Sem categoria Daladier Lima

Esmiuçando uma entrevista de um mestre…

O PointRhema, famoso blog, do meu amigo Pr. Carlos Roberto, publicou uma entrevista do Pr. Antonio Gilberto. Entre os temas, um dos prediletos do blog: Ministério Feminino. Vou com ele em vermelho e eu em azul.

Seara News – Um assunto polêmico, cujo debate já dura por décadas, é o ministério pastoral feminino. Hoje algumas Assembleias de Deus já reconhecem a ordenação de mulheres. Existe respaldo bíblico-doutrinário para isso?


Para os que conhecem pouco a história assembleiana, e aqui está o busílis, como diz o Reinaldo Azevedo, até 1930 as mulheres participavam das EBOs e tudo o mais. Há um coitado que criticou uma postagem anterior minha, aonde profetizei que muito breve as mulheres adentrariam tais reuniões. Ele restringiu o problema à minha Convenção, dizendo que em tal lugar sim, em tal lugar não, mas, de fato, elas vão readentrar (nem existe este verbo), pois já entraram várias vezes na história. Depois que Frida pregou em presídios e praças, quando ninguém ousaria fazer isto, idos de mil novecentos e pouco…

Pr. Antônio Gilberto – Não, não e outra vez não! Não existe! Ordenação… Mulheres no Santo Ministério, tanto venham. Inclusive muitas vezes elas fazem o trabalho melhor do que os homens. Mas ordenar para o Santo Ministério, não tem base nas Escrituras. 

Como se diz aqui: Cuma!? Vamos detalhar a frase. Se fazem o trabalho é porque lhe damos. São os homens que possuem as prerrogativas para determinar quem vai fazer o quê. Como assim muitas vezes fazem melhor que os homens? Então, há casos de legítima atuação feminina. Vejam a partícula adversativa… A Bíblia proíbe a ordenação, nas palavras do nobre pastor, MAS se lhes permite fazer exatamente o que é prerrogativa da… ordenação. É muito pra minha cachola! Vou tomar um diazepan!

E como é que isso está acontecendo? É a igreja a culpada e a igreja vai prestar conta disso. A igreja que eu digo não é a igreja o prédio, os responsáveis vão prestar conta disso. Jesus nunca ordenou mulheres. O apóstolo Paulo que é um paradigma, não separou, nunca ordenou mulheres.

Vejam que pérola. A Igreja que será culpada por ordenar, não será culpada por enviar missionárias, por exemplo, à revelia da mesma Palavra que ele evoca? Desde o início tenho dito: ou cumprimos o que está escrito ou paramos com essa conversa. Jesus nunca enviou missionárias, Paulo, idem, mas, convenientemente a Igreja o faz.

Agora, mulheres trabalharem no Santo Ministério, tanto venham. Cantoras, professoras de escola dominical e etc. 

Não é um primor? Cantora? Poooode! Professora de criancinhas comportadinhas (do tipo que deixam a professora rouca todo domingo)? Pooode! Dirigente de Círculo de Oração Infantil? Pooode! E de Círculo de Oração de Adultos, para orar, em média, quatro horas por semana? Pooode! E por que pode? Ora, porque os ministros e obreiros, mesmo quando aposentados, não querem desempenhar tais funções, terceirizando, por conveniência, a responsabilidade! Quando o Círculo de Oração foi fundado em Casa Amarela, Recife/PE, certamente as irmãs foram pedir para que o pastor permitisse as reuniões, organizasse administrativamente o orgão, etc. Por que ele não disse: Olha, irmãs, não posso permitir tal reunião a menos que um presbítero de minha confiança a dirija? Tanto venham…!

Mas irmão Gilberto, e diaconisa? Lá no livro de Romanos o apóstolo Paulo disse que aquela irmã era diaconisa na igreja de Cencréia. Onde está isso no original? Não existe! Sim, mas o comentário que eu li diz que era diaconisa. 

