Reflexões Daladier Lima

Romanos – Palavras chave – Doulos

Prezados, estou com pouco tempo. Mas gostaria de abençoar sua vida com uma pequena análise de algumas palavras chave do livro de Romanos. A primeira delas é:

Lê-se, dulós

Lê-se, dulós

É uma palavra que ocorre 124 vezes no Novo Testamento grego. Significa primariamente servo. No mundo do NT denotava o escravo, cuja vida estava nas mãos do seu senhor. De uma maneira especial o termo veio a simbolizar o serviço cristão, por natureza voluntário e exigente em doação. Em Romanos a palavra é utilizada 5 vezes (Romanos 1:1, 6:16, 17, 20). Nas cartas paulinas nada menos que 30.

Uma das mais impressionantes aplicações do termo está na carta paulina à igreja em Filipos, 2:7: “Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens”. Cristo não apenas se humilhou, mas ocupou um lugar nos estratos sociais mais baixos entre os homens.

Em Romanos, Paulo se compara a alguém que está à disposição de seu senhor. Como servo de Jesus Cristo ele vai fazer tudo para agradá-lo, vai lutar suas causas e fazer tudo para honra e glória do seu nome. Em 6:16,17 ele desenvolve o raciocínio do reino: “Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues”. Se não amamos servir a Deus, se o trabalho em sua Obra é um fardo, nada faremos de bom em sua casa.

Outro raciocínio importante Paulo introduz em Romanos 6:19-20, o de que podemos ser servos do pecado para agradar ao Diabo, ou servos da justiça para nos santificarmos e assim glorificarmos ao Senhor em toda nossa maneira de viver. Ao contrário do escravo dos tempos antigos, a maioria de nós escolhe a quem servir.

William Barclay aborda o termo com as seguintes palavrasO título favorito de Paulo para Jesus é Senhor (kurios, lê-se kyriós). Este termo em grego se refere a quem tem a posse indiscutida de uma pessoa ou coisa; significa dono ou proprietário, no sentido mais próprio e absoluto. O oposto do termo Senhor é escravo (doulos). Paulo se considera a si mesmo como escravo de Jesus Cristo, seu Dono e Senhor. Jesus o tinha amado e se deu a si mesmo por ele, portanto tem a segurança de já não pertencer-se mais a si mesmo, mas inteiramente a ele. Sob este aspecto o termo descreve a absoluta obrigação de amor.

Mas o termo escravo (doulos) tem outro aspecto. No Antigo Testamento é a palavra comum para referir-se aos grandes homens de Deus. Moisés foi servo, escravo, doulos do Senhor (Josué 1:2). O mesmo Josué foi doulos de Deus (Josué 24:9). O título mais arrogante dos profetas, aquele que os distingue de outros homens, é o ser servos e escravos de Deus (Amós 3:7, Jeremias 7:25). Quando Paulo se chama a si mesmo escravo de Jesus Cristo está nada menos que se situando na sucessão dos profetas. A grandeza e a glória destes residia no fato de ser escravos de Deus, e assim também para Paulo. Assim, pois, a expressão escravo de Jesus Cristo descreve ao mesmo tempo a obrigação de um grande amor e a honra de um grande ofício.

Deus continue abençoando sua vida como servo/a de Deus!

Bibliografia

Concordância Fiel do Novo Testamento, Editora Fiel

Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento, Edições Vida Nova

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

  1. Paulo Chaves disse:

    Quero agradecer o artigo, pra mim que esta comecando agora, esta sendo muito importante.