EBD Daladier Lima

Dez coisas que você precisa entender sobre a próxima lição da EBD!

A próxima lição vai exigir muita atenção dos nobres professores. Já que o assunto é pura teologia faz-se necessário um debate mais aprofundado dos temas. Pretendemos ajudar. Trazemos abaixo dez coisas que você, professor, deve atentar:

1) Leia a lição toda – Só assim você terá uma visão panorâmica do assunto. Infelizmente, é um hábito pouco cultivado e o professor acaba ou misturando os assuntos ou complicando o entendimento do aluno. À medida que ler, vá fazendo suas anotações, destacando as partes mais importantes. Onde tiver dúvida, se cerque de bons livros e amplie sua pesquisa. Não se restrinja ao que diz a lição, mas também não invente o que não existe;

2) Leia a epístola aos Gálatas – É fundamental ler ou reler, se for o caso, todo o livro. Mas leia sem pressa. São somente seis capítulos e 149 versículos. Quem gostar de ler como eu terminar numa tarde. Mas não leia tão depressa. Vá digerindo a leitura e compreendendo as tensões do livro. Habitue-se a ter um caderninho para anotações, no mínimo umas folhas de papel em branco. Lance nelas as dúvidas e as colocações mais relevantes;

3) Informe-se sobre os judaizantes – Eles eram não um grupo externo à Igreja Primitiva, mas estavam ligados visceralmente à mesma. É fundamental compreender suas intenções: a) Ser um seguidor de Cristo e não abandonar a Lei; b) Fazer com que os gentios fossem submetidos aos rituais mosaicos; c) Colocar a religiosidade externa, com foco no ritual, acima do que está no coração. O centro da questão de Gálatas se refere às intenções deste grupo. O capítulo 1 do livro foca exatamente na tentativa de transformar o evangelho de Cristo em mais uma seita do Judaísmo;

4) Faça o link com os modernos judaizantes – Gente que enfatiza usos e costumes, instituições e denominações como essenciais para a salvação, que coloca o esforço humano acima do sacrifício de Cristo e coisas do gênero;

5) Leia As Obras da carne e o Fruto do Espírito de William Barclay – É uma leitura revigorante que vai te aprofundar no significado dos termos gregos envolvidos na trama de Gálatas 5:16ss além de toda a teologia necessária. É um livro esgotado, infelizmente, mas sempre tem uma cópia ou outra disponível para download em sites especializados. Não é uma prática encorajada pelo blog. A versão de que disponho é a mais antiga. A Vida Nova fez uma reimpressão e depois descontinuou o livro.

As obras da carne e o fruto do Espírito – William Barclay

6) Acesse nosso vídeo sobre os termos gregos – Preparamos um vídeo para auxiliar a pronúncia dos termos gregos envolvidos nas obras da carne e no fruto do espírito, assim você não ficará tateando na frente de sua classe ao encontrá-los;

7) Compreenda que já não há mais judeu, nem gentio, mas salvo – Em Cristo não há judeu, nem gentio, nem mulher, nem homem, nem escravo, nem livre, todos são tão somente e simplesmente salvos pela graça bendita de Cristo. “Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus (Gálatas 3:28)”. Os judeus pensavam se salvar pela descendência, os gentios pela vida desregrada e pela ignorância quanto às coisas de Deus. Cristo os nivelou!

8) Compreenda que a condição para alguém ser salvo é aceitar a Cristo – Esta é a condição sine qua non, não é descendência, nem sobrenome famoso, nem hierarquia, nem quanto paga ou dizima. João escreveu: “Disse-lhes Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai a não ser por mim (João 14:6)”. Na presente dispensação até mesmo os judeus que quiserem ser salvos precisam entregar sua vida a Cristo. Cuidado, porém, com uma vertente cristã chamada judaísmo messiânico, muitas de suas liturgias são ecos de Levítico e Números, portanto, judaizantes tanto quanto o grupo de Gálatas 1!

9) Compreenda que a Lei não pode salvar – Apesar da sua importância, especialmente, do ponto de vista cerimonial, a Lei apenas cobria pecados. Paulo em Gálatas traz a metáfora do aio, escravo que levava a criança à escola e, depois, trazia e ajudava nas tarefas escolares. Era o máximo que a Lei podia fazer por alguém: apontar o caminho. Cristo não cobriu pecados, ele os perdoou, apagando completamente a dívida (Colossenses 2:14)!

10) Compreenda que frutificar no Espírito não é parte de um exercício mental – Não é alheamento da realidade, nem alienação dela. A Igreja já tentou isso ao longo da História. É o caso dos monges em suas clausuras. As falhas históricas ainda hoje repercutem. Temos que viver no mundo e não nos misturarmos com ele. Sal salga por contato. Naquilo que falharmos temos um Advogado (I João 2:1) e se pedirmos com fé, seremos perdoados. Para viver em Espírito é preciso entregar-se a Cristo. Você verá, ao longo dos anos, que muitas vezes não resistiu, foi livrado!

E vamos em frente para um 2017 diferente. Com uma exposição mais abrangente!

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

12 Comentários

  1. Eduardo Juvenal disse:

    Paz do Senhor. Muito obrigado por esse suporte, muito valioso e esclarecedor. Dirigentes, professores e todos os amantes das Sagradas Escrituras agradecem. Forte abraço!!!!

  2. Eduardo Juvenal disse:

    Procurei o livro de William Barclay em livrarias, mas não encontrei. Consegui baixar, muito bom!!!!

  3. Claudio silva disse:

    Muito bom Pastor Daladier um material que vai auxiliar trazendo infirmações! Quanto ao livro ouvir falar mas não o encontrei

  4. Alexandre Yoshimi Tokiwa disse:

    Muito bom e de grande valia esse suporte…… Deus continue lhe abençoando.

  5. Deyvison Iraniel disse:

    Pastor Daladier se o senhor puder me diga um site pelo qual eu possa baixar o livro de William Barclay.

  6. Emília Asevedo disse:

    Excelente, como sempre pastor Daladier, Deus continue lhe usando para nos abençoar com seu blog!!!

  7. Daladier Lima disse:

    Coloca Obras da Carne e Fruto do Espírito Barclay pdf no Google.

    Abração!

  8. Williane Costa disse:

    Ótima explicação meu pastor. Que Deus continue abençoando.

  9. Emília Asevedo disse:

    Consegui baixar, muito bom o livro, estou lendo!!! Deus o abençoe!! Pastor.

  10. Danilo Silva disse:

    Maravilhosa Pastor, seus escritos tem sido de muita importância, nos ajudam muito.

  11. Danilo Silva disse:

    A princípio acredito que os usos e costumes tem sua importância, mas até que ponto são importantes?

  12. Daladier Lima disse:

    É complicado responder, porque depende da interlocução. A importância ocorre quando, por exemplo, delimitamos o comportamento de uma congregação. Assim ninguém pode dizer eu não sabia, ao transgredir uma norma. Usos e costumes, a rigor, são como a disposição dos itens de uma casa. Você tem um jeito peculiar de colocar o sofá, os jarros, as plantas, as cores. Se eu fosse morar em sua casa, não podia chegar e meter a mão porque não gosto dessa disposição.

    Abração!