Os perigos da interpretação escatológica – Parte 1

A escatologia é fascinante. Boa parte deste fascínio decorre da redenção. Nosso mundo utópico e cheio de problemas seria substituído por outro melhor e sem as incoerências que vivenciamos. Os perigos, porém, desta interpretação são evidentes. Queremos, sim, um mundo melhor, mas este não pode acontecer segundo nossos parâmetros do que é “melhor”.

O primeiro grande perigo (e não há gradação nesta série de posts) é a cosmovisão pessoal e/ou denominacional. O que deve nos interessar, em primeiro lugar, é o que a Bíblia diz e não no que acredita um escritor famoso, nosso líder ou nós mesmos. A cosmovisão, trocando em miúdos, é nossa forma de ver o mundo, inclusive o vindouro. Daí que os mórmons, por exemplo, esperem que os EUA sejam a capital mundial escatológica. Então nada restará para os demais. Aliás, esta visão impregna a doutrina desde o nascedouro.

A interpretação escatológica deve seguir os saudáveis parâmetros hermenêuticos e exegéticos. Do contrário é apenas conveniência e conformação aos caprichos de pessoas. Deus fará com que sua vontade seja cumprida. Ele já tem dito qual será. Onde se calou é porque achou melhor nos omitir. Não adianta procurar onde não tem! Ao replicarmos equívocos, em breve não precisaremos da Bíblia, mas de determinados livros que se insiram no que acreditamos que o Céu ou os eventos futuros devem satisfazer.

Há um ditado evangélico que diz: “A Bíblia é o único livro cujo autor está perto de quem o lê!”. A questão é: queremos ouvir o que o autor tem a dizer? Ou já vamos cheios de preconceitos ao livro? Não funciona. Boa parte da moçada que está falando sobre escatologia hoje em dia, nunca procurou fazer a interpretação a partir de sua própria leitura do que a Bíblia diz. Nesta seara a postura bereana nunca foi tão bem vinda como agora!

Que nossa cosmovisão se conforme ao que diz a Palavra e não contrário!

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

4 Comentários

  1. Muito bom! A exegese e a doutrina das últimas coisas precisam andar de mãos dadas (ou juntas)

    Vou aguardar as futuras partes desse série! Deus te abençoe nobre amigo. Parabéns pelo post….

  2. Márcio da Cruz disse:

    Sendo assim, taquemos a cara na Bíblia e botemos a gordura mental pra chorar e vamos buscar conhecer a vontade escatológica de Deus!!! 🙂
    O Senhor te abençoe, meu irmão!!!

    A Paz do Senhor!!!

  3. Web Hosting disse:

    Na maior parte das crencas, acredita-se que tal julgamento sera feito no final dos tempos, apos o fim da raca humana, em um outro plano espiritual. Porem sao muitos os que creem que ainda vivos poderao estar sendo julgados, como os cristaos que esperam a vinda do Messias por uma segunda vez, crendo que poderao receber a recompensa prometida ainda em vida.

  4. Por crer e pregar o que a Bíblia nos diz acerca ds Bendita esperança, estou sendo chamado de herege e outros termos…além de ser orientado a deixar a dominação,por continuar a pregar sobre a volta do Senhor Jesus como a Bíblia diz.