Família Reflexões Daladier Lima

Evangélicos adultos carentes de amor no grupo de risco!

Prezados leitores, infelizmente, os casos de ciladas nos relacionamentos na internet se multiplicam entre os crentes. Com a adesão maciça às redes sociais a coisa só complica. Vem comigo!

Prezados 250 leitores, cresce a cada dia o número de divorciados em nossas igrejas. É impossível mudar essa realidade agora, mesmo nos ministérios que à revelia da Convenção Geral, no caso assembleiano,, impedem a comunhão e a filiação de irmãos em segundo casamento. Não vou relembrar o conteúdo de resoluções daquela entidade. O post tem outro objetivo.

A motivação para sua confecção vem da observação de alguns problemas que se manifestam nos últimos dias. É cada vez maior o número de evangélicos adultos que procuram redes sociais de relacionamentos. Como sabemos a balança tende sempre contra as mulheres. Desconheço estatísticas precisas, mas suponho que é dez vezes maior a probabilidade de um homem evangélico encontrar um novo relacionamento que uma de nossas irmãs. E se há filhos envolvidos no meio a coisa complica um pouco mais.

Recentemente, li duas manchetes sobre perigos na internet e redes sociais especializadas em paquera e relacionamento para pessoas adultas. Num dos casos uma senhora divorciada trouxe uma pessoa para sua casa, com a qual tinha marcado um encontro no Tinder ou algo assim. Ele acabou querendo sexo num primeiro encontro e de um jeito que ela não queria. Acabou machucada e se sentindo culpada. Noutro caso a mulher foi assassinada por um homem que conheceu via redes sociais. Creio que os casos se multiplicam, como é algo íntimo e doloroso as pessoas se retraem e as sub-notificações são abundantes.

Dias desses um amigo policial me segredou um caso de uma irmã que conheceu um estrangeiro, com o qual passou a se comunicar via internet. Ele parecia ser uma boa pessoa, somente para ganhar a confiança, daí passou a dizer que gostaria de visitá-la, mas estava sem condições financeiras. Pediu e conseguiu depósitos em dólar, etc. Até que a irmãzinha procurou a polícia desconfiada de uma fraude.

Da minha parte tenho aconselhado irmãs e irmãos que me procuram, saídos de relacionamentos malogrados, a procurarem um novo relacionamento. Há uma frase que tenho repetido: “Veja onde errou e evite os mesmos erros!”. Encontrou uma pessoa grosseira? Evite pessoas assim num novo relacionamento! Outra frase: “Não procure alguém apenas por necessidade sexual.” Esta carência pode ser uma arma mortal que irá lhe cegar em eventuais novos relacionamentos. Não podemos imaginar que uma pessoa divorciada ou viúva fique sozinha até morrer, somente porque o relacionamento anterior não deu certo ou o cônjuge faleceu. Não se trata de pragmatismo, mas de realidade. Portanto, se as redes espelham o dia a dia das pessoas, que sejam usadas para encontrar um segundo relacionamento. A rigor, não vejo problemas nisso!

O problema acontece, por exemplo, quando os paqueras adultos se sentem mais à vontade para falar e praticar sexo com um desconhecido ou namorado. Apesar da necessidade, Deus não condescende com práticas distantes de sua Palavra. Não é porque estou com fome que Deus vai fechar os olhos se invadir um Mc’Donalds! Dias atrás fui procurado por uma irmã para aconselhamento junto com minha esposa. Ela havia enviado alguns nudes (ou semi) para um eventual parceiro, da própria congregação. E, embora sua consciência lhe acusasse, ela buscava minha ajuda para que eu aliviasse a situação. Lembrei que o mundo virtual não prescinde do pecado. Mesmo lá devemos fazer tudo para a glória de Deus, tendo cuidado para que os laços malignos não prosperem. Ou seja, pecado é pecado, seja no mundo real ou virtual!

Há algumas recomendações básicas que julgo importante replicar para você que está em busca de um relacionamento no mundo virtual:

  1. Não repasse endereço e dados pessoais até a terceira ou quarta conversa e somente quando se sentir seguro(a) para isto;
  2. Nunca envie fotos pessoais ou de sua residência, dos lugares que frequenta, de imediato. Em caso de necessidade indique sua redes sociais;
  3. Cuidado com pessoas de outras países. Esses contos de fadas encontrados aos baldes na internet e nas novelas quase sempre NÃO funcionam na vida real;
  4. Desconfie de pessoas com boa condição financeira, especialmente, aqueles(as) que fazem questão de mencionar isso logo nas primeiras conversas;
  5. Jamais revele sua real condição financeira. Quem tem muito interesse no dinheiro que você tem, em seu salário, quanto ganha, que bens tem, geralmente, está mal intencionado(a);
  6. Nunca, absolutamente, nunca traga pessoas desconhecidas para sua casa, nem vá para a casa delas. Evite entrar no carro dele/dela num primeiro momento;
  7. Converse com o interlocutor por webcam para evitar problemas com imagens irreais. Isso serve para descobrir se aquela pessoa é quem realmente diz ser;
  8. Marque encontros em lugares movimentados como igrejas, shoppings e grandes restaurantes;
  9. Cheque os pequenos dados repassados. Mantenha o desconfiômetro ligado;
  10. Procure conhecer a rede familiar do seu interlocutor. Uma rede social como o Facebook, por exemplo, mantém uma área com os familiares. Desconfie de quem não tem ninguém ali;
  11. Certifique-se que a pessoa na qual você está interessado(a) está realmente solteira. Hoje em dia é mais fácil checar essa informação a partir das fotos de uma timeline, por exemplo. Na dúvida, aguarde e/ou pergunte a outros amigos daquela pessoa;
  12. Com o passar dos dias, procure conversar ao telefone antes de marcar um encontro pessoal;
  13. Preste atenção às mentiras e contradições. Numa ocasião mora num lugar, noutra mora em outro lugar. Idade, gostos, nome de familiares. Anote tudo para checar a qualquer momento. É abundante o caso de falsos perfis para pescar incautos e carentes;
  14. Na hipótese de marcar encontro avise a amigos para onde está indo;
  15. Confirme se a pessoa com a qual você está em conversas é um crente verdadeiro. Que tal solicitar o telefone do pastor dele?
  16. Formalize o relacionamento antes de algum envolvimento sexual. Muita gente apressada tem quebrado a cara e sido deixada(o) envergonhada(o);
  17. Se houver algum tipo de envolvimento sexual fora do casamento procure seu pastor e suporte a disciplina;
  18. Num tempo de pedófilos por toda parte, tenha cuidado com seus filhos, sejam eles do sexo masculino ou feminino. Não é raro encontrar filhos abusados sexualmente, por um parceiro num novo casamento. Isto vale tanto para filhos, quanto filhas;
  19. Tenha paciência. Invista no relacionamento e se Deus estiver em primeiro lugar, vai dar tudo certo!

Concluindo…

Infelizmente, os casos se repetem, mas as pessoas cometem os mesmos erros. Penso que não é por falta de alerta ou por desconhecimento.

Se puder repasse aos seus amigos!

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Miqueas Cipriano disse:

    Parabéns por mais um brilhante artigo!