Conversa! No grego está na forma masculina, ou seja, Paulo deixou aquela mulher ali provisoriamente, ou então o trabalho era novinho e não tinha homem nenhum para exercer o diaconato, ele disse vem cá “fulana” (Febe), faz o trabalho aqui, a obra de Deus não pode parar por causa de problema humano. Está no masculino.

Essa ligeireza, com todo respeito, é característica. Viram como ele arruma a solução, rápido, rápido? Certamente lá em Cencréia aconteceu como em muitos lugares. Mandam uma mulher cavar o poço, depois o homem distribui a água. Fui sutil? Como assim, a obra não pode parar por problema humano? É essa a abordagem que o nobre pastor usa para não se furtar a dar sua contribuição ao lado de Marlene LeFever, num Congresso de EBD? Ele estava lá, por que não usou toda ortodoxia para não pregar ao lado de uma mulher? Por que ele não rejeita os convites da Igreja americana que ORDENA mulheres?

Uma vez um pastor presidente de uma grande e renomada convenção, nós estávamos juntos em Goiânia ministrando, e ele no hotel conversando comigo, disse: “estou agora na presidência, vou incentivar, irmão Gilberto, o diaconato das mulheres que está praticamente parado. O que o irmão diz?”

– Eu prefiro primeiro que o senhor que é o chefe, me dê alguma coisa.

Ele disse: “eu me baseio lá em Rm 16, Febe, aquela irmã que era um tesouro na igreja de Cencréia (inclusive quando os irmãos forem a Grécia visitem as ruínas de Cencréia. Eu fui lá visitar, só tem ruínas, e eu fiquei pensando onde é que ficaria aqui a casa dela, porque tudo indica que era uma mulher de muito dinheiro. Paulo disse: “ela me hospedou muitas vezes, e hospedou a muitos”), que era diaconisa, a Bíblia em português diz: que serve ao Senhor na igreja de Cencréia, outra versão que eu tenho diz que ela servia como diaconisa”. Eu me calei, e ele disse: “uma segunda passagem, irmão Gilberto, que eu tenho em mente é lá em Timóteo quando a Bíblia diz: e as mulheres…”

Leiamos a posição oficial da Assembléia de Deus americana (aquela mesma que é a queridinha dos estudiosos brasileiros), sobre quem era Febe: 

Phoebe, a leader in the church at Cenchrea, was highly commended to the church at Rome by Paul (Romans 16:1,2). Unfortunately, translation biases have often obscured Phoebe’s position of leadership, calling her a “servant” (NIV, NASB, ESV). Yet Phoebe was diakonos of the church at Cenchrea. Paul regularly used this term for a minister or leader of a congregation and applied it specifically to Jesus Christ, Tychicus, Epaphras, Timothy, and to his own ministry. Depending on the context,  diakonos  is usually translated “deacon” or “minister.” Though some translators have chosen the word deaconess (e.g., RSV, because Phoebe was female), the Greek diakonos is a masculine noun. Therefore, it seems likely that  diakonos  was the designation for an official leadership position in the Early Church and the proper translation for Phoebe’s role is “deacon” (TNIV, NLT, NRSV) or “minister.” Moreover, a number of translations reflect similar biases by referring to Phoebe as having  been a “great help” (NIV) or “helper” (NASB) of many, including Paul himself (Romans 16:2). The Greek term here is prostatis, better translated by the NRSV as “benefactor” with its overtones of equality and leadership.


Eu disse: Pastor, a passagem de Romanos no original está no masculino, pode pegar qualquer manuscrito bíblico. Ou seja, ou o trabalho era novinho e não tinha homens habilitados, e o apóstolo Paulo um homem cheio do Espírito Santo, a obra de Deus não ia parar por causa de problema humano. Vem cá, Febe, exerce aqui enquanto não se prepara um homem, ou então não sei a razão, a Bíblia não explica, mas está no masculino.

“E lá em Timóteo?”

Pode pegar o termo original que a oração no grego pára, e quando diz as mulheres, são as esposas dos obreiros. Ele parou, e parou até hoje.

Esse pessoal é assim, usa o grego CONFORME a necessidade. Por que não mencionou sinergos, para cooperadores, Áquila e Priscila, em Rm 16:2? Por que ele não falou sobre kopiaô, no mesmo capítulo 16 de Romanos? É o verbo que Paulo usa para o trabalho de Maria (v. 6), Trifena, Trifosa (v. 12)? E não se refere ao trabalho doméstico? Ali mesmo em 16:7 ele cita o caso de Júnias, uma apóstola, mas o termo TAMBÉM está no masculino!? Aliás, sobre Júnias o comum naqueles que condenam o ministério feminino é dizer que é uma variante de nome masculino. Leiamos o que diz o mesmo documento da AD americana:

Junia was identified by Paul as an apostle (Romans 16:7). Beginning in the thirteenth century, a number of scholars and translators masculinized her name to Junias, apparently unwilling to admit that there was a female apostle. However, the name Junia is found more than 250 times in Rome alone, while the masculine form Junias is unknown in any Greco-Roman source. Paul clearly was a strong advocate of women in ministry.

Voltando a pergunta, o que o irmão diz disso? É anti-bíblico. E o que fazer? 

Quem estiver fazendo vai prestar conta a Deus. Mas infelizmente não é só ordenação de mulheres, é muita coisa que a igreja decide por ela. Eu podia fazer menção aqui, não vou, não há necessidade. Para ninguém pensar que é só esse fato: São várias coisas que a igreja faz sem ter… Por exemplo, há igrejas que só separam (consagram) obreiros para o diaconato se forem casados, não estou criticando a igreja local, há igreja que só separa (consagra) casados, porque o escândalo está sendo grande de obreiros solteiros. Enfim, a igreja que tomou a decisão, não é a Bíblia.

É verdade, são muitas coisas. Por exemplo, permitir que uma certa Bíblia seja publicada, endossando uma versão totalmente desviada da Palavra de Deus. Cito a Dake, que o nobre pastor como consultor teológico  da CPAD defendeu com unhas e dentes. Procurem na web algo a respeito. Nunca vi o nobre falando sobre o empoderamento pastoral assembleiano, sobre o enriquecimento de alguns líderes, sobre a apatia evangelizadora da CGADB e tantas outras coisas…

Batismo em águas: tem igreja que a pessoa se entregou pra Jesus, foi perdoada ali mesmo, foi convertida, batiza na água. Tem igreja que diz: “Não, aqui pra ser batizado tem que fazer um cursinho”. Lá na minha igreja, por exemplo, tem um cursinho de três meses, onde está isso na Bíblia? Lugar nenhum. É a igreja que decide!

Realização de matrimônio, esse caso é mais um, só que este é grave.

Então, em resumo, não tem base na Escritura, nem no Antigo, nem no Novo Testamento. Deus quer a mulher no ministério, quanto mais, melhor, para muita tarefa. Mas ordenação para cuidar do rebanho Deus reservou para o homem. De modo que esse negócio está dando problema. E os que estão na Assembleia de Deus? Vão prestar conta a Deus! Vamos brigar com eles? Deixa pra lá, vão prestar conta a Deus! Esse é que é o problema, a Bíblia diz cada um de nós. Eu vou dar conta e os irmãos vão dar conta também. Se o Tribunal de Cristo fosse coletivo…, mas a Bíblia diz cada um. Então nós temos que pensar nisso.

Engraçado, não vejo os problemas apontados pelo nobre pastor. Leio e ouço sobre o problema de mulheres não ordenadas mandarem em seus maridos, inclusive, com a ordenação de obreiros. Isso no Brasil todo, pois tenho muitos contatos País afora. Ouço falar de sangrias dos cofres promovidas por irmãs insuspeitas, que mal falam ao microfone, quanto mais almejar o ministério. Ouço falar da imposição de festas de aniversário e presentes caros. De compras de imóveis e carros para satisfazer a certas madames. Sem falar nos pecados… Com todo respeito, é como se diz por aqui: é muita falta do que fazer! Queria eu que todos os problemas da AD brasileira fosse a ordenação ministerial feminina. Queria eu…!

Documento da AD americana, aqui.
A entrevista com o Pr. Antonio Gilberto está aqui.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

30 Comentários

  1. Anonymous disse:

    Vc tem muita coragem hein? Escrever um post desse refutando o pr. Antonio Gilberto.
    Não queira estar no seu lugar.
    Sua orelha não está doendo? rs

    Carlos Batista Malcher.

  2. kenia disse:

    Respeito o Pr Antonio Gilberto, mas me senti muito triste ao ler a entrevista que ele deu.
    Sua resposta ao artigo (a entrevista do Pr) foi muito elucidante e propícia!! Graças a Deus que existem homens que não se sentem intimidados pelas mulheres porque entendem que quem lidera a todos é o mestre Jesus Cristo.
    Deus lhe abençoe.

  3. Daladier Lima disse:

    Prezado Carlos, não é exatamente coragem. Alguém tem que contradizer quando qualquer um faz uma colocação infeliz. Não somos infalíveis. Quanto às críticas, ora, me criticam até quando não critico.

    Abraços!

  4. Daladier Lima disse:

    Prezada Kenia, que possamos juntos, homens e mulheres glorificar a Deus com nosso trabalho. Não se trata de feminismo. Afinal elas já estão há tanto tempo na lida…

    Abraços!

  5. Anonymous disse:

    Daladier,

    Você foi preciso: “É verdade, são muitas coisas. Por exemplo, permitir que uma certa Bíblia seja publicada, endossando uma versão totalmente desviada da Palavra de Deus. Cito a Dake, que o nobre pastor como consultor teológico da CPAD defendeu com unhas e dentes. Procurem na web algo a respeito. Nunca vi o nobre falando sobre o empoderamento pastoral assembleiano, sobre o enriquecimento de alguns líderes, sobre a apatia evangelizadora da CGADB e tantas outras coisas…”

    No dia em que o pastor Jose Wellington e outros da mesma linha começarem a consagrar mulheres, pode ter certeza que o consultor fica quietinho…

    Não se engane, é tudo conveniência.

    Pb. Milton

  6. Daladier Lima disse:

    Oh! Pb. Milton, não duvide.

  7. Irmão Daladier,

    Eu também o parabenizo pela coragem e pela clareza na refutação. Respeito o Pr. Antonio Gilberto, um grande mestre da nossa AD. Mas concordo com sua posição sobre a ordenação feminina, pois a base usada pelo entrevistado não foi muito convincente. Faltou também na entrevista uma crítica a situação interna da nossa própria denominação que vem se apropriando de muitas idéias do neopentecostalimo, sem falar na questão terrível que é hoje a briga pelo poder eclesiástico.

    Um abração.

  8. Anonymous disse:

    Daladier

    Uma ressalva: o consultor concordará com esse grupo se for esse que estiver no poder.

    Se o pastor Samuel Cmara, que defende o ministério feminino ganhar em abril, você vai ver como a opinião mudará rapidamente.

    Pb. Milton

  9. Anonymous disse:

    Saudações em Cristo!, quero respeitosamente discordar de vc, não estamos falando da Assembléia de Deus mas da bíblia sagrada.
    Não quero de forma alguma dizer que o homem é melhor que a mulher, mas são papéis diferentes. Assisti um vídeo do Rev. Augustus nicodemus sobre ordenação feminina e ele explicou muito bem isso, ou seja, sem a mulher não dá pra fazer a obra de Deus.
    Mas a liderança da igreja Deus entregou nas mãos do homem, assim como gerar filhos Deus entregou para a mulher, mas isso não os torna melhores ou piores, são apenas papéis diferentes.
    E não encontramos em nenhum lugar da bíblia aopio para ordenação de mulheres, nem Jesus e nenhum de seus apóstolos jamais consagraram nenhuma mulher ao ministério, embora elas sempre estiveram presentes no ministério de ambos.

    Abraços no amor de Cristo – Pb. João Eduardo Silva – AD Min. Belém – SP.

  10. Daladier Lima disse:

    Prezado Juber, muito obrigado por suas colocações. Temos, neste caso, a chamada ortodoxia seletiva. Escolhe os alvos por conveniência. Como virou praxe na maioria dos apologetas.

    Abraços!

  11. Daladier Lima disse:

    Prezado Pb. João Eduardo Silva, eu tendo a concordar com sua premissa. A questão que me intriga desde há muito é: elas podem dirigir um Círculo de Oração com 300 componentes, MAS não podem tomar conta de uma pequena congregação com 50 membros!!?

    O que dizer, por exemplo, das missionárias que, em campo, exercem, absolutamente todas as prerrogativas ministeriais?

    Para explicar tudo isso, o nobre pastor usou a conveniência. Depois que umas mulheres reivindicam o status inerente ao cargo que JÁ desempenham…

    Ou cumprimos a Bíblia, como o senhor afirma, ou deixamos de dissimulação. É aqui aonde está o problema.

    Abraços!

  12. Daladier Lima disse:

    Outra coisa, o Augustus Nicodemos não explica porque sua igreja envia missionárias, indagado tergiversou. Como sói acontecer…

  13. Anonymous disse:

    Saudações em Cristo!, realmente nunca procurei saber porque a igreja presbiteriana envia missionárias. O correto na minha opinião é o envio de um casal missionário, também entendo que dirigir um círculo de oração é diferente de liderar uma igreja, já que a dirigente está submissa ao Pastor da igreja.
    A questão é que não há base bíblica nenhuma para ordenação de mulher ao ministério, os que defendem tal atitude já chegaram ao cúmulo de dizer que Raquel a filha de labão era uma pastora, que absurdo.

    Abraços noa mor de Cristo – Pb. João Eduardo Silva – AD. min. Belém – SP.

  14. Daladier Lima disse:

    Prezado Pb João Eduardo, a Presbiteriana envia missionárias por pura conveniência, como o fazem todas as demais. E aqui é onde está a questão: quando convém mandam a Bíblia às favas. Também concordo que Raquel não tem nada a ver com o assunto…

    Abraços!

  15. Penso que a experiência empírica descreve exatamente um fato: há mulheres vocacionadas para o ministério pastoral. Chamada por Deus mesmo! Aqui, no Rio de Janeiro, conheço duas pastoras, dentre várias, que vendo a liderança delas é impossível não reconhecer a excelência desses ministérios (Pastora [ou com p minúsculo?] Antonieta Rosa e a Pastora Denise da Igreja Batista Central em Nova Pavuna [predominantemente eleita pela Igreja]). Muitos podem perguntar: Deus vocaciona mulheres? Vá saber o por quê de, no meio de grandes homens, Deus levantar no Juízes uma mulher chamada Débora. Ali, creio que é uma pista para reconhecermos o que Deus, em muitos lugares, já reconheceu.

    M.O.O.
    Rio de Janeiro, RJ.

  16. Ah, ia me esquecendo. A pastora Antonieta Rosa, já pastoreando uma grande igreja, ficou por um longo tempo como missionária. De fato, ela era a pastora. Celebrava Ceia, doutrinava a igreja, (como a irmã Frida Vingren) etc. Mas continuava como missionária. Não tem dois anos que ela foi oficializada por sua igreja, pastora.

    M.O.O.
    Rio de Janeiro, RJ.

  17. Meu caro Daladier:

    Já discutimos esse tema à exaustão. Lembra-se?

    Na oportunidade, afirmei que não há pressupostos bíblicos contra ou a favor da ordenação feminina. Há boas hipóteses favoráveis, se levarmos em conta alguns textos bíblicos. Mas não vem, agora, ao caso.

    Apenas quero divergir das alegações feitas pelo nosso Mestre, pr. Antonio Gilberto, quando, para repelir a ordenação feminina, conjectura que provavelmente não houvesse um homem para ocupar a função de diácono em Cencreia, ou que a igreja fosse nova e necessitasse “provisoriamente” de ter uma mulher, Febe, ocupando a função, já que o termo no grego está no masculino.

    Como afirmei acima, repito: trata-se de conjectura. Nada Mais. Nem pressuposição é.

    Ora, é presumível acreditar que a igreja em Cencreia tenha sido fundada por Paulo durante a sua segunda viagem missionária, entre os anos 51-52 dC (Compare Atos 18.18). Por outro lado, a carta aos Romanos teria sido escrita entre 57-58 dC. Portanto, seis a sete anos depois de a igreja ter sido fundada.

    Ora, será que durante todo esse tempo não teria havido um homem para ocupar o lugar de Febe? Ou eles apareceram, mas mantiveram a experiente mulher simplesmente para honrá-la? Conjectura por conjectura, esta é mais consistente.

    Portanto, não é melhor aceitar o que o texto diz do que basear convicções em conjecturas inconsistentes?

    Abraços!

  18. Daladier Lima disse:

    Prezado Pr. Geremias do Couto, muito bem lembradas suas informações. É uma ilação grosseira duvidar da capacidade de Febe. Nada novo, não é?

    Abraços!

  19. Daladier Lima disse:

    Prezado Marcelo Oliveira, há, de fato, inúmeras mulheres no Brasil que fazem ou fizeram um trabalho ministerial excelente. Minha mãe é uma delas. Não vou detalhar para não parecer exagerado. A história de Frida, por exemplo, está por ser contada. Na eternidade muitos como o Pr. Antonio Gilberto ficarão ruborizados quando o trabalho delas for revelado em plenitude.

    Abraços!

  20. Ir. Marcos Evandro disse:

    Paz do Senhor,

    Nobre Ev. Daladir, muitos comentários sobre como o senhor é corajoso, por comentar isso do Pr. Gilberto e tal, parabéns, gostaria de lhe aplaudir o seu vasto conhecimento e posicionamento sobre o ministério feminino, aplausos. Não é isso que o senhor quer, fique com o o seu EGO nas nuvens.
    Mais saiba de uma coisa, no minimo quando discordamos de um Pastor e é no minimo um cargo eclesiastico mais elevado que o seu, um homem mais velho que o senhor e por ser obreiro da mesma denominação, pergunto. É bom mostrar essa discordancia? é saudavel a sua convenção expor um mestre? Por favor não falo em colocar de baixo do tapete, mais faça como o senhor esta acostumado, falo do ministério, mais não criticando e sendo tão sarcastico desse jeito.
    E quanto esses que o elogiam e aplaudem, por favor cresçam na fé.

    Paz do Senhor.

  21. Daladier Lima disse:

    Prezado Irmão Evandro, não estamos discutindo cãs (cabelos brancos) estão discutindo ideias. Discordo de pessoas mais velhas ou mais novas o tempo todo. E elas são livres pra discordar de mim. Ou o senhor, por não ser ministro (provavelmente) não poderia fazê-lo aqui? Não questionei o ministério, a chamada, o cabedal do Pr. Gilberto, mas seu posicionamento quanto ao assunto em pauta. Ano passado, aqui na EBO veio um pastor que discorda de obreiro vestindo jeans! O senhor deve concordar como ele?

    Se o senhor não se sente bem procure um blog que fale de nuvens e anjos tocando em harpas, músicas natalinas.

    Abraços, na paz do Senhor! E leia o título e a proposta do Blog.

  22. Ir. Marcos Evandro disse:

    Paz do Senhor,
    Eu procuro sem pesar minhas palavras e minha atitudes, entendo seu posicionamento sobre o ministério feminino, mais o que não entendo é que com tantos assuntos importantes para ser debater, por fazer crítica a um pastor da mesma denominação, o senhor já não esta satisfeito em ser crente, em sentir a salvação, ao menos acho que devas sentir.
    Entendo o que o blog propõem, ideias criticas, de muita elevação cultural, filosófica etc, começando pela sua postagem sobre os cantores da IEAD-PE, é realmente estou errado, mais desde já gostaria de confirmar o que o Ministro perguntou, é não sou ministro, não aceitei Jesus pra isso, mais pra ser salvo, sou marido e pai, tem um certo grau de instrução, pouco mais tenho, mais o suficiente, para não levantar certos conteúdos que o senhor propõem no seu blog, e espero grandemente em ver o senhor postando algo que preste, ou pelo menos melhor que isso, pois já o fez no passado.
    Eu não entendo meu irmão, como o senhor esta tão preocupado em ser tão didático em assuntos tão polêmicos, deve ser por que assuntos direcionados a Bíblia, doutrina, bons costumes, não chamam atenção.
    Não procuro acessar blog’s de anjos e tal, mais me entristeço em ver blog’s de ministros de uma convenção irmã nessa situação.
    Prefiro ficar sendo vaiado por ser radical, que aplaudido perdendo o temor nas pequenas coisas.
    A quanto calça jeans eu uso, mais se meu pastor disser que ta errado e me corrigir eu aceito e não uso mais, porque ele vela por minha alma a qual ele dará conta.

    Paz do Senhor.

  23. Daladier Lima disse:

    É meu irmão Evandro, e eu que pensava que havíamos superado a fase da robotização eclesiástica…

    O blog sempre levanta questões pertinentes, a pauta é das mais variadas da blogosfera evangélica.

    Todos são passíveis de crítica e reflexão. Este é o combustível do blog.

    Abraços, da paz do Senhor!

  24. Daladier Lima disse:

    Prezado irmão Marcos Evandro, o senhor voltou a me atacar pessoalmente. Não poderei publicar seu comentário.

    Quanto às igrejas nas quais auxilio, fique tranquilo. Hoje, querendo Deus, falaremos sobre consumismo, por exemplo. Aliás, tenho ensinado os mais variados assuntos. Claro, claro, há sempre aqueles que nunca aprendem. Ainda bem que eu não sou o Espírito Santo.

    Abreu e Lima não está precisando de homem nenhum, de canto nenhum. Estamos precisando de gente que ore, jejue, louve e adore em espírito e em verdade. Isso nos basta. O mais é conversa pra boi dormir.

    Abraços!

    Fica na paz!

  25. Cleber Rogério
    Querido Ev Daladier é notório sua habilidade para discorrer sobre diversos assuntos do mundo cristão , entretando chegar ao ponto de refutar as ideias de um dos maiores ensinadores da Ad Brasileira, é um tanto pelutante não acha?
    O que dizer do que o maior expoente da cristantade escreveu em 1 Ts 5.12-14:E rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam;

    E que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós.

    Rogamo-vos, também, irmãos, que admoesteis os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos, e sejais pacientes para com todos

    Agora que Com essas suas postagens perfidas recheadas de insubmissão cumpri-se o que apostolo paulo disse em Atos 20.28-31:Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.

    Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho;

    E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.

    Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.

  26. Daladier Lima disse:

    Prezado Cleber Rogério,

    Suas palavras soam parecidas com as de outros comentários. Fui no seu perfil, mas não tem nada sobre você, deixa pra lá. Você falou que é um pouco pelutante (não encontrei o que significa a palavra, mas pelo contexto…) contradizer um Mestre. Era assim que se procedia ao longo da história da Igreja. As teses de Lutero (quanta modéstia!) obedeceram ao ritual. Hoje temos a oportunidade de contradizer ensinamentos errôneos num blog.

    Tenho em grande estima o Pr. Gilberto, a quem conheci pessoalmente, e sempre me referi a ele como nobre, porém, isto não impede o livre exame das Escrituras, lembras? A cláusula pétrea da Reforma? Não sou um desordeiro quando faço isto. Estou cansado de paradigmas sustentados na cosmovisão particular de alguém. O que é submissão para você a mim parece meninice espiritual. Desde quando Pr. Gilberto ou qualquer outro do Brasil é infalível e intocável em suas ideias e pontos de vista? O próprio Paulo fez isto com Pedro, quando repreensível entre os apóstolos (Galátas 2:11).

    Esse seu ataque é de uma turma que eu conheço: cita muitos versículos e não aprendem nada! Aliás, ele já foi repreendido por gente do quilate de Stanley Horton, que subscreveu o documento da AD, cujo link se encontra em meus posts no assunto.

    Para sua informação, se é que você gosta de ler a Bíblia, procure as recomendações paulinas no assunto e veja se sua igreja está cumprindo o que ele falou. Comprovando o contrário, no próximo sábado, insista com seu pastor para dirigir o Círculo de Oração Infantil. Um trabalho que relegaram às mulheres porque homens, como você, não quiseram fazer. No embalo assuma a classe das crianças no domingo. Aproveite e peça a seu pastor para retirar as mulheres de todos os postos que ocupam nas igrejas: maestrinas, dirigentes, professoras, diretoras. Absolutamente, todos! Pra quê Congresso de Mulheres? Para que elas ensinem algo? Terminantemente, não!

    Gente farisaica como você só deve descansar quando a pedra de ensinamentos, à qual só encostam o dedo, estiver bem fornida.

    E pare de usar a Bíblia de modo particular e indouto.

    Abraços!

    Na paz do Senhor!

  27. Anonymous disse:

    josé anderson,

    senhor daladier,

    eu gostaria de dizer, que a mulher foi chamada por Deus e criada para isto:auxiliar o homem.no livro do gênesis é claro esta verdade(gn2.18).estar à frente do homem em questões de autoridade ,é completamente erroneo,senão Deus havia criado e feito a mulher primeiro.uma coisa é auxiliar ,outra é estar À frente.A igreja é comparada a um casamento ,assim ,quando Paulo escreve aos efésios ,nos capítulo 6.22-24 ,ele deixa visivel ,acerca da autoridade a quem Deus concedeu.não a mulher e sim ao homem.isto não é machismo,não senhor.são principios que se o mundo e a igreja atual vivenciasse seriam ambos abençoados divinamente.A mulher pode sim liderar mas não como uma autoridade eclesiástica.elas pregam o evangelho, trabalham com crianças, mas ,estar à frente como “obreiras”? isto está reprovado pela palavra.

    cordialmente.

  28. Daladier Lima disse:

    Prezado José Anderson,

    Não há nada novo em seu argumento. Em essência nega à mulher o que é bíblico APENAS quando não convém ao homem. Entendes a questão?

    Um diácono, presbítero, evangelista, pastor não quer dirigir um Círculo de Oração, cujos períodos de joelhos somam três ou quatro horas? Ponham uma mulher no lugar. Os homens não querem ser enviados como missionários? Enviam uma mulher.

    Se a mulher não pode ser obreira, como defendes, pra quê enviá-las aos seminários? Pra fazer crochê? Receitas de cozinha?

    Seu único exemplo fantástico é sobre as crianças. Na Bíblia, em primeiro lugar cabia aos pais, depois aos sacerdotes, no mundo grego ao aio. Hoje a família não quer ensinar nada a elas, os pastores não querem nem passar perto de uma classe infantil e o aio não existe mais. O que fazer? Joga em cima das irmãs, ora!

    Defendo que os preceitos bíblicos sejam cumpridos em sua totalidade ou paremos de fazer esse joguinho conveniente. O mais é conversa pra boi dormir!

    Abração!

  29. Creio que é muito lindo e amoroso os irmãos quererