Sem categoria

O Livro da Vida (contra calvinistas e arminianos)

Uma boa discussão pescada do Blog Cristianismo Puro, do Gyordano Montenegro:

O livro de Apocalipse é provavelmente o livro bíblico de mais difícil interpretação. Seu texto relata as visões que teve um certo cristão de origem judaica que chama si mesmo simplesmente “João” (1:9), ao qual parte da tradição cristã desde bem cedo identificou como o Apóstolo João. São visões impressionantes sobre a perseguição da Igreja (sendo o vidente, ele mesmo, um dos perseguidos), sobre a destruição das forças (espirituais e políticas) que se opõem a Deus, a punição dos pecadores, sobre a felicidade perpétua dos santos, a renovação da Criação, assim como sobre o triunfo final e absoluto do Reino de Cristo.

O livro mostra eventos que já haviam ocorrido (como a vida de Jesus, 12:5), assim como eventos que estavam para ocorrer em um futuro mais distante (como o Juízo Final, 20:5ss). Dentre os símbolos apresentados no livro do Apocalipse está o Livro da Vida do Cordeiro. Embora nenhuma parte do livro se dedique a descrever em detalhes o livro, a sua imagem geral aparece ao longo de vários textos:

“O que vencer será vestido de vestes brancas,
e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida;
e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.”
(Apocalipse 3:5)

“E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra,
esses cujo nome não está escrito desde a fundação do mundo
no livro da vida do Cordeiro que foi morto .”
(Apocalipse 13:8)

“A besta que viste foi e já não é,
e há de subir do abismo,
e irá à perdição;
e os que habitam na terra
(cujo nome não está escrito no livro da vida, desde a fundação do mundo)
se admirarão, vendo a besta que era e já não é, mas que virá.”
(Apocalipse 17:8)

12 E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus,
e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida.
E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros,
segundo as suas obras.
15 E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.
(Apocalipse 20:12,15)

“E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira;
mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.”
(Apocalipse 21:27)

Dos textos apresentados, pode-se deduzir que:
1) O Livro da Vida tem o nome de todos os que estão destinados para o Reino (3:5; 20:12,15).
2) Os que estão fora do Livro estão condenados (20:12,15).
3) Os nomes já estão escritos desde o princípio do mundo (13:8; 17:8)
4) O nome pode ser riscado do livro (3:5).

A imagem do Livro da Vida é claramente predestinária (o que não é incomum para a literatura apocalíptica). Nesse sentido, o Livro da Vida simplesmente não se encaixa no esquema arminiano. Em uma interpretação arminiana, o Livro da Vida poderia representar duas coisas. Por um lado, ele poderia representar a presciência de Deus, isto é, o fato de que Deus de antemão já saberia quem iria perseverar quem não iria (propter praevisa merita). Entretanto, essa possibilidade deve ser descartada exatamente pelo fato de que os nomes são riscados do livro, ao passo de que eles não são escritos nele (eles já estão escritos desde o princípio). Assim, dentro da lógica arminiana, os nomes não poderiam ser ‘tirados’ do livro; só deveria constar os nomes daqueles que Deus soubesse que perseverariam (aquele que vencer).

Por outro lado, o Livro poderia (ainda dentro da lógica arminana) representar o conjunto de todos aqueles que, em um dado momento, são fiéis; mas isso não é totalmente verdadeiro, porque os nomes dos fiéis já estão lá desde o princípio dos tempos, não sendo posteriormente adicionados. Ou seja, o livro não segue sendo “escrito” conforme as conversões ocorrem; pelo contrário, os nomes já estão lá, os nomes de todos os que herdarão o Reino e a vida eterna.

Interessantemente, o livro contradiz a concepção de predestinação reformada/calvinista pelo mesmo motivoque ele contradiz a primeira possibilidade arminana. Isso se dá porque a doutrina calvinista da “Perseverança dos Santos” não admite que um converso possa cair da graça, mas no Apocalipse de João claramente o nome de um dos que um dia não receberão a vida eterna está entre os nomes dos que receberão.

Tanto o arminianismo quanto o calvinismo admitem apenas duas classes de pessoas, com respeito à predestinação:

No arminianismo:
a) Aqueles de quem Deus prevê a perseverança.
b) Aqueles de quem Deus não prevê a perseverança.

No calvinismo:
a) Os predestinados para a vida eterna.
b) Os não predestinados para a vida eterna (réprobos).

Pelo contrário, no esquema predestinário do Apocalipse há três possibilidades, três classes de pessoas:
a) Não riscados: Perseveram.
b) Riscados: Não perseveram.
c) Nunca tiveram o nome no livro: Não predestinados para a vida eterna (réprobos).


A imagem de um livro nos céus com o nome dos salvos não é exclusiva do Apocalipse. Na realidade, ela aparece também nas palavras de Jesus:

Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus. (Lucas 10:20)

Interessantemente, Jesus diz isso mesmo antes de que Pedro se convertesse (Lucas 22:32), o que se encaixa perfeitamente no esquema deduzido do Apocalipse.

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

  1. JERRI Adriane disse:

    O nosso DEUS é insondavel, arminiano ou calvinista ? Uma discussão ao meu ver tola, debate interminavel, enfadonho. JESUS É A NOSSA ESPERANÇA!!!!!!

  2. Crismacleiton disse:

    Graça e paz amado irmão vemos claramente que ali se refere a admiração e adoração a besta ou seja pessoas que não creram em Jesus no século 1 na perseguição aos cristãos.