas que aconteceu na reunião mas não precisa comentar. Resumindo é isso ai. Não tem mais o que comentar. Acredito que um dia isso vai se acabar. Sempre vamos receber com muita alegria todos os irmãos e obreiros da CONADEPE.
    Um abraço.

  17. Anonymous says:

    Paz do Senhor
    Respondendo mais uma vez, quero fazer uma referencia a história.
    1- Em 1947 a Convencao geral se torna pessoa Juridica CGADB, com a deferencia dos entaos Missionarios e Pastores é franqueada a possibilidade que igrejas pudessem ter pessoas jurídica própria o que aqui no estado é solicitado anos depois para Recife, Abreu e lima e Jaboatao as duas últimas mas por motivo de protecao juridica, devida as perseguicoes que sofreram durante anos, do que por vontade de ter Igreja Independente, até porque este nunca foi o sentido, haja visto que todos os Pastores de Abreu e Lima até o Pastor Isacc, foram colocados pela Igreja Mae. Jaboatao depois de 2 anos ao contrario do que foi colocado entregou espontaneamente essa licenca por entender que nao havia mais necessidade do mesmo e sempre foi campo, Goiana nunca foi independente ou teve pessoa Juridica propria, Abreu e Lima por nao poder dar assistencia solicitou ao Pastor Presidente em Pernambuco que enviasse um obreiro para tomar conta e fazer-lo cres cer, o que foi feito, e pelo contrario do que foi escrito nem jaboatao nem Goiana foram rebaixados a Campo e sim abencoados em ser Campos, haja visto o que sao hoje grandes Igrejas. Em relacao a Abreu e Lima nunca houve esse espírito de Independencia como hoje querem mostrar( o que interpelei o meu amigo Pr. Altair Germano no livro sobre a história de Abreu e lima, e ele hoje reconhece isso)só depois que o Pr. Isaac perdeu a Eleicao para o Pr. Leoncio é que de fato a Igreja em Abreu e Lima demonstrou com clareza sua independencia, até porque o coracao do Pr. Isacc sempre esteve em Recife, haja visto ser (Um Pastor Presidente e querer concorrer para ser Pastor Presidente de outra Igreja independente, a nao ser que nao havia esse sentimento que hoje querem mostrar como Histórico!!!!) Interessante que só em 1979 2 anos depois de haver perdido a eleicao, Abreu e lima através do seu Pastor solicita o pedido a cgadb para ser ministério independente de Recife o que é defe rido em 1981, e só no ano 2000 a mesma se torna Convencao, mas até 1979 nao havia esta suposta independencia como hoje querem mostrar, ainda que havia pessoa jurídica própria.
    2- Quando a gente vive de ouvi dizer isso nos leva a um perigo de passar informacoes problema que causaram em josue cap.20:10, quando ouviram dizer que as 3 tribos dalém do rio fizeram uma altar diferente para adorar a Deus, pense a confusao que armaram, “Como o senhor disse que sua referencia a soberba esta baseada em fatos e logo após diz que ouviu dizer” entao le respondo com fatos, em 1°lugar a Conadep nao tem MIL Ministros pelo contrario temos uma terca parte, somos hoje menores que a Convencao irma, que cresce a passos largos, se fossemos tao soberbos assim teriamos mais, logo o seu “ouvi dizer é equivocado”, nao fomos a Umadene e nao iriamos outra vez, porque infelismente Ministerialmente nao temos comunhao e nao somos Hipócritas, e nao queremos posar para fotos com atitudes de mentira, ou querer dizer que temos comunhao nesse aspecto “estou sendo bem claro”, quando questoes de fundo que afetam a comunhao nunca foi resolvidas, e longe de balelas de discurso na pratica nunca foi feito nada, volto a dizer uma coisa é discurso, é posar de vítima, outra coisa é a realidade do dia a dia, apesar de ter amigos e amigos obreiros mais chegado que um irmao em Abreu e lima, nao me sinto alegre de sentar-me ao lado de muitos líderes e líderes que representam de fato a referida Igreja irma, sou sincero no o que estou falando, nao estou dizendo com isso que nao amo meus irmaos, meus verdaeiros irmaos, e oro pelos demais, mais nao posso aplaudir suas atitudes.
    Continuo

  18. Anonymous says:

    Continuo

    Outro Gostaria de dizer se algum Ministro foi recebido aqui, possa ter a certeza, mas digo sem medo de errar pode ter certeza, que foi recebido aqui porque era Ministro ai, se foi diciplinado ai, pode ter certeza que foi reconciliado ai e recolocado como Ministro ai, esse Evangelista era Evangelista ai, se ele foi diciplinado e mantido como Ministro o erro foi ai, no mínimo se era Ministro o tal nao deveria ser mais Ministro, mais como hoje Ministr o peca é diciplinado e volta com pouco meses a ser ministro de novo que se vai fazer nao é!!!!, mas fique tranquilo se ele foi recebido aqui ele estava em comunhao ai e era Ministro, mais ainda ele passou um bom tempo para ser RECONHECIDO, aqui nao se coloca Ministro diciplinado de outro Ministério para ser aqui pode ter certeza, ou do contrario prove, porque sou o primeiro a encaminhar a Convencao e dizer-la que recebemos um ministro diciplinado e fora da comunhao da sua Igreja de Origem.
    Por ultimo volto a dizer que os fins nao justificam os meios, o fato de Deus trabalhar até nos erros nao me da o direito que dizer que o errado é certo e de nem aceita-lo, suportamos e temos que seguir adiante, mas quando falamos em reconciliacao falamos de atitudes e acoes profundas, que estao muito além de discursos. Podemos ser a mesma Igreja, podemos de uma maneira geral termos a mesma doutrina, mis infelizmente nao somos Iguais em Critérios, talves sejamos iguais em discurso, mas nao somo Iguais em pratica, somos taxados de soberbos, mas prefiro ser taxado de tal que mostrar um estado de vítima, uma humildade tao grande e disposicao para reconciliacao, quando na pratica isso nao tem sido real, infelizmente te digo com toda franqueza nao é real, le digo essa humildade e sinceridade que tentam repassar nao é real, nao questiono a sua.
    Mas a minha oracao é a sua pois vejo ou pelo menos percebo que no digno Companheiro é real, contamine os outros com esse sentimento e pratica real, tenho certeza que se Deus ta negocio ele fara as coisas acontecerem!!!
    Um abraco fraternal e sincero.
    Miss. Gilberto Diniz.

    Obs. Sobre o Evangelista e diacono que o senhor menciono na verdade nao entendi as colocacoes, por isso nao respondi!!!

  19. Anonymous says:

    Miss. Gilberto Diniz.
    amigo Ev.Rogério, se todos os comentários fossem assim, seria uma benção, mas é muita bom alfinetar os outros e se pousar de vítimas, como se nada aconteceu, seria muito bom o perdão, com mudanças, é interessante que as mudanças de Neemias, foram com mudanças verdadeiras. com arrependimento verdadeiro e tomadas de atitudes, e não com discurso barato de vitimização que não leva a nada, agora para cada ação existe uma reação, quem gosta de alfinetar tem que aprender que alfiniteda dói, então pensemos melhor antes de alfinetar para depois não estar posando de vítima. Um abraço sincero, amigo Ev. Rogerio.

  20. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, o caso do evangelista é verídico. Não gostaria de declinar nomes. O caso do pastor jubilado e retirado do campo por não apoiar o candidato da CONADEPE também é verdadeiro. As colocações quanto ao registro na CGADB devem ser analisadas sob a ótica da oportunidade e falta de espaço para crescer. No caso de Jaboatão, não foi tão pacífico assim o processo de reintegração, tanto que foi colocado um obreiro alinhado com Recife. Goiana, bem… Deixa pra lá, é um problema de vocês, não vou adentrar nestas questões internas.

    A reunião da UMADENE… bem, primeiro, dei o benefício da dúvida (agora sabemos que a colocação sobre os mil obreiros, não é verdadeira). Entretanto, seria um momento excelente, sem precisar de fingimentos, para um gesto. Se Abreu e Lima recusasse diante dos convidados seria a deixa perfeita para os senhores. Não acha?

    Biblicamente falando, quem é ofendido é que deve iniciar o processo de perdão. Quem perdoa é o maior! Lembra do se teu irmão tiver algo contra ti? Não é fácil, é necessário. Se eu fosse o Pr. Ailton, com o poder financeiro e de recursos humanos que tem, ignoraria Abreu e Lima como um irmão menor, o perdoaria e intensificava minha atuação no Estado todo. E pararia de falar no problema. Já vi inúmeros irmãos serem muito mais abençoados por Deus quando fazem isto. Em outras palavras, é Abreu e Lima o problema, como quer sua premissa? Então, Recife, irmão mais velho, estende a mão, trata como uma Presbiteriana, e segue em frente. Sem arroubos, se futrica, sem escaramuça. Lhe asseguro que cresceria muito mais e se livraria de uma pecha.

    É o que penso… mas sou uma criança. De verdade.

    Daladier Lima

  21. Anonymous says:

    Paz do Senhor
    Prezado Ev.Daladier, este é o ultimo comentario que faco, primeiro agradecendo a oportunidade de compartilhar informacoes, seja discordando, concordando, as vezes quem fala o que quer, ouve o que nao quer, mas agradeco o espaco. Sobre o Evangelista nao disse que nao seja verdadeiro, eu disse que se foi verdadeiro, esta dentro do contexto que lhe respondi, se caso for contrario deixei meu email no meu segundo comentario, pode me dar o nome, pode ter certeza nao seremos indiferentes e agradeceremos em nos ajudar como o senhor disse a depurar, gostariamos que a reciprocidade fosse verdadeira!!!! a gente deve trabalhar com o que é real e nao o que ouvi dizer. Volto a dizer que o senhor esta equivocado acerca de Jaboatao, ela nao era uma igrEJA EMANCIPADA E SIM UM CAMPO, SOMENTE 2 anos ela teve o cnpj proprio no comeco dos anos 50 e depois entregou o mesmo como disse no outro comentario, o Pastor Dario foi colocado la como é colocado qualquer Pastor no Estado, como o Pastor Presidente e a Convencao achar de direito, quem le informou que Jaboatao era EMANCIPADO le informou errado.
    Como o senhor foi ironico em dizer que a nao vinda dos senhores na Umadene seria uma boa deixa para a gente, le respondo com toda sinceridade, para nós é indiferente a presenca ou a ausencia, a ausencia seria é uma boa (muito mais pela falta de comunhao).
    O Perdao é possivel sim, mas nao adianta o irmao mais velho perdoar e o mais novo continuar fazendo as mesmas coisas e nao mudar suas atitudes, meu irmao mais novo sempre o perdoava, mais quando ele insistia, entao le dava uns bons cascudos ahahahah.E nao se preocupe com o nosso crescimento, vamos no passo do gado, nao queremos expansao sem controle,sem ética ou vamos cometer os mesmos erros que alguns cometeram e continuam cometendo.
    Um forte ou abraco quem sabe isso nos sirva para refletir, e um conselho devemos pensar nos nossos posts, que eles sejam equilibrados, isentos e nao tendenciosos, porque para toda acao exige uma reacao, mas em todas estas coisas somos irmaos.
    Em Cristo um forte abraco e desejo de prosperidade.
    Miss. Gilberto Diniz

  22. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, parece que boa parte das minhas colocações compreendidas erroneamente. Vou ser um pouco rude para explicá-las. Em nenhuma parte dos posts e comentários disse que nós estávamos certos desde sempre, pelo contrário, assumi a defensiva. Desde o início digo: não podemos continuar assim. Erros cometidos devem ser reparados de ambos os lados. Se um gesto do Pr. Ailton não for correspondido pelo Pr. Roberto José, ai dele. A continuar o clima de animosidade quem ganha é o Diabo, como disse um dos comentaristas. Os casos reais mencionados são para nivelar o debate. Repito: o evangelista, adúltero contumaz, foi disciplinado e afastado de suas funções. Foi recebido por vocês, como muitos de lá foram recebidos aqui. Não há esta história de desta água não beberei. Não acho isso ruim de todo, é uma prova da similaridade, por isso citei. Pode gritar o contrário, são fatos. Esta é uma das grandes questões não esclarecidas desta expansão. Cada caso é um caso. A análise linear obsta os verdadeiros problemas.

    A UMADENE seria uma boa deixa pra que vocês dissessem: estamos aqui. Não queremos guerra, viemos em nome da paz. Até porque apenas a anfitriã era Abreu e Lima. Onde ficam os demais pastores dos outros estados? Por outro lado, todos sabemos porque eles não se incomodam com a situação. Têm os mesmos problemas aonde atuam! Do que o senhor escreveu, sua admissão da falta de comunhão, mesmo que jure de pés juntos que não tem culpa é preocupante. Discorda radicalmente da referência de Mateus 5:23-25.

    Como funciona o relacionamento da CONADEPE com a CADEESO e a Vitória em Cristo? Os primeiros vieram do Espírito Santo para cá e eu nunca soube de problemas e atritos, completa ignorância a respeito, do tipo deixa pra lá. Façam o mesmo com esse irmão impenitente, mas logo após uma reconciliação. Não estou preocupado com o crescimento de Recife, tenho até uma posição meio arrogante hoje em relação ao assunto. Saímos do zero aonde vocês atuavam, sem dinheiro, sem estrutura, com a falta de sabedoria de alguns expansionistas, mas com a garra e discernimento de outros e chegamos aonde chegamos. Ainda não aconteceu com vocês. Disse e repito, muito mais por bobeira. É que Deus pode cegar um sábio em sua sabedoria… Não nutro desprezo, nem orgulho, pelo contrário, cada um veja como edifica. Sou uma liderança muito jovem, para continuar a repetir os erros dos mais velhos.

    Quero finalizar dizendo o seguinte: pergunte aos membros e liderados daqui como trato os visitantes da CONADEPE e como me refiro ao Pr. Ailton José. Da mesma forma que trato o Pr. José Wellington. Por exemplo, na oração: oremos, irmãos, por nosso Pr. José Weelington, por nosso Pr. Ailton. Isto não é concessão, é racionalidade. Não ando com gasolina, mas com sementes.

    Porém, os erros não podem ser escondidos e este blog é um espaço reflexivo. Quando Silas Malafaia promoveu uma cruzada e criticou publicamente o Pr. Ailton, porque promovera outras cruzadas no mesmo dia, perguntei aqui: O que Silas Malafaia queria? Que o Pr. Ailton se juntasse a ele? E me pus a defendê-lo e criticar o falastrão. No assunto em pauta, não dá.

    Abraços!

  23. Anonymous says:

    Paz do Senhor
    Prezado Ev. Daladier, nao pude ficar sem responder este ultimo comentario. Ok, em seu post se o senhor assumiu uma defensiva eu aceito, ainda que alguem diga que “O melhor ataque é uma boa defesa”.
    Quero dizer o que osenhor nao entendeu em todos os nossos comentarios, durante 8 anos nao fizemos só gestos, mas gestoes em todos os ambitos, locais, através da umadene e cgadb e nunca vimos a reciprocidade, hoje voces falam de gestos, mas ja disse varias vezes, discurso e imagem para outros verem nao adiantes, queremos praticas, solucoes, mostrar gestos sem pratica amigo, isso é hipocrisia, como o senhor disse,”com arrogancia no aspecto de crescimento” se gaba do seu crescimento ok, mas sobre qual preco? encima de que procedimentos??, e nao param de usar todo tipo de artificio amigo!! ai voce me fala de gestos!!! como pode haver gestos ou pratica!! voce me fala de perdao, quando nao para de usar todos os artificios!! entao nesse aspecto é melhor cada um trilhar o seu caminho, porque no final só fica discurso. Como o senhor disse se na sua ótica nao estamos crescendo em Abreu, Paulista, igarassu, Itapissuma e Itamaraca com 55 congregacoes em 7 anos, é porque nao estamos usando os mesmos métodos e insistirei e nao usar, se isso é bobeira, para meu Pastor nao é, ele poderia ter Construído o Templo de Abreu e Lima na Av. Principal pois houve oportunidade mas nao o fez, pode ser bobeira na sua ótica mas para nós nao é, diga o que queira, mas se voces entendesse veriam isso como gesto, facam o mesmo.
    Termino deixando o meu email gilbertodinizmissao_1@hotmail.com, para deixar o nome do evangelista disciplinado, para mim fico no que comentei de outra maneira permita-nos corrigir o suposto erro, para depurar-lo, e aconselho voces fazerem o mesmo, ISSO É UM GESTO, NAO SEI SE VOCES TEM CORAGEM DE FAZER O MESMO, isso seria o comeco de corrigir os erros “de ambas as partes!!!!!).
    Um abraco em Cristo.
    Miss. Gilberto Diniz.

  24. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, é preciso entender o que está nos comentários. Crescemos APESAR de tudo que aconteceu, de todas as classificações reducionistas feitas sobre nós, de toda oposição desnecessária. E não crescemos mais por nossa culpa, falta de recursos, omissão ou preguiça de alguns obreiros. Espaço há, e muito, para as duas Convenções, em todo Estado. Eu trabalho num bairro de dez mil habitantes, as três congregações que auxilio não têm mil membros!?

    Você não cresceram mais por aqui, NÃO por nossa competência ou estratégia particular (aliás, não houve uma adequada em nossa expansão), nem por conta dos tais “critérios” apontados. Conheço crentes que saíram daqui atrás dessa aura. Não sei o que aconteceu que alguns deles voltaram entendendo que não é bem assim. Há até alguns em Igarassu que fundaram uma igreja própria, não se contentando com a santidade daí. Era pouco para eles. Como eu já vi esse filme… Essa história de consagrações mais santas do que aqui, de maior tempo de espera na hierarquia, e tantas outras coisas idílicas, só embota diversionismo. Daniel Berg e Gunnar Vingren nunca seriam pastores sob estes “critérios”, além de jovens e solteiros, dividiram uma congregação? Nenhum dos díscipulos de Jesus seria pastor, pois eram a equipe mais controversa da história? Paciência.

    Aliás, tenho uma interessante teoria particular a respeito da ausência deste crescimento. Qualquer dia conversaremos sobre ela. Posso adiantar: Em resumo, foi pura bobeira. Não construíram, de fato, na beira da estrada porque não quiseram. Não faltaram recursos à CONADEPE, graças a Deus. E não é pilhéria, é constatação.

    Já que o senhor fala muito em critérios, vamos lá. Qual o critério que há em proibir um cantor membro da CONADEPE de visitar uma de nossas congregações, sob pena de alijamento total, e permitir que outro que nos visitou numa semana cante aí na próxima, só porque não é do Estado? O que dizer, Deus meu, de proibir um orgão de visitar nossas congregações por puro diletantismo, sendo que este orgão cantou desde sempre aqui quando convidado e vai a qualquer outro Estado hoje? Visitas de jovens às nossas congregações foram punidas com disciplina!? Que lógica acobertaria tal decisão? É aqui aonde as coisas se complicam mais, aliás. Porque pessoas inocentes são brandidas como bonecos aos sabor de motivações ocultas. Onde fica o por escândalo diante dos pequeninos? Muitos deles abriram a boca pra taxar seus próprios irmãos, porque líderes impunham uma visão particular e obrigam que todos a sigam bovinamente. Isso pode ser qualquer coisa, menos critério.

    Como obreiro, encontro no dia-a-dia pessoas que adotam um comportamento em relação a quem os fere: negam o perdão e vivem adoecidos. Ao irem ao encontro de quem as ofendia, foram abençoados por Deus e sarados completamente. Não haverá solução a curto prazo, se pensarmos o contrário. Agora querer encabrestar não dá. Escrevendo essas linhas lembrei de uma história alemã. Conta-se que uma cidade da antiga Alemanha Oriental, talvez eivada pela propaganda comunista contra o lado Ocidental, encheu um caminhão de lixo, atravessou o muro e deixou do lado de lá. Os moradores do outro lado, encheram um caminhão de comidas gostosas, atravessaram o muro e as deixaram do outro lado. Mas, afixaram um faixa sobre o banquete: Cada um dá o que tem!

    Abraços!

  25. Anonymous says:

    Paz do Senhor
    Prezado companheiro Daladier
    Agradeco mais uma vez o espaco, o irmao tem meu email. qualquer outro comentario pode nos contactar, volto a dizer que o companheiro esta discutindo reacao e nao a acao que resultou isso, resolva a acao e voce vera outra reacao.
    Que Deus em Cristo possa te abencoar mais e mais e estou esperando a resposta no email.
    Paz do Senhor, caro Companheiro.
    Miss. Gilberto Diniz

  26. Ir. Marcos says:

    Paz do Senhor,
    Caro Ev. Daladier, sobre o assunto com o Miss. Gilberto Diniz, gostaria de fazer um breve comentário, pois não tenho permissão de expor e ou acrescer algo mais do que já foio dito, por questão de respeito a tudo que já foi dito pelo Miss.,mais o senhor não é leigo, nem tão pouco criança, para não conhecer fatos que aconteceram e acontecem, e falar de perdão dessa forma é ate hipocrisia, perdoar não é problema, o problema são reconhecer os erros e de quem partiu certas atitudes no minimo antiéticas, a ponto do mui digno Pr. Ailton ir no Templo Cede de Abreu e Lima e ser recebido com o dedo no rosto, meu irmão, o senhor faz citações em Marcos C5, Ok entendo sua colocação, mais em quanto o vá e não peques mais? Para se receber um obreiro ou cantor de uma determinada Convenção, deve-se no mínimo saber a situação dele não? Amado a história existe, pode ser mudada, mais é melhor uma distância por motivos mais que aceitáveis, que um perdão de faixada.Entendo o senhor de coração, mais não se passa borracha no passado, mais podemos, devemos construir um novo futuro, façamos em atitudes, infelizmente, não é só o senhor que faz a COMADALPE, mais pelos fatos de outros que o senhor talvez ate desconheça, teriam coragem de fazer o que esta fazendo o Miss. Gilberto, da o nome do ministro?E se comprometer em tomar providencia?
    Deus abençoe os que fazem a COMADALPE e em especialmente o senhor!AMÉM!!!
    Ir. Marcos

  27. Pr. Rogério Miguel says:

    A paz do Senhor amigo Daladier, obrigado peo espaço concedido em blog, que tem abordado um assunto muito importante para o reino de Deus. A paz do Senhor Missionário Gilberto Duarte a que conheci mais humilde, caro companheiro não a minha intenção alfinetá-lo mais se o fiz me perdoe entretanto porém vossa santidade precisa entender que minha preocupação foi com os que estão de fora e jamais quero entrar em atrito pois entendo que a igreja é de JESUS como diz o cantor que foi criado com vc’s a igreja não é de josé. Vossa santidade fala de atitudes e e prega ações por nossa parte mais falar é fácil dificio é fazer, falar de perdão é fácil mais perdoar é mais dificio, falar de amor é fácil mais amar são outros 500. O que dizer desta situação, Eu ROGÉRIO MIGUEL me converti ao senhor na congregação do ur 6 no ibura, antigo campo de jaboatão, estive lá para rever amigos mais nem fui apresentando porque sou ministro em abreu e lima o pb que me ganhou para Jesus me pediu desculpas pois estava cumprindo órdens meus Deus onde vamos parar, Eu Rogério Migue estive na cidade de Ouricuri em viagem de trabalho levei minha carta de recomendação passei para o dc levar ao pulpito junto com minhas credenciais da COMADALPE E CGADB, nem me apresentaram o causou uma profunda tristeza ao companheiro membro do recife que me acompanhou na viagem. Tristeza. Medite-mos na palavra do Senhor.
    Mateus 7:1-6
    1 – NÃO julgueis, para que não sejais julgados.
    2 – Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.
    3 – E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?
    4 – Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
    5 – Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.
    6 – Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem.

    Romanos 12:8
    8 – Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.

    Hebreus 12:14
    14 – Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;

    Oremos e ao invés de cobrar ação do outros faça vc mesmo sem esperar o retorno dos outros, não tenho nada contra o recife, se ele tem contra mim que se resolvam pois eu não tenho nada, por mim podem crescer até estourar eu não estou nem ai, tenho procurado honrar a Deus sobre todas as coisas e procurar amar o meu próximo como a mim mesmo. `e um esforço que estou tentando fazer a cada dia de minha vida.

  28. Daladier Lima says:

    Prezado Irmão Marcos, o que está nos comentários responde boa parte de suas colocações. Basicamente, o senhor repetiu o Missionário Gilberto Diniz. Precisamos, urgente, de um novo patamar para discutir uma reconciliação. Agora, se ela só vai ocorrer com a pré-condição de Abreu e Lima se dobrar aos caprichos da CONADEPE, não é nada mais que imposição. Aqui não é tribunal de julgamento da reputação ministerial. Não vou dar nomes, porque seria exposição indevida, podendo gerar uma ação por danos morais, por exemplo. Só quero que tanto você quanto ele entendam que não existe tal ministério de elite. É só um mantra repetido inúmeras vezes na tentativa de colar um diferencial. Existem casos e casos internos que desacreditam esta ideia. Vamos continuar orando por uma solução. Só mais uma coisa: Como disse o Pr. Robério Amorim, presente àquela reunião, não houve dedo na cara de ninguém, é só metáfora clichê.

    Abraços!

  29. Daladier Lima says:

    É, prezado Rogério, eles não percebem que na ânsia de dar o troco estão jogando irmãos contra irmãos. Vamos caminhando e orando para ver no que vai dar. Cada esteja firmado em seu ânimo.

  30. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, fique à vontade para comentar.

  31. Anonymous says:

    Caro evangelista, Paz do Senhor.
    Espero que sejas leal ao ponto de publicar meu comentário. Perdoe-me se duvido, mas, depois de suas últimas publicações, tenho razões para isto. Me refiro à sua tentativa inútil de ser ovelha, em seus embates com o Ev Gilberto Diniz, sua tentativa de ser polido, educado e amigável. Até … os comentários dos últimos irmãos, atacando a CONADEPE. Bem, aí, a porca voltou à lama! “Só quero que tanto você quanto ele entendam que não existe tal ministério de elite. É só um mantra repetido inúmeras vezes na tentativa de colar um diferencial. Existem casos e casos internos que desacreditam esta ideia” (palavras suas). Que aconteceu com seu “respeito”, pregado anteriormente. Ah! tem mais: “É, prezado Rogério, eles não percebem que na ânsia de dar o troco estão jogando irmãos contra irmãos”. E a ética companheiro, esqueceu, ou se se animou demais com a lama? Não irmão, sou membro de Recife e não me importo de ter comunhão com meus irmãos de Abreu e Lima, mas, se tivesse obreiros que promovessem uma falsa comunhão ou vivessem hipocritamente, faria o que muitos da COMADAL fizeram: procuraria obreiros de outra estirpe e uma igreja mais sólida e séria como a AD em Recife. Agora, agradecemos muito que vocês recebam nossos disciplinados, revoltados e rebeldes. Quando principiou vossa “expansão”, fomos muito abençoados neste aspecto, pois várias víboras foram adotadas por vosso ministérios. Lamento pelos que foram enganados, pela oferta de dinheiro ou cargos, mas creio que esses já despertaram. Meu irmão, você tentou, cheguei a acreditar que estavas mais crente, mas, por fim vc se revelou. É o mesmo Daladier, contestado até pelos ministros de sua própria convenção. Cuidado, sua amargura faz mal a ti à tua família.
    Em Cristo, Marcos José

  32. Daladier Lima says:

    Prezado Marcos José,

    Vamos por partes, como faço sempre:
    1) Seu comentário será sempre recepcionado aqui. Isso é praxe do blog. Só não publico comentários que incriminem outras pessoas, pelas quais não tenho como responder;

    2) Tentativa inútil de ser ovelha? Que colocação mais fora de foco!? O que está em discussão é se devemos continuar assim, nesta desunião? Eu acho que não. Não sei o que você acha;

    3) Meu respeito? Esse comentário já foi feito inúmeras vezes, leia minhas réplicas, para não ficarmos em círculos. O mantra existe, fazem questão de mantê-lo, foi o que fez várias vezes o Missionário Gilberto Diniz. MAS ele (o mantra) não se sustenta à luz da história. Como é um problema intestino e roupa suja se lava em casa, nem morto vou declinar exemplos, conheço muito mais do que você imagina. Eu só quis dizer: Baixem a bola;

    4) Quanto ao que disse ao Rogério, além de ter repetido algo dos comentários, se encaixa perfeitamente no assunto. Você teria alguma teoria a respeito de lançar irmãos contra irmãos, impedindo pessoas de serem apresentadas numa igreja aonde nasceram espiritualmente, aquele reles gesto de educação, somente por serem de outras congregações!? Aqui eu apresento até não crente, rapaz!

    5) Você não deve ter comunhão com nossos irmãos por concessão, como seu comentário faz crer. É sua obrigação como irmão, do contrário sua oferta não será aceita, as bençãos de Deus estarão longe de você e ainda corre o risco de perder o Céu! É difícil entender isto à luz da Bíblia? Aliás, leia que já havia falado sobre isso na história da Alemanha Oriental… não há nada novo nas minhas palavras;

    6) Os obreiros que saíram da COMADALPE:
    a) São livres para irem aonde quiserem. Ou;
    b) Estão enganados com falsas auras. E;
    c) Não iriam querer fazer parte dos discípulos de Jesus, vide razões acima. Deixa eu calado, pra não falar besteira, sobre tanta gente que busca uma igreja sem pecado…

    7) As víboras vieram e muitas voltaram. Vocês também receberam muitas víboras daqui. Mas muitos dos que vieram eram irmãos que queriam simplesmente mudar, por conveniência, proximidade familiar, conhecimento, admiração, oportunidade, perseguição, imposição de vontades injustificáveis, os motivos são imensos. Todos foram bem vindos. Quem veio como víbora, permanece sendo até hoje. Partindo de seu princípio foi ótimo porque vocês se depuraram. Será? Você só não lembrou das víboras que não vieram…

    8) Desconheço oferta de dinheiro para obreiros virem da sua convenção à nossa. Nessas horas é bom dizer: eu sou daqui, trabalho em três congregações e não recebo salário;

    9) Sabe o que é ruim no mesmo Daladier, é ele estar certo desde sempre. Tenho falhas imensas, mas minhas colocações, salvo raros enganos, sempre demonstrou faro e apuro.

    Finalizo, frisando o seguinte: não falamos sobre amargura, ranço ou rancor, falávamos sobre união. Pelo que vejo até para falar de união, sem generalizar, no coração dos nossos irmãos existe rancor. Longe estejamos de tal. Nossa guerra é contra o Diabo, não contra igrejas! Que venha a união, e que o amor dos ditos perfeitos mostre sua cara!

    Daladier Lima

  33. Anonymous says:

    Paz do Senhor Caro Companheiro Daladier e Rogério Miguel.
    Prezado Companheiro Rogério Miguel, a qual conheci menos arrogante e infelismente mais inteligente, se o nobre ver o comentario que fiz em relacao ao seu primeiro comentario, se o senhor tiver a mínima atencao de se ater no meu comentario vera que eu elogie o seu comentario e disse que se todos os comentarios fosse comedido como o seu seria uma bencao!!!! quando falei de alfinetar falei do post inicial, a qual desde o principio tenho falado com o companheiro Daladier, é triste ver sua recao tao amarga, mas nao me impressiona, se fala muito em perdao mas usar as metaforas contra minha pessoa como o senhor usou, usando tantos versículos, olha é necessario me pedi perdao hein!!! mas eu lhe perdoo. Bem eu lhe digo uma coisa eu nao sou obrigado em receber na minha casa, quem ofende minha familia, e sabe que ofendeu, nunca fez nada para corrigir e continua ofedendo, entao meu amigo nao tenho obrigacao, pode usar mil versículos, mas perdao nao é palhacada o perdao exige atitudes, acoes, renuncias, cortes, faca assim e o senhor vera como as coisas mudam, amo e tenho comunhao com meus irmaos de Abreu e Lima, tanto é que moro na casa de um Pastor de Abreu e Lima que foi minha testemunha de casamento, tenho amigos inumeraveis que poderia citar mas nao é preciso o senhor sabe Companheiro Rogério, mas dai a mostrar para a Igreja uma comunhao Ministerial quando tenho uma Igreja como Tímbi quando o que separa é a rua, como Piedade quando o que separa é a rua, Rio Doce, Tabatinga, quando levam um Pastor como o Pastor Fernandes que estes camaradas nao podem nem desatar seus sapatos, a Justica, quando um Ministro de voces ao ver o Pastor Fernandes se recusou a testemunhar contra ele e se sentiu escandalizado, e hoje o mesmo Ministro que fez isso, saiu da Comadalpe e demandou a vossa Convencao na Justica;( O veneno volta, meu irmao ai eu vou apresentar, dar oportunidade por favor, o perdao exige mudanca, atitudes. Eu le provo que se pode tomar atitudes sérias um exemplo tenho dado ao pedir ao Ev. Daladier o nome dos Evangelista diciplinado que recebemos aqui, o que digo até que prove ao contrario nao é verdade, ja dei meu email para que nao se exponha, nao vou expor o nome dele aqui mas vamos corrigir o erro se é que tem erro, se é que ele nao tenha sido disciplinado, reconciliado e aceito como ministro automaticamento ai mesmo, o que se sabe é uma prática em algumas Convencoes!!!!! Ahh nao fique com medo de retalicao de Justica o senhor só esta denunciando a verdade, afinal o senhor tem provas!!!
    Companheiro Daladier por nenhum momento coloquei e coloco que somos perfeitos, ainda que voces usam isso para se vitimizar, mas pode ter certeza que nao somos nós que falamos ao Pr. Presidente da CGADB que somos o Ministério mais unido do Brasil, da até risos!!! Eu disse sim que é nosso dever buscar a excelencia, exceder, pois é uma verdade bíblica, e nao me falar que nao tem rancor, revanchismo, os comentarios mostra muuito dos 2 lados nao me venha com esse falso perdao, perdao exige atitudes, renuncia, tomadas de decisoes, quando for feito a gente fala sério de perdao.
    Paz do Senhor e forte abraco
    Miss. Gilberto Diniz

  34. Anonymous says:

    Ahh em tempo caro Companheiro Rogerio Miguel se eu me apresento como Ministro logo represento a entidade a qual sou obreiro, nao discuto que o senhor agrada ou deixa de agradar a Deus isso é de seu foro particular, nao sou obrigado a apresentar, e dar oportunidade a obreiro de Convencao a qual nao temos comunhao Ministerial, até que se mude as coisas, e volto a repetir e repiterei todas as vezes, mudanca, perdao, nao é feita com discurso, por mais espiritual que pareca e sim com atitudes, e ja disse muitas vezes tentamos, durante 8 anos em todos os ambito e nao foi mudado uma vírgula pelo contrario só piorou, entao nao venha exigir de nós Companheiro perdao, se voces nao tem disposicao para tal, podemos ser arrogante, infelismente como o senhor disse menos humilde, mas saiba que a reciproca é verdadeira, só nao quero ser hipócrita e Político ( no sentido de quem gosta de fazer discurso). A minha consideracao e respeito ao senhor nao muda com isso, sou omesmo que parou mas de 20 minutos para conversar e com muita alegria, se o senhor teve outra impressao é que interpretou errado o meu primeiro comentario em resposta ao seu. Mas contudo um abraco sem fingimento, nao desconsidero meus amigos. ( e nem o que nao sao, só defendo a minha fe e minha Igreja).
    Paz do Senhor.
    Miss. Gilberto Diniz
    le deixo meu email gilbertodinizmissao_1@hotmail.com

  35. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, vou juntar em dois comentários:

    1) Os recortes a que o senhor se refere são ações reprováveis. Eu já pontuei que no afã de fazer a expansão, pessoas esqueceram o bom senso. Ou seja, a intenção era boa, mas a praxis incorreta. Não há o que acrescentar. MAS, há duas considerações a fazer. Primeiro, não podemos linearizar o comportamento de uns em detrimento de outros. Segundo, não podemos, em decorrência disso, alimentar um monstro de ódio e animosidade pra sempre. Quer dizer que vocês vão ficar para sempre como os Ferraz e Novaes? Jamais seriam os mediadores de um conflito de tal natureza? Na Bíblia de vocês existe Romanos 12:20,21?

    2) A apresentação de obreiros faz parte de um sentimento chamado cordialidade. É um sentimento oriundo da educação. Aqui, repito novamente, apresento até não crentes, e sempre recebo muito bem a todos. Não é preciso colocar cadeira e abanador, somente tratar como gente. No caso de ministros da CGADB, há um complicador. Embora seja omisso em detalhes, nosso regulamento em seu preâmbulo registra: “tendo em vista a paz, harmonia, disciplina, unidade e a edificação do povo de Deus”, o que nos leva a concluir que as igrejas congêneres devam se reunir sob esta égide. No artigo 3º, nas finalidades, item 2, registra-se: “promover a união e o intercâmbio das Assembleias de Deus no Brasil”. No contexto, porém, de suas outras afirmativas, o que é um estatuto, não é mesmo?

    3) Tem um ponto que ficou nas entrelinhas, mas eu vou exemplificar: o Evangelista Rogério chega na congregação aonde é conhecido desde jovem, com carta e tudo o mais. A congregação sabe que ele não foi apresentado porque de Abreu e Lima. Como fica a cabeça do povo? Vocês não se preocupam com isso, não é? Metade pensa: bem feito, quem mandou ir pra “Abreu e Lama”! E aí perde o culto, na intenção de fazer justiça com as próprias mãos. Outra, metade, se indigna: não é possível manter essa guerra. Justo o Gerinho (nem sei se ele tinha este apelido), que evangelizou comigo, que andou comigo. E aí, perde o culto também!? Mas isso não é tudo. Vejamos aonde o negócio complica. Supomos que Rogério houvesse se desviado. Aí chegou por ali, querendo assistir ao culto e rever os amigos. Ele seria apresentado, alegremente! Ou não? Notou a contradição: como ministro, em comunhão com a igreja de origem, ele não é sequer apresentado. Mas como desviado é até paparicado! Aliás, visto que o Pr. José Wellington não fez o que vocês queriam, adotando uma posição política e de neutralidade, nestes oito anos (o senhor gosta de repetir o número) ele nem deveria ser recebido aí. Mas, qual!?

    Continua…

  36. Daladier Lima says:

    4) Não vou expor nomes. O que disse já está no comentário, não recuei uma vírgula, que leiam. Não é uma questão de medo da Justiça, quando se tem um blog se corre riscos ao escrever. Outrossim, o diálogo não é sobre terceiros é sobre reconciliação. Este blog não quer caçar bruxas;

    5) Perdão, no contexto de suas colocações, está fora de cogitação realmente. Fico imaginando quais seriam as condições exigidas por vocês. Recuar em todas as cidades? Restringir-se a Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Itapissuma, Itamaracá? Devolver todos os obreiros recebidos para serem punidos? Devolver todos os irmãos para serem disciplinados por desobediência? Vender/fechar todos os templos próprios nas demais cidades? Alterar o estatuto para impedir uma expansão futura? O que vocês realmente desejariam para selar uma reconciliação?

    6) É difícil pra minha mente limitada entender o seguinte: Vocês acordam com a expansão e não só de Abreu e Lima. Ninguém pode negar a acomodação vigente, dado que havia cidades nas quais não se construía um templo há dez, quinze anos. Até citei algumas. Retiram os pastores acomodados e colocam em lugar deles uns mais dinâmicos. Renovam a grade ministerial em todos seus níveis. Crescem em templos, mídia e recursos financeiros. Qual a razão para tanta amargura e rancor? Só vejo uma resposta: o fato de termos crescido na expansão mais do que vocês aqui ou que tenhamos superado uma previsão pessimista. Por favor, me corrija se estiver errado, e não me venha falar de metodologia (como crescemos, etc). Como é que um companheiro vai pra Salgueiro, o fim do mundo, com toda oposição e difamação (fora o Catolicismo Romano que impera no interior) e constrói um grande templo em poucos anos de expansão? E assim aconteceu em várias cidades do Interior e Região Metropolitana. Claro, claro, vocês cresceriam apesar da expansão, mas não há como negar esta influência. Que mal há nisso? Por estes e outros motivos o bom senso já partiu faz tempo.

    Aguardo suas respostas. Até agora o senhor está só querendo um nome.

    Daladier Lima

  37. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, não poderei publicar seu comentário porque ele, basicamente, repete os mesmos argumentos e não responde às principais objeções. Vou publicar um post logo mais, para elucidar a grande questão levantada: É lícito à nós, como irmãos, continuarmos neste clima de guerra?

  38. Daladier Lima says:

    Pr. Rogério Miguel:

    A paz do Senhor. Prezado companheiro irmão e amigo Gilberto Diniz, Não vou responder no mesmo nível seu último comentário. Não sou perfeito mais estou tentando viver a minha vida junto com a minha família de forma digna do céu o qual é o nosso objetivo meu e seu também, reconheço que interpretei mal o seu comentário e por isso peço-lhe perdão por isso o qual sei que já estou perdoado pois o senhor já o liberou em seu comentário. Essa “discórdia” agora mais que antes entendo que apenas Deus vai solucionar e ele saberá o fazer, vamos esperar, mais também espero que eu, o senhor não meçamos esforços para que essa situação se perpetue, por isso minha resposta bem na defensiva.
    Salmos 133:1-3
    1 – OH! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.
    2 – É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes.
    3 – Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o SENHOR ordena a bênção e a vida para sempre.

    Fique na paz do senhor infelizmente eu não tenho autoridade para resolver este impasse, mais vou tentar fazer a minha parte. Não tenho mágoas do senhor e de ninguém ai do recife que tenho como meus irmão e assim não fomos como iremos ter acesso ao céu. Imagino como não seria bom voltar aqueles tempos de harmonia entre as convenções irmãs onde uma visitava a outra e era maravilhoso, mais hoje o tempo, os homens mudaram esse cenário, mais não vamos permanecer nos erros sabemos que dos dois lados há erros que precisam ser corrigidos e sim, e ero para sejam muito em breve e que possamos juntas (convenções), desenvolver a obra que o senhor Jesus nos confiou. Um forte abraço de seu Irmão e Amigo Rogério Miguel. pastorrogeriomiguel@gmail.com

  39. Anonymous says:

    paz do Senhor
    Nao responde as suas objecoes, mas esperava isto do caro Companheiro.
    Paz do Senhor
    Miss. Gilberto diniz

  40. Daladier Lima says:

    Clique aqui para ler o resumo dos comentários.

  41. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, publiquei seu último comentário. Como já disse, não vou responder às suas objeções, porque entendo que estão respondidas dentro dos comentários. Em resumo, nenhum dos problemas apresentados, como a abertura de igrejas próximas à Convenção Recife, não é nada que não tenha sido feito do outro lado. Por exemplo, conversando com um obreiro que acertou o aluguel de um prédio, no Alto do Buriti, Av. Norte, Recife, fui informado pelo mesmo que vocês dobraram a oferta, somente para que a congregação não fosse de Abreu e Lima!? E há muitos relatos semelhantes. Eu poupei os leitores para não cansá-los.

    Daladier Lima

  42. Anonymous says:

    Ev Gilberto Diniz
    Paz do Senhor, nao faca comparacao como essa.
    Se isso aconteceu, primeiro se o local estava para ser alugado, isso me diz que nao havia Igreja la, segundo se isto foi em burity estamos dentro de onde temos Igrejas, outrossim isso é reacao e nao acao, agora comparar isso com Timbi meu irmao uma Igreja com mais de 50 anos e voces abrir, nao é perto nao meu amigo é,porta com porta por favor, tenha paciencia, nao adianta nao meu irmao o senhor nao entende, fique na paz, fiquemos como -abraao e Ló, como Paulo e Barnabé é melhor assim.
    Paz do Senhor
    Miss. Gilberto Diniz

  43. Daladier Lima says:

    Prezado Missionário Gilberto Diniz, traduzindo seu comentário, nada que uma tenha feito a outra não fez. Depois querer posar de vestal é que não dá. Até inflacionar o mercado de aluguel para asfixiar a concorrência, e ainda justificar tal postura! Pelo amor de Deus!

    Daladier Lima

  44. Anderson Ferreira says:

    Ev. Daladier, a Paz do Senhor!Achei mt interessante e “acalourado” o debate de opiniões sobre essas questões CONADEPE X Comadalpe. Sou Ministro do Evangelho aqui no Ceará, filiado a CGADB E a Confradece, embora seja pernambucano da cidade de Petrolina.Morio aqui a dois anos.Qd morava no Pe, não era nem Abreu e Lima nem Recife, era Madureira.Mas algumas coisas dava pra perceber.O Pr. Jair(Comadalpe) sempre ia na Maduerira e Vice-Versa, o Pr. da Conv. Recife nem nos consideravam Assembleia de Deus…Para vc ter uma idéia, quando ainda era presbitero em 2009 fui na Sede da Iead-Recife em Petrolina e apesar de apresentado( o nome de minha esposa não foi pq ela é diaconisa..) nem chamado para a tribuna fui..Na Iead-Abreu e Lima em Salgueiro(Pr. Carlos Ribeiro) já preguei atém em Congresso e recebi o maior apoio do Pr. Flomarion, que estava lá no evento.Na Conadepe é uma BRIGA para reconhecer quem vem de outra Convenção filiada a CGADB. No ano passado na A.G.E da Umadene em Fortaleza o Pr. Osires(meu presidente)sentou no meio e cada pastor de um lado. O Pr. Ailton saiu e nem falou cm o Roberto..Não sou de nenhuma das duas convenções do Pernambuco, mas tb não sou cego que não possa enxergar os fatos..A Conadepe fala dos obreiros que saem de lá diáconos e em alguns anos são ministros na COMADALPE e falam que as coisas são mt fáceis lá..Eh pq na Convenção Recife muitas vezes para ser ministro tem que ter atestado de velhice..Ou pq NÃO SE TEM OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DO CHAMADO, só para os que tem “apadrinhamentos”. E ainda tem de dizer: “com a orientação do nosso pastor…”. Sei tb que a Comadalpe cometeu muitos erros, mas, que me desculpem os membros da CONADEPE, a maioria de seus membros, obreiros e ministros(conheço muitoooossss!) são Muito arrogantes e se acham a UNICA ASSEMBLEIA DE DEUS VERDADEIRA.iSSO É FATO. E LAMENTÁVEL.

  45. Pedro paulo says:

    A Paz do Senhor!
    Sou da igreja de Recife, mas fiquei imprecionado com a arrogância dos irmãos da AD Recife. “não tenho obrigação de apresentar irmãos de outro ministério” Isso é pura FALTA DE EDUCAÇÃO E ÉTICA. Aqui no meu bairro (alto da bondade) temos 4 AD’s Recife e 1 Abreu e Lima. A que eu faço parte (bondade 4 recife) não tem frescura. Os irmãos da Abreu e Lima pregam e cantam, e sabe o que ocorre ? Os irmãos das outras que são mais fechadas (bondade 1,2,3) nos apelidaram de ASSEMBLÉIA DE DEUS DO MOVIMENTO. Só porque de vez em quando ocorre uma marcha ou movimento. É uma arrogância horrível de Recife com Abreu e Lima. Que Deus ilumine as mentes dos Pastores Presidentes para vir a unificação.

  46. estilhaçospoeticos says:

    A paz do senhor amados irmãos.

    Lendo os comentários me senti a vontade para comentar, não sou da CONADEPE ou muito menos da COMADALPE,acho lamentável essa divisão existente entre a mesma denominação, nossa igreja não pode ser movida por políticas de interesses ou por convenções, JESUS ESTÁ ACIMA DE QUALQUER CONVEÇÃO. Moro em BH, temos aqui a COMADEMG, há alguns anos aconteceu um evento parecido com o nosso ministério. Um campo muito grande aqui em bh,se emancipou e ficou muitos anos sem comunhão com o templo central. Quando mudou a presidência da igreja,o pastor se reuniu com o campo emancipado e fizeram as pazes, passaram por cima dos problemas e se reconciliaram, deixando de lado as picuinhas. Há espaço para todos, para madureira, missões e afins. E essa questão de ser mais santo que os outros, não passa de hipocrisia. Excesso de santidade cheira a muita hipocrisia e a farisaísmo.
    Maikon Evangelista.

  47. José says:

    Boa noite!

    Bom, procurando algo sobre esse assunto na internet e me deparo com esse blog onde me chamou muita atenção.

    Aqui eu venho mostrar um caso que está acontecendo na igreja onde eu faço parte que faz parte da CONADEP…

    Há uma jovem que foi afastada da igreja (CONADEP) porque arrumou um namorado de outra denominação… Fomos (eu e um amigo meu) até os responsáveis e eles nos alegaram que isso se caracterizava jugo desigual…Mostramos na bíblia que jugo desigual é a junção de um Fiel, com um infiel… Debate vai, debate vem e como não tinham mais nada a nos declarar, disseram que ela foi afastada por causa do estatuto da igreja…

    Conclusão:

    Eu faço parte numa igreja onde o estatuto da igreja está acima da Bíblia… Ou seja, o estatuto nesse caso tem mais valor doutrinário que a própria Bíblia… UM ABSURDO!!!

    Queria a opinião de vcs experientes no assunto pra ver quais são as suas opiniões sobre esse caso, já que a coitada está impossibilitada de cantar no órgão que fazia parte por conta desse simples fato…

    Ir. José Junior

  48. Daladier Lima says:

    Prezado irmão José, no meu entendimento se não é uma seita, não vejo porque ser um jugo desigual. Outrossim, há, por vezes, cláusulas esdrúxulas em estatutos eclesiásticos (não conheço o da CONADEP), que até encontram amparo associativo, mas estão longe da Palavra de Deus. É lamentável, mas é assim.

    Abração!

  49. Gustavo Henrique says:

    Prezado Ev.Daladier, achei interessante este debate discutindo de forma respeitosa essa infeliz divisão entre as igrejas.Sou membro da convençao Recife,e tenho parentes que são membros da convençao Abreu e lima, inclusive um evangelista que é meu tio.Mas em uma festividade na congregação que eu congrego, meu tio que é evangelista foi mal recebido.Só foi apresentado no final do culto, no momento dos avisos,e por causa de uma pessoa que avisou. meu Pai, Diácono, não foi nem apresentado como obreiro da convenção Abreu e Lima.Mas, espero que isso mude.Que prevaleça a união, a consideração. Sou membro do Recife com muito prazer, mas essas coisas nos deixam Tristes.Que Deus nos ajude,mesmo com todos esses problemas, olhemos para Cristo.Que Deus abençoe a todos. Gustavo Henrique.

  50. Walmir says:

    A minha dúvida é a seguinte:
    Está escrito em Gn 2:9 que Deus faz brotar da terra a árvore da vida NO MEIO DO JARDIM e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
    Em Gn 2:17, Deus ordena ao homem não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal porém quando a mulher responde à pergunta da serpente em Gn 3:3, ela diz que não pode comer (e nem tocar) da árvore QUE ESTÁ NO MEIO DO JARDIM.
    Não seria essa uma contradição uma vez que a ordem direta de Deus ao homem foi de não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal e a mulher vai e me responde outra coisa, totalmente diferente do que Deus ordenou?
    Obrigado.
    Walmir
    16/11/2016 – 11h59min

  51. Daladier Lima says:

    Prezado,

    Ambas as árvores estavam no meio do jardim. A interdição divina era para que o homem e a mulher não comessem da árvore do conhecimento do bem e do mal. Da árvore da vida comiam livremente. Era isso que lhes dava saúde infinita. Paa que não comessem novamente após o pecado e vivessem pecando eternamente, foram retirados do jardim do Éden.

    Abração!

  52. Walmir says:

    Caro,

    A sua afirmação está baseada em qual versão da bíblia: a que diz que as duas árvores estavam no meio do jardim ou a que diz que SÓ a árvore da vida é que estava no meio do jardim (a outra árvore – do conhecimento do bem e do mal)?
    O próprio Deus disse que o homem seria formado/criado à imagem e semelhança dele (de Deus!) para que, então, saúde infinita e esse teste (do pecado original) sem fundamento sendo que a essência do homem era igual à de Deus. E não sou eu que estou falando do nada e, sim, é o que está escrito na própria bíblia. É palavra do próprio Deus e não minha!

    Walmir
    18/11/2016

  53. Daladier Lima says:

    Prezado,

    Deus colocou o homem com um corpo finito e perecível no jardim. Para que nunca perecesse deveria comer da árvore da vida.

    Daladier Lima

  54. Walmir says:

    Se o homem tem um corpo finito e perecível então Deus também tem um corpo finito e perecível uma vez que o homem foi formado/criado conforme a imagem e a semelhança de Deus!
    O meu questionamento não se refere à árvore da vida. O que coloco em questão é a gritante incoerência entre a ordem (direta) de Deus ao homem e a resposta da mulher à serpente no episódio do teste bíblico (pecado original). Simples assim. Esse é um assunto espinhoso, com certeza!

    Walmir
    18/11/2016

  55. Daladier Lima says:

    A semelhança de que fala o texto é moral. Deus não precisa de comer, beber, fazer necessidades fisiológica alguma, respirar, dormir, sonhar. São coisas inerentes à vida biológica. Não vejo incoerência.

  56. Walmir says:

    Quem lhe disse que essa semelhança é moral? Está escrito na bíblia? Não, né!
    Então, é dedução humana (no caso, dedução sua) a qual discordo.
    O texto é bem claro quanto à semelhança e também é bem claro que não tem nada de moral nele. Desculpe mas isso que você coloca de Deus e da vida biológica nada tem a ver com a incoerência que questiono.
    Se a incoerência que você fala estiver relacionada a essa semelhança, nem incoerência é pela clareza do que está descrito no texto. É bem simples.
    No fim, o meu questionamento inicial mesmo você não respondeu até agora.

  57. Daladier Lima says:

    Prezado Walmir,

    Bom, pelos argumentos apresentados (que você não aceita) não podemos parecer fisicamente com Deus. Quanto aos demais questionamentos (cujas respostas você também não aceita, é seu direito!) estão nos comentários meus posicionamentos.

    Abração!

  58. Walmir says:

    Caro Daladier,

    Os argumentos apresentados não batem com o que está descrito no texto. Exatamente, estou no meu direito de não aceitar assim como você está no seu de me dizer que não aceito. Isso é normal, entendo perfeitamente e respeito. Mas, por isso que discordo deles até mesmo porque eu interpreto o que está escrito no texto e não no que não está escrito!

    E, por fim, devo me desculpar (não vejo nenhum problema nisso!) pois realmente você já havia respondido meu questionamento inicial e encerro por aqui essa questão uma vez que você sustenta seus argumentos e discorda de mim e eu idem, logo não vai levar em nada. O debate é saudável porém só mostra que não existe uma verdade absoluta.

    Obrigado e até mais.

    Walmir
    21/11/2016

  59. Daladier Lima says:

    Abração!

  60. Eli Correia de Melo says:

    Respeitosamente, mas, como alguém que vê de “fora”, sem pertencer a nenhuma das duas, a impressão que se tem é que “Paz do Senhor” virou um mero cumprimento, como “Bom dia” e “Boa noite”.
    Pode haver explicações de ambos os lados, mas está faltando PAZ, HUMILDADE e MANSIDÃO.
    Ainda bem que no Céu não exisitirão convenções.
    E, também, nunca achei esse termo em Atos dos Apóstolos!
    Nasci em Recife-PE; DEUS me trouxe para SP ainda criança; aqui o Senhor cuidou de nós e nos abençoou, e é triste ver que não há clima para voltar ao Estado de origem, a passeio, e fazer uma visita à Igreja em que nasci, pois a política eclesiástica superou e asfixiou o amor fraternal.
    Nessas discussões inócuas, é triste ver que só não há lugar para o Príncipe da Paz, Aquele que deve ser o Verdadeiro Senhor da Igreja!
    A comunhão fraternal da Igreja Primitiva, de Atos dos Apóstolos, passa bem longe disso tudo.
    Divisões só interessam a líderes, que com isso, mantém e perpetuam feudos familiares.
    Os ministros precisam, urgentemente, fazer o que diz o Profeta Joel: “gemei, chorai, ministros do Altar”!
    Ah, se o Povo que se chama pelo Nome do Senhor se humilhar, e orar e se arrepender; só assim o Senhor ouvirá dos Céus e sarará nossa Terra chamada Brasil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: