Subsídio para 8ª lição da EBD – Não matarás – 22/02/2015

Lê-se lô tirtsachá


Neste subsídio analisamos o 8º mandamento. Este oferece uma dificuldade de compreensão para quem não conhece a língua hebraica. Conta-nos Betty Bacon[1] que Allan Kadeck critica este mandamento porque enquanto Deus disse: Não matarás, logo adiante manda matar. Há alguns verbos para matar em hebraico. Um é harag:


Que significa assassinar. Aquele ato cruel e covarde praticado contra alguém indefeso e fora de uma guerra. É o caso de Gênesis 4:8, quando Caim matou seu irmão Abel. Em seguida, temos tabach:

Que tem a ideia de trucidar, matar, massacrar. Um exemplo de seu uso é a entrada de Nabucodonozor em Jerusalém, trucidando seus moradores (Jeremias 25:34). Temos também naká, que é a palavra utilizada para a ação do anjo que matou 185.000 assírios do exército de Senaqueribe: 

Naká significa ferir, golpear, bater, atingir, abater, matar. Temos ainda a palavra qatal:

Katal significa simplesmente matar. Seus usos estão em Jó 24:14; 13:15 e Salmos 139:19. Seu uso se refere sempre ao assassinato violento. Temos também shachat, que na maioria de suas ocorrências se refere à morte de animais, sendo traduzido por imolar.


Ratsach é um verbo exclusivo do hebraico. Conforme o DITVT[2] refere-se sempre a assassinar. Há diversas ocorrências em Números com a conotação de homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Neste caso o culpado deveria fugir para as cidades de refúgio, nas quais estaria sob a guarda do sacerdote. Somente em Provérbios 22:13, ocorre em referência à morte de um homem por um animal.

Devemos compreender que as mortes decorrentes da invasão na Terra Prometida eram a execução da sentença divina sobre os povos daquela região.

Explicação de Norman Geisler

PROBLEMA: Nos Dez Mandamentos, Deus proíbe matar, ao dizer: “Não matarás”. Entretanto, em Êxodo 21:12 Ele ordenou que aquele que ferisse um outro homem, e este morresse, deveria também ser morto. Isto não é uma contradição, Deus ordenar que não matemos, e depois ordenar que matemos?

SOLUÇÃO: Uma grande confusão tem surgido por causa da incorreta tradução do sexto mandamento, que assim dá a entender o que de fato não foi comandado por Deus. A palavra hebraica usada na proibição deste mandamento não é a palavra usual para “matar” (harag). A palavra usada é o termo específico para “assassinar” (ratsach).

Uma tradução mais adequada deste mandamento seria: “Não assassinarás”. Ora, Êxodo 21:12 não é um mandamento para que se assassine alguém, mas é um mandamento para se aplicar a pena capital no caso desse crime capital. Não há contradição alguma entre o mandamento que diz que as pessoas não devem cometer o crime do assassinato e o mandamento que diz que as autoridades estabelecidas devem executar a pena capital no caso desse tipo de crime.

Fonte: MANUAL POPULAR de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia – 
Norman Geisler – Thomas Howe.

[1] Estudos na Bíblia Hebraica, Bacon, Betty, Edições Vida Nova
[2] Dicionário Internacional de Teologia do Velho Testamento, Harris, Laird, Edições Vida Nova

Sobre o autor | Website

Insira seu e-mail aqui e receba as atualizações do blog assim que lançadas!

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!