Browse By

O que sai do púlpito prejudica a Igreja?

5 thoughts on “O que sai do púlpito prejudica a Igreja?”

  1. Roberto Rocha says:

    Você tá equivocado.amigo ! O primeiro a usar o pulpito não foi a igreja católia e sim o sacerdote Esdras,quando foi covocado por Neemias para transmitir a lei do Senhor ao povo pós exílio! Ainda que improvisado.ele foi o primeiro!

  2. Daladier Lima says:

    Meu nobre,

    Ali não era igreja. A Igreja Primitiva se reunia em casas, não havia púlpitos.

    Abração!

  3. Miqueas Cipriano says:

    Rssssssssssssss. Estou rindo de um certo comentário. Parabéns meu Pastor por mais uma relevante postagem, aliás, é brilhante sua forma de abordar uma temática, algo bem sistemático com tópicos que ajuda a situar o leitor. Pontuando um algo a mais e que é bastante presente em nossos templos, quando o assunto é o púlpito. Há muitos fulanos que tratam o púlpito da igreja como o Santo dos Santos, uns agem inconscientemente e nem percebem tal veneração. Outro dia, chamei um Cristão para assentar no púlpito a fim de honra-lo, ao subir no púlpito o mesmo ajoelhou-se mais uma vez, cheguei a pensar que a oração do mesmo ao chegar no templo não obtivera efeito algum, mas, depois perguntei a ele o por que tinha se ajoelhado novamente, e ele me disse: “o púlpito é coisa seria”. Calei-me e dei uma gargalhada por dentro para não assustar o São Cristão que acabara de subir ao púlpito.

  4. Marcelo Edson says:

    Rapaz, meu amigo pastor Daladier é um verdadeiro escriba profético.
    Muito bom. Parabéns.

  5. Eliseu Antonio Gomes says:

    Caro Daladier Santos

    Eu não tenho a menor dúvida. Muitas manifestações realizadas nos púlpitos das igrejas evangélicas não têm origem espiritual, representam 100% de carnalidade. Uma grande parte da liderança evangélica se parece mais com os líderes do movimento que levou Jesus à condenação e Barrabás à liberdade do que com o próprio Filho de Deus.

    Nós sabemos, existem ótimos oradores, muito bem preparados para pregar em nossas igrejas. Eles sabem seguir os passos perfeitamente: Primeiro fazem a introdução se dirigindo ao pastor local, postando-se de lado e olhando para o dirigente do culto; depois olhando para a nave do templo contando uma piadinha leve para a audiência se descontrair; em seguida, discorrem algo do conteúdo bíblico com voz baixa e ritmo lento e aos poucos elevam a voz e imprimem velocidade na fala, com o propósito de emocionar o público e depois dizer que a emoção coletiva é a ação do Espírito Santo. Além disso, em alguns casos até o teor da mensagem apresentada é um plágio descarado.

    É fácil perceber o quão raso eles são no quesito espiritualidade, se prestamos atenção no que eles fazem e não apenas no que dizem ao microfone.

    Não aprecio este comportamento padronizado desses “ministros da palavra”, porque mostram fraqueza de personalidade. Deus nos dá personalidade para que em nossa característica individual o glorifiquemos como o Criador de todas as coisas.

    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: