Por que Paulo quis ir à Espanha?

Ontem, li e reli o capítulo 15 de Romanos, no meu plano de leitura. A certa altura Paulo fala de uma provável viagem à Espanha. Ele faz esta referência em dois versículos:

Quando partir para Espanha irei ter convosco; pois espero que de passagem vos verei, e que para lá seja encaminhado por vós, depois de ter gozado um pouco da vossa companhia (v. 24).

Assim que, concluído isto, e havendo-lhes consignado este fruto, de lá, passando por vós, irei à Espanha (v. 28).

É intrigante que dentre tantos destinos possíveis Paulo queira ir para lá. E que ele faça tal declaração aos crentes em Roma é mais interessante ainda. Preste atenção no mapa abaixo como Roma e Espanha estavam perto, coisa de 1.000km.

De Roma à Espanha

De Roma à Espanha

E mais intrigante ainda é a explicação de William Barclay:

A Espanha era nada mais que o lar de inúmeros filósofos de sua época e nomes proeminentes tinham origem naquele país. Havia Marcial, o mestre dos epigramas. Lucano, o poeta épico. Columela e Pomponio Mela, grandes figuras da literatura romana. Quintiliano, o mestre da oratória romana. E, sobretudo, Sêneca, o maior dos filósofos estóicos romanos, tutor do imperador Nero e primeiro-ministro do Império Romano.

Filósofos espanhóis

Pela ordem: Marcial, Lucano, Columela, Pomponio, Quintiliano e Sêneca

Donde concluímos que a intenção de Paulo era pregar no país que representava a nata inteligência de então. Mas a Espanha também era o limite da Europa, junto a Portugal e dominava o Estreito de Gilbratar. Certamente, uma decisão estratégica.

Oremos por mais estratégia para nossa igreja!

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!