Reflexões Daladier Lima

Com a palavra a CPAD

Garoto desmente livro onde relatou sua viagem ao paraíso após quase morrer

O adolescente Alex Malarkey, 10 anos, desmentiu, cinco anos depois, a história contada no livro “O Menino que Voltou do Céu” (Ed. CPAD, 2010), onde relata sua viagem até o paraíso, o encontro com Deus e o retorno à vida. A notícia foi publicada no site do jornal “New York Daily News”.
A suposta viagem ao céu teria ocorrido em 2004, após um gravíssimo acidente de carro quando ele tinha seis anos e que o deixou tetraplégico. Na ocasião, Alex ficou dois meses em coma e segundo seu relato, ele foi encaminhado por anjos até o paraíso.
“Eu não morri. Eu não fui para o paraíso”, escreveu em uma declaração oficial. O impressionante relato de Alex fez o livro entrar na lista dos mais vendidos do jornal “The New York Times” e virou até filme. “Eu disse que fui para o paraíso porque eu acho que estava querendo atenção. Quando eu fiz aquilo, eu nunca tinha lido a Bíblia. As pessoas têm lucrado com mentiras. E continuam lucrando”, completou.

A obra, inclusive, ajudou a inaugurar um novo filão literário, batizado pelo “The New York Times” como “heavenly tourism” (algo como turismo celestial). O filão já conta com best-sellers como “O Céu é de Verdade”, “90 Minutos no Céu”, “Cenas do Além” e “Meu Tempo No Céu”, todos relatando viagens ao paraíso.
“Nada escrito pelo homem pode ser infalível”, escreveu Alex. “Eu quero que todo o mundo saiba que a Bíblia é suficiente. Aqueles que comercializarem esses materiais devem ser chamados a arrepender-se e ter a Bíblia como suficiente”.
meninoceuA editora americana da obra, Tyndale House, disse ao jornal “Washington Post” que o livro será retirado de todas as livrarias e não será mais vendido. A edição brasileira está esgotada no fornecedor.
A mãe do garoto criticou a comercialização do livro e em uma declaração publicada em seu blog pessoal ela diz “É ao mesmo tempo intrigante e doloroso ver o livro não só continuar a vender mas, em sua maior parte, não ser questionado”.

Publicado no Pavablog

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Caro Dalardier

    Há muitos anos atrás, nos idos anos da década de 80 ou 90 – não me lembro bem a data e nem qual foi o motivo, talvez começar uma biblioteca para a minha filha recém-nascida, comprei um livro que deve ser este aí (se não for uma reedição o nome é parecido).

    Li e não apreciei nada, porque o texto era em formato de romance e seu vocabulário bem voltado ao público infantil… Mas, por circunstâncias que a vida nos leva eu dei esse livro para um jovem drogado que me disse, em tom de deboche, que se um dia “virasse crente” seria um pastor. Para minha alegria eu o reencontrei neste ano de 2015. Ele é pastor de uma igreja batista renovada, é um grande evangelista em áreas de favelados.

    Deus trabalha de maneiras inusitadas… Jamais pensei que aquela pessoa seria mesmo pastor evangélico. Ele me relatou que o livro lhe causou uma grande impressão e foi uma das portas que lhe fez querer aproximar-se de Deus.

    E.A.G.