Bajulação é de Deus?

Vamos por partes. O que é bajulação? O termo é definido assim no Dicionário Michaellis:

bajulação
ba.ju.la.ção
sf (lat bajulatione) 1 Ação de bajular. 2 Adulação interesseira; chaleirismo.

É uma palavra de origem latina e tem o sentido claro e abjeto de classificar a atitude de determinadas pessoas que no afã de:

  1. Agradar;
  2. Exagerar uma virtude;
  3. Manipular visando interesse inconfessável;
  4. Auferir alguma benesse;
  5. Esconder sua incompetência
  6. Lisonjear;
  7. Adular

bajulam e se expõem, não raro, ao ridículo. No Brasil Império havia o beija mão. Em solenidades se destacava quem mais mãos de autoridades beijasse.

Via de regra, e eu conheço o personagem tanto do mundo empresarial, quanto do eclesiástico, o bajulador é alguém incompetente, tentando esconder sua falta de méritos e qualidades, quando não defeitos morais e espirituais, sob o manto da bajulação. Normalmente, apura a fala, escolhe os adjetivos mais pomposos, estende os cumprimentos a familiares e outras de pessoas do círculo de amizade do bajulado. É uma prática vergonhosa, porém, disseminada. Não é raro encontrar um bajulador tentando esconder sua folha corrida espiritual!

Chegou ao meu conhecimento, tempos atrás, a história de um bajulador que, caminhando no pátio de determinada igreja, escorregou e caiu. Havia chovido e algumas pequenas poças ali se formaram. Ao longe o pastor, seu líder, sorriu da situação. Ele voltou e caiu de novo! Já vi outro tentando ser babá dos netos de determinado líder. Outro inventando brincadeiras para agradar filhos menores. Outro dando glórias mais alto que todos e quando toda efervescência já havia amainado. Ainda outro fazendo as vezes de bobo da corte, citando casos folclóricos e piadas, para distrair seu líder. Tudo isto no intuito de ser notado!

Com as redes sociais a coisa tomou ares pitorescos. Dia desses flagrei certo companheiro ministerial dizendo que seu pastor era lindo! Outro elogiou o paletó e a gravata. Ainda outro elogiou palavras corriqueiras. Outro ainda elogiou as filhas do pastor. Outro elogiou o nada. Assim: entrou no Face e se declarou! Rsrsrs! É um comportamento triste, terrível. Uma coisa é elogiar um artigo, uma colocação, uma atitude. Sem exageros, sem superlativos desnecessários. O que dizer daqueles que gastam cinco minutos de um sermão fazendo salamaleques em microfones? Perde-se a objetividade, o tempo dos ouvintes e a glória de Deus!

Do ponto de vista dos líderes, dos bajulados, há três tipos de comportamento. O primeiro, predominante, é confundir bajulação e fidelidade com competência. Quem mais bajula, competente e fiel é. Dias atrás coloquei aqui um pensamento que dizia assim: Conheço um homem triste, está cercado de acenos, mas não sabe qual das mãos são sinceras. Poderia criar várias versões dele. Neste caso os bajuladores se acercam do bajulado e põem-se a elogiar. Mas não são sinceros. No Salmo 12 trata desse assunto com os termos mais vívidos. Parece que o salmista viveu entre nós! Em Romanos 16:18 Paulo fala da lisonja. Que é a fala com segundas intenções. Infelizmente, prática disseminada em nossas igrejas. Eu fico pasmo em como se mente em nossos relacionamentos interpessoais! E em como determinados líderes parecem acreditar nos bajuladores!

Um segundo comportamento é ignorar os elogios. Mas manter os bajuladores por perto. Infectando e influenciando o que pensam os demais. É igualmente reprovável. Um líder que precisa de bajulação não está seguro do que faz. É comum, por exemplo, pensar que aniversários pastorais grandiosos são efeitos da boa administração. Vai um elogia, vai outro conta uma historieta. Outro divide um caro presente no cartão (não sem antes se identificar em letras garrafais na embalagem!), pra não se perder em meio aos demais. Dez prestações que serão exigidas em contrapartidas de cargos e referências. Eu já vi esse filme quantas vezes? Na realidade boa parte dos que elogiam (e há elogios sinceros e desprovidos de segundas intenções) não expressam a verdade. Não trabalham, mas elogiam o trabalho. Torcem o nariz para determinadas decisões, mas dizem que o líder acertou em cheio! Ou seja, dizem exatamente o contrário, para consumo interno e externo. Alguém já disse que o Espírito Santo está bem longe dos aniversários pastorais. Ao que tudo indica…

E há o líder que reprova a bajulação. São poucos, mas existem. Pensam nas novas lideranças. Pensam a igreja enquanto grupo verdade, no qual a mentira e a falsidade deveriam ser banidas. E buscam a direção de Deus. Não para agradar este ou aquele e dele receber elogios, mas para agradar a Deus a quem deve ser dada toda honra e glória.

E aí, dez leitores, bajulação é de Deus?

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

21 Comentários

  1. Antônio Gonçalves Bomfim disse:

    Não é de Deus e uma atitude demoníaca
    Conheço e com vivo com pessoas desta estirpe
    Aqui ná congregação
    Onde coupero.

  2. jailson paulino disse:

    Não é de Deus,fico muito triste em ver um lider ser influençiado por bajuladores dentro da igreja, concededendo cargos eclesiastico a pessoas incopetente so porque são bons bajuladores!vergonhoso!

