Sem categoria

Mais Reinaldo e menos censura

Tenho dito aqui que o rapaz nos defende melhor que TODOS os congressistas evangélicos juntos. Dúvidas? Então, continue lendo e siga o link:
Amplos setores da imprensa tentaram cassar dos evangélicos o direito de dizer “não”. Agrediram os fatos, a democracia e os seus leitores
Vejam esta imagem.
A grande imprensa brasileira, com as exceções costumeiras, escreveu um capítulo vergonhoso de sua história na quarta-feira. Cerca de 70 mil pessoas — segundo estimativas da Polícia Militar do Distrito Federal (nesta sexta, publicarei um vídeo; aguardem um pouco) — participaram de uma manifestação em Brasília em defesa da liberdade de expressão, da liberdade religiosa, da família tradicional e da vida (leia-se: contra o aborto). Num dia útil, certamente arcando com o custo de faltar ao trabalho — ninguém ali tinha o “ponto” abonado nem estava sendo pago por partido —, milhares de pessoas atenderam à convocação de diversas denominações cristãs para expressar o seu ponto de vista sobre temas que estão em debate na sociedade e que são do interesse dos brasileiros. Não obstante, aquelas 70 mil pessoas foram praticamente ignoradas pelo jornalismo. A IRONIA: UMA DAS PALAVRAS DE ORDEM DA CONCENTRAÇÃO ERA ESTA: CONTRA O CONTROLE DA MÍDIA.
Reproduzo palavras do pastor Silas Malafaia, um dos organizadores do evento:
“Senhores da imprensa, nós, que somos chamados de fundamentalistas, queremos uma imprensa livre até para falar mal de nós. Nós não queremos cercear imprensa, não. Agora, eu fico vendo esses esquerdopatas, que querem o controle da mídia para controlar o conteúdo… Eles estão pensando que o Brasil é Nicarágua, Venezuela, Bolívia, Equador e Argentina. Aqui, não! Imprensa livre, sempre livre!”

Continua aqui

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

1 Comentário

  1. Unknown disse:

    Falar sobre controle midiático no Brasil virou tabu… Porque não seguimos as legislações Americana ou a vigente na Inglaterra?

    Estes países tem legislações que proíbem a propriedade cruzada por exemplo…

    O que seria das organizações globo se ela só pudesse ter apenas a tv, o jornal, ou a rádio?

    Não sei dela mas com certeza a comunicação no Brasil seria muito mais democrática!!

    Nos EUA também não se pode ter tv’s em todos os estados…

    A Fox não é nacional, nem nenhuma outra… Tv’s locais reproduzem o conteúdo dela mas os donos são outros…

    O que seria da Globo sem a imposição do conteúdo em todo o país? Não sei mas a comunicação no Brasil seria mais democrática!!

    Porque não separamos as coisas? Porque temos que ser usados como massa de manobra nesse assunto?

    Regular conteúdo é errado mas regular a mídia no Brasil é mais do que urgente!!

    A quem serve a concentração da mídia nacional?

    A argentina fez a mesma coisa… Ela não impediu o Clárin de continuar mas com o desmembramento do grupo eles não conseguiram sobreviver… Opção deles em não quererem focar em apenas um nicho de comunicação…

    O caso da Inglatera é ainda mais emblemático… Um jornal foi pego envolvido com escutas ilegais e com isso eles endureceram a legislação para que isso não mais acontecesse…

    No Brasil o jornalista Policarpo, totalmente ligado ao Carlinhos Cachoeira que usava de modos escusos para conseguir “notícias” para ele e a Revista Veja não teve nenhuma punição e a Revista? Zero!! E foi chamado a depôr na CPI? Não!!

    Esse é o nosso Brasil…

    O tempo é senhor das coisas… Grandes jornais estão falindo por não estarem mais vendendo jornais… A folha e o estadão estão demitindo funcionários e suprimindo cadernos… A Abril entre acabar com a Veja ou a Playboy optou por manter a Veja… Dos dois esgotos ao menos um sobreviverá… Outras revistas do grupo deixarão de existir e outras serão suprimidas… Apenas o tempo…