Browse By

Sete notas sobre a queda de Dilma e suas lições para a Igreja

3 thoughts on “Sete notas sobre a queda de Dilma e suas lições para a Igreja”

  1. Mario Sérgio says:

    Toda nossa política tem sido um show de hipocrisia. Infelizmente, agora vão varrer pra debaixo do tapete as indignações e acusações. O novo governo é mais do mesmo. Nem as moscas mudaram. Não se ataca o sistema, mas se “fulaniza” a corrupção. Isso é muito bom pra quem vai assumir.

    Mas tudo que está postado amigo é correto, justo e sensato. Principalmente para nossos líderes.

    Abraço!

  2. Carlos Antônio da silva says:

    Muito bom o seu comentário, é isso mesmo!

  3. Miqueas Cipriano says:

    Graça e paz queridos!
    A minha maior angustia foi ler essa postagem e de forma inconsciente ser visitado por memórias de fatos ocorridos em nossa Igreja, fatos esses, combatidos e remediados com paliativos, método Placebo. Acredito que a qualquer momento Arão vai ser pego de surpresa com a noticia de uma tragédia familiar e Moisés nada poderá fazer, apenas lamentar. Alguns entre nós se preparam para os possíveis ataques que advêm dos inimigos da Igreja, sendo que, estamos sendo atacados dentro do próprio arraial e por nós mesmos. Tudo isso por que estamos inseridos na corrupção denunciada pelo profeta Miqueias no Capitulo 7, e aqui não se trata de delação premiada, mas, de revelação divina. De sobremesa, nós que fazemos parte do Corpo, somos ridicularizados por outros irmãos que também fazem parte do Corpo, mas julgam serem de outra Cabeça, já que pertencem a outo ministério. Minha fala não abrange outros seleiros, minha critica trata-se apenas do meu universo Assebleiano (Abreu e Lima vs Recife). Vou pegar emprestado um termo escatológico para afirmar: VEM AÍ O DIA DA VINGANÇA DO NOSSO DEUS! Um Deus que é superior ao Juiz Sérgio Moro, e que não tem nenhuma estancia acima Dele para que Ele preste esclarecimentos, exceto a sua Santidade. É lamentável constatar que muitos Cunhas de caras lavadas negociam e articulam seus poderios entre os devedores de éticas moral, num termo de origem chula “rabos presos.” A minha pequena memória me estremece ao enxergar que impérios aparentemente bem alicerçados ruíram a exemplo de Roma, o mesmo pode na minha ótica até demorar mas há de acontecer com muitos que já se sentem dono da Igreja. Não concordo que o impeachment de Dilma traga uma, duas ou sete lições para a Igreja, mas sim, um aviso de que não ficará pedra sobre pedra, com um azorrague muitos serão expulsos de seus templos. No Reino de Deus não tem e nunca haverá um Japonês com um mandato obrigando um líder coercitivamente a depôr, também não esperem uma delação premiada pois o Espírito Santo só aceita o ARREPENDIMENTO das entranhas da alma. Que Deus tenha piedade de nós! Desculpem, pois, acho que escrevi demais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: