Me diga se eu tenho razão!

Prezados, quarenta leitores, eu gostaria, sinceramente, que vocês me repreendessem. Sim! Isso mesmo! Me repreendam mediante o assunto que vou abordar. A única condição é você me apresentar um argumento lógico e razoável. Garanto uma boa dose de humildade para compreender suas colocações. Podemos seguir!?

Vai haver um Dia de Clamor pelo Brasil nas Assembleia de Deus. É nacional e todos os assembleianos estarão envolvidos, inclusive eu. Ressalvo, de partida, não ter absolutamente nada contra campanhas do tipo, exceto, uns senões aqui e ali. É que, via de regra, naquele dia todo mundo se envolve, depois tomam chá de sumiço.

Quando eu assumi algumas congregações, ouvi muitos conselhos sobre oração: “Faça uma Semana de Oração”, “Promova uma Vigília de Oração”. Fizemos a semana, aliás, fizemos várias semanas ao longo dos anos. Com o passar do tempo percebi que a maioria das pessoas que compareciam eram as irmãs do Círculo de Oração, que já oravam duas vezes na semana, num dia oito horas, noutro mais quatro. Ou seja, gente já sacrificada, fazia um esforço adicional para atender à minha convocação, enquanto muitos daqueles que sugeriam os trabalhos nem passavam pela frente da Igreja! Passei a priorizar um trabalho rotineiro que temos toda semana. Ou seja, quer orar? Vem aqui toda segunda. Ponto final! Quem vinha? Os que já gostavam de orar e outros que queriam cumprir tal ordenança. Nada de oba, oba. E a quem vinha sugerir eu retrucava: “Temos oração toda segunda aqui”! Tem tempo durante o dia? Venha ajudar às irmãs do Círculo de Oração!

Corta para o Dia de Clamor pelo Brasil, vamos a parte da descrição:

Clamor pelo Brasil CGADB

Clamor pelo Brasil CGADB

No final do ano, a CGADB e a CPAD, nas pessoas dos seus respectivos presidentes, os pastores José Wellington Bezerra da Costa e José Wellington Costa Junior, estabeleceram o dia 2 de fevereiro de 2016 como o Dia de Clamor pelo Brasil. Todos os assembleianos do país são conclamados a participarem desse grande clamor nacional, cujos alvos são vários e extremamente importantes. Para começar, o Brasil atravessa uma das maiores crises de sua história. É uma crise política, econômica, social, moral e espiritual: nunca houve tantos casos de corrupção em nosso país como agora, batendo, em cifras e com folga, conforme relatos da própria imprensa internacional, todos os principais casos de corrupção que se tem conhecimento na história universal; nosso país também enfrenta uma das maiores crises econômicas de sua história e, apesar disso, ainda não foram tomadas medidas concretas para acertar os rumos da economia do país; e como se não bastasse isso, ainda vivemos em uma instabilidade política que se estende há mais de um ano, gerando incertezas que afetam ainda mais a nossa economia.

Oops! A CPAD estabelecer um dia de oração!? Não sei… não é algo meio fora de contexto? Apesar de servir à AD, quem deveria estabelecer uma data não deveria ser o orgão máximo da denominação em comum acordo com os componentes de sua administração e/ou pastores presidentes nacionais? Não é teoria conspiratória, mas por que envolver a empresa se a atividade é da Igreja?

Mas, sigamos…  Que dia mesmo? 02 de fevereiro. Além da óbvia pressa, algo meio destrambelhado, mas perfeitamente possível em termos assembleianos, temos uma data que cai numa terça! Uma iniciativa sem planejamento acaba não levando em conta todas as variáveis. Por que não num domingo? A maioria de nossos membros estaria disponível e o aproveitamento seria muito maior, fazendo um jejum logo cedo. Se é para fazer de supetão (anunciaram em 12/01), por que não 31/01!? A pergunta que não quer calar é: Ninguém teve a iniciativa de questionar a terça!?

Continue lendo o convite. Ele menciona poucos dos problemas eclesiásticos da AD:

E, por fim, na área espiritual, vemos a igreja evangélica no Brasil, como um todo, precisando de um despertamento espiritual. A condescendência com o mundo, um “evangelho” da autoajuda a prosperar em muitos lugares, a perda de integridade, a banalização da mensagem do Evangelho, sem falar dos problemas e ataques que vêm de fora contra a igreja, na forma de projetos de lei e discursos que se chocam frontalmente contra os valores e a mensagem cristãos.

Má gestão, desvios doutrinários, desunião, dissimulação, arrogância, soberba, desvios financeiros e por aí vai, foram esquecidos. Ouvi em algum lugar que um país doente revela uma igreja doente. Então, somos parte do problema! A igreja brasileira está precisando de arrependimento! É o ponto de inflexão para mudar a vida, a história, o País! Oremos depois por santidade, maturidade e um testemunho consistente da liderança. E otras cositas más.

Sinto-me tentado a comprar uma passagem aérea e visitar alguns dos grandes templos assembleianos neste dia, para fazer um levantamento estatístico da participação nesta convocação. Mas vamos, vamos orar, que é bom e bíblico, além de necessário diante de vendas, dízimos e ofertas em queda!

Aguardo seu puxão de orelhas!

Clique aqui para acessar a matéria completa na CPADNews!


Sem título

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

6 Comentários

  1. José Edis disse:

    Plenamente de acordo, nada a acrescentar.

  2. vanaildo antonio disse:

    MEU QUERIDO EU N TENHO COMO REPRENDER, VC FALOU MAIS Q NADA A VDDE. TENHO Q APOIALO.

  3. Emília Ghislene disse:

    Concordo com tudo que o senhor escreveu, não precisamos sacrificar mais ainda o povo, para orar, em um dia que não tem nada a ver!!!! Com a realidade do povão!!! Já existem trabalhos de oração que são muito carentes, precisamos é clamar todos os dias para Deus tirar a corrupção de dentro da igreja, ainda bem que salvação é individual, porque estou muito decepcionada!!!!

  4. Rárikmilkrai disse:

    Eu estava pensando justamente em algumas coisas que o senhor falou… Interessante que estudei esses dias, e a lição falava justamente que os nossos maiores opositores estão dentro das Igrejas. Acho que reforçar a oração fixa durante a semana e incentivar os irmãos a perseverar nesse trabalho seria muito mais válido…
    A Brasil Para Cristo faz um clamor de 12 dias todos os anos. Ao longos do tempo, percebe-se o desinteresse dos irmãos, todavia é um costume de décadas (eu não sei o tempo exato), mas o interessante é que o conselho nacional (formado por vários pastores) não designa uma data; cada Igreja se organiza nos primeiros dias de Janeiro, conforme um roteiro de clamor entregues a todos os pastores do Brasil.

  5. LUCAS ANTÔNIO disse:

    Caro Pr. e professor, Por que nossa igreja não resolve primeiro o problema da oração (me compreenda quando coloco oração como problema, pois sei que a oração nunca será problema e sim solução), é fato que nossos cultos de orações estão sofrendo (muitas congregações ao ponto de ter uma dezena de crente e por muitas vezes os escalados nem vão tirar as suas escalas, falo da minha realidade e convívio). pois é bem melhor ir para um culto de avivamento do que ir a um culto de oração, é bem melhor ir para um culto onde tem cantor e pregador de renome do que ir a um culto chato de oração( essa é a mentalidade de muitos). Cade as lideranças, em se mobilizar para resolver os problemas dos cultos de orações oficiais. Alguns estão tentando resolver este problema colocando as orações oficiais em um dia só em todas as congregações de domínio. É uma ideia valida, que possamos fazer alguma coisa pois sem oração e ação a coisa não anda.

  6. Miguel A Lisboa Jr disse:

    Seu texto é digno de comentários irrepreensíveis!!!