Fugindo da auto-suficiência

Li em algum lugar uma certa parábola, que já foi até utilizada aqui em outro contexto. Contava que um homem queria contratar um cocheiro novo para sua carruagem. Vários candidatos apareceram. O teste era simples. O contratador perguntava:
– Quantos metros você se garante antes de desviar uma carruagem de um abismo?
– Dois metros – disse o primeiro.
Ao sair, topou com os outros candidatos e lhes contou como era o teste. Daí em diante cada um começou a se gabar mais.
– Um metro e meio.
– Um metro e vinte.
– Meio metro.
Por último, entrou um candidato que respondeu o seguinte:
– De abismo eu quero é distância.
Foi contratado.

A auto-suficiência é a tônica desses dias desafiadores: Crentes sem medo do pecado, cheios de si, auto-suficientes. E há muitos obreiros entre eles. O Salmo 1:1 é um retrato primoroso do passo a passo para a ruína espiritual. Diz assim: Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Os três verbos hebraicos são de especial importância para o desenvolvimento do tema.


O primeiro verbo, halach, ocorre 1.549 vezes em suas variadas formas. Significa ir, vir, andar. Em várias passagens denota não apenas o aspecto físico do deslocamento, mas a associação nas ideias e comportamentos. O exemplo clássico está em Gênesis 5, aonde está escrito que Enoque andou com Deus.

A segunda palavra é amad, que ocorre 525 vezes. É o verbo que denota a ação de parar, deter-se, estagnar-se, acampar. Por vezes, sua conotação é positiva, como em Gênesis 19:27 e Deuteronômio 4:10.

O terceiro verbo é yashav, significa sentar, habitar, assentar habitação. Ocorre 1082 vezes em suas várias acepções. É o verbo utilizado em Gênesis 13:12: Habitou Abrão na terra de Canaã e Ló habitou nas cidades da campina, e armou as suas tendas até Sodoma.

A questão levantada é a progressão no pecado. Não se cai do dia pra noite, se dá um passo a cada dia. Paulo escrevendo ao Coríntios, alertou: Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia (I Coríntios 10:12). Primeiro, andamos no conselho dos ímpios, depois nos detemos a ouvir suas ofertas e, por fim, nos achamos assentados em seus prazeres.

Conheci um homem que aceitou Jesus muitas vezes e todas fracassou. Seu fraco era a bebida. Após decidir-se, afastava-se dos bares e similares. Mas um amigo ou outro sempre o chamava. Ele, primeiro, tomava um refrigerante a mesma mesa em que bebiam cerveja ou cachaça. Dias depois não aguentava e caía. Fujamos por nossa própria vida!

Clique aqui para ouvir o Salmo todo em hebraico.

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!