  3. jose antonio da silva disse:

    companheiro de ministério importante seu comentário poucos falam por medo na realidade existe no coração de muitos que e bajulado tem isto como um meio de adoração a ele e fidelidade daquele que bajula se não for bajulado se sente menosprezado na verdade isto surgiu no coração do diabo que disse a jesus se ele lhe adora-se lhe daria tudo quantos estão sentado na cadeira por causa disto.

  4. Alexsandro Cabral disse:

    Isso é lamentável, pessoas que para maquiar incompetência e ao mesmo tempo se manter ativo em determinada posição, preferem agir como bajuladores.

  5. Andrea Cristina disse:

    Claro que não! Quem bajula é falso, medilcre.
    As pessoas confundem tratar bem com bajular,babar. Vejo na igreja esse tipo de gente e isso me envergonha. Conheço um que até a maleta do pastor leva só pra ser consagrado, esse pastor adora (kkkkk) mais não consagra com medo de perder o babão. Que vergonha. Detalhe pra os 2.

  6. Lucas martins disse:

    Uma pessoa que passa a bajular qualquer que seja o seu líder ou superior. Assina o atestado de incompetência. Esconde o seu caráter para viver de favores,benefeces, as vezes assumindo cumplicidade perigosas em nome da falsa amizade. Infelizmente existe em nosso convívio social e eclesiástico. Alguns líderes até classifica isto como servos fiéis e obedientes. TÔ FORAM.

  7. Caro amigo e pastor Daladier,

    Simplesmente preciso, seu texto.
    A bajulação não é de Deus e ao mesmo tempo uma atitude lamentável. Estamos rodeados, dentro e fora da Igreja, mas dentro é pior, afinal é de se esperar que aqueles que andam carregando a Bíblia, pelo menos a lesses.
    Saúde & Paz!

  8. Caro amigo e pastor Daladier,

    Simplesmente preciso, seu texto.
    A bajulação não é de Deus e ao mesmo tempo uma atitude lamentável. Estamos rodeados, dentro e fora da Igreja, mas dentro é pior, afinal é de se esperar que aqueles que andam carregando a Bíblia, pelo menos a lesses.
    Saúde & Paz!

  9. Angeline Brandão disse:

    Não é de Deus, mesmo!!!
    Me sinto envergonhada quando presencio cenas como descreveu no artigo…e olhe que vejo muito!

  10. Fabio Henrique Fidelis de Arujo disse:

    Infelizmente em nosso meio tem esse tipo de pessoas fico mito triste, pessoas que não tem caráter e ficam procurando uma oportunidade para se promover, presenciei uma sena em que um cidadão que tem essa atitude praticamente se jogando no chão para comprimentar o líder, ele dizia sou o seu concervo, meu mestre e etc aja paciência.

  11. jose antonio da silva disse:

    não é de DEUS muitos estão sentados em cadeira por causa disto e muitos adoram ser bajulados porque tem como sinal de fidelidade a estratégia é elogios demorados inclusive a família almoço em casa restaurante e pizzaria os que não fazem são inimigos ás vezes punidos.

  12. Rárik Lima disse:

    Texto muito interessante. Acredito que tem muitas pessoas que tentam agradar e acabam bajulando até mesmo sem essas intenções descritas no texto….
    Contudo, respondendo a pergunta: bajulação não é de Deus!

  13. jose antonio da silva disse:

    é verdade meu irmão nem o apóstolo Pedro aceitou adoração livro at. cap. 10 v. 25 e 26 nem o anjo aceitou adoração.

  14. Melquisedeque disse:

    Não é Deus, não é de Deus, Não há amor nas palavras, gestos e atitudes do bajulador. Fico triste quando vejo cenas como essas, as vezes da vontade até de rir, com a criatividade do bajulador, talvez não seja nem criatividade, seja copia melhorada da atitude de outro bajulador. O que Deus quer de nós e um coração sincero, por favor, bajuladores, parem com essa prática,isso está te prejudicando moralmente.

  15. Otoniel Martins de Oliveira disse:

    Não! Não é de Deus e creio que a bajulação é uma porta de entrada para as mais sórdidas intenções. Com a bajulação busca -se o favoritismo, o apadrinhamento, a vista grossa, entre outras malignas anuências. Pode-se ver que o bajulado, fica “todo-poderoso” e sendo presidente, esquece que está à serviço do Reino e não dos seus intere$$e$.

  16. Alcides disse:

    Fico horrorizado com bajulação, principalmente por parte daqueles que deveriam ministrar a palavra de Deus ao povo, mas invés disso passam o tempo todo endeusando seu líder maior. Rsrsrs esses sim, conhecem todas as virtudes dos seus superiores, menos a Deus e a sua palavra. Lastimável…

  17. Fabio Henrique Fidelis disse:

    Infelizmente isso é a nossa realidade, e tem líderes que permitem esse tipo de situação deixando – se levar por palavras de elogio para agradar o seu ego!
    Paz do senho.

  18. Quando o prólogo de um pregador começa com a bajulação, bajulação essa travestida de “prestação de honra a quem tem honra”, é difícil absorver a pregação deste pregador, porque o tal mostra-se como uma árvore de fruto indesejável.

  19. André Vitor disse:

    Teve algo que me chamou a atenção no artigo, foi quando o senhor falou sobre a bajulação para esconder a sua incompetência. Infelizmente alguns líderes gostam da bajulação, em troca disso os bajuladores são colocados em determinados cargos dentro da igreja, levando toda a congregação a sofrer pela sua incompetência e falta de sabedoria. Estamos vivendo esta realidade.

  20. Daladier Lima disse:

    Infelizmente esta é a realidade de muitas cidades do Brasil.

    Abração!