Browse By

Oremos por Carrapateira/PB!

4 thoughts on “Oremos por Carrapateira/PB!”

  1. Fabio says:

    A Paz Ministro!!! Infelizmente o que muitas igrejas preferem é enviar missionário para igrejas lá fora ,aonde já tem pastor,que “Missão é essa”?

  2. Jetúlio Luz says:

    Paz!

    Infelizmente, essa é uma realidade que se arrasta, nas ADs, desde 1918 (pra ser bonzinho ), se levar em conta as Históricas, ai que é um descaso mesmo! As nossas igrejas, historicamente, só enxergam Jerusalém e esquecem dos arrabaldes. Mesmo uma igreja centanária como a nossa (olhando mais para o nosso quintal), somo deficientes quanto a missões nacional; não adianta olhar a Janela 10×40 no leste europeu, se temos uma “porta” diante de nossos olhos. O império tem que ruir para que surja uma igreja!

    Abraço,

    Jetúlio Luz!

  3. Roberto Rocha says:

    Quando Daniel e Gunnar ,começaram a obra missionária no Brasil e apesar de ter muitas terras para evangelizar,eles enviaram um missionário para Portugal. Se fosse nos dias de hoje com certeza eles seriam criticados! Então missão não é só em Jerusalém e nem somente em Samaria! Se nestas cidades pequena do nordeste tem uma AD,com certeza existe uma convenção regional que comanda esta pequena igreja e esta convenção tem por obrigação, dar todo apoio a esta igreja pequena,organizando um mutirão evangelístico de quando em quando, levando a palavra e tb ajuda social em todos os sentidos,já que os nordestino são um povo sofrido! E isto não missão para a CGADB e sim da convenção regional , e quem sabe até eles já fazem isto,pq sei que existem lugares que o povo é tremendamente fechados para o evangelho e não aceitam de forma nenhuma a mensagem da salvação ! Já preguei em lugares assim que vc faz o trabalho como este,eles fecham a porta e não aparece uma alma viva para ouvir a palavra!

  4. Daladier Lima says:

    Esta é a premissa: Missão em qualquer parte. Só gostaria que você me respondesse algumas coisas: Primeiro, por que tanta “alegria” em enviar um missionário transnacional e pouca “alegria” ao enviar um missionário ao Sertão? Segundo, por que incentivar a igreja a resolver a sede de salvação em outros países e não temos o mesmo incentivo quando o destino é aqui? Terceiro, por que um esforço financeiro tão grande para enviar um missionário ao Exterior e uma penúria com aqueles no Sertão e na Amazônia?

    Eu sei que há muitas iniciativas pioneiras no Sertão brasileiro e na Amazônia. Por isso, discordo de que devamos poupar a CGADB e UMADENE, para falar dos assembleianos, do esforço de unir os mais diversos ministérios nas ações que foram citadas. Restará o que para elas? O convescote!?

    Abração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: