Browse By

Desossando uma entrevista…

8 thoughts on “Desossando uma entrevista…”

  1. Murillo Vinagre says:

    Caro Blogueiro amigo,

    Em primeiro lugar parabéns pela postagem, hoje em dia muitos esqueceriam a entrevista, entrevista que eu também li.

    Sobre sua interpretação, tenho algumas criticas, principalmente levando em consideração sua fala inicial – todos podem ser criticados.

    Durante as eleições da CGADB, trabalhei assiduamente em favor do Pr. José Wellington, tive a oportunidade de estar em seu gabinete durante boa parte das plenárias e até mesmo no dia da eleição. De uma forma consideravelmente estranha, ao meu ver, o presidente era o mais tranquilo quando o assunto era a eleição, rs..

    Normalmente, aqui em São Paulo, ele sempre está de bom humor, mas em Brasília isso se superou e o Pastor manteve uma paz de espirito admirável.

    Como todos sabem, a imprensa fez uma cobertura espetacular do evento, e eu pude presenciar o Pr. José W. dando varias entrevistas.

    O tom que o senhor abordou foi muito correto, pra quem não conhece o pastor, mas por ter visto de perto, sinto-me no direito de defendê-lo dizendo que as contradições citadas em sua postagem ora foram faladas de forma descontraída, oram foram faladas com certa “astucia”, objetivando o reconhecimento da instituição.

    Observe os “[risos]” e figura de linguagem durante a entrevista, foram muito comuns, rs.

    Obrigado pela atenção,
    Murillo Vinagre.

  2. Fábio José Lima says:

    Daladier,

    Concordo com seus comentários e observações, parabéns pela análise, foi brilhante.

    A entrevista, na minha opinião, demonstra quem realmente é o Pr. JW.

    A conversa foi a respeito dele e de seus filhos, me parece (e aqui estou julgado mesmo) que ele tenta mostrar uma certa superioridade dele, e de seus filhos.

    Na minha opinião, ele falta com a verdade (mente mesmo), pois, na realidade, todos sabemos que a CGADB não tem participação nenhuma nas questões primordiais de nosso país, basta ver os acontecimentos da história recente sem nenhuma manifestação da entidade, parece que vive em outro planeta, quando se vê qualquer coisa parecida com uma manifestação é de forma tardia.

    É lamentável o discurso dele com relação ao Marco Feliciano, pois suas palavras demonstram (estou julgando novamente) que ele tem o mesmo como adversário político em função do filho, Pr. Paulo Freire.

    O que me causa mais espanto, agora fugindo um pouco da entrevista, é ler comentários pela blogosfera cristã que a vitória dele “foi a vontade de Deus” e que “foi a vitória da ortodoxia”.

    Pra não perder a oportunidade, não tinha lugar melhor pra publicar essa entrevista, seção PODER…

  3. Daladier Lima says:

    Prezado Murilo Vinagre, agradeço por seus comentários. Minha intenção não foi pessoal ao esmiuçar esta entrevista, mas dar relevo a pontos que estão nas entrelinhas. Pessoalmente, acho que o pastor esta descontraído demais a ponto de dar margem a interpretações equivocadas como aquela do Amazonas. Em tempos de lupa sobre nossas declarações ele teve sorte de não ter repercussão maior. É preciso vigiar, especialmente, quando se representam milhões de pessoas.

    Abraços!

  4. Daladier Lima says:

    Prezado Fábio José, de fato há pontos contraditórios na entrevista e que mereciam uma crítica mais dura.

    Abraços!

  5. Pastor Geremias Couto says:

    Meu caro ev. Daladier Lima:

    O seu destrinchar da entrevista não poderia ter sido melhor. Quem a leu e tem senso crítico preciso teve a mesma impressão. O presidente perdeu uma grande oportunidade! Mas suas afirmações revelam qual é o motor que move, hoje, a instituição Assembleia de Deus. Infelizmente!

    Abraços

  6. Daladier Lima says:

    De fato, Pr Geremias, a maior contribuição da entrevista foi entender esse modus operandis da CGADB, encabeçada pelo nobre pastor. É um modus vivendi que nada fica a dever à qualquer esfera do governo mundano. Outra coisa: nada de planos, projetos…

  7. André says:

    Olha irmão Daladier, qto a aclamação do pr. Câmara, caso JW não se candidate a CGADB em 2017, eu não acho nada demais, pois SC não é inferior em nada a JW. Pelo contrário ele representa a renovação e uam renovação para lehor!

    Luiz Aguiar

  8. JERRI Adriane says:

    Boa noite ! Para mim simples membro da AD fica claro que o negócio do distinto JW é fazer politica . Dá nojo de ver !!!!! Sou membro da igreja e digo que este Pastor não me representa, nem ele , nem ninguem que se comporte de maneira duvidosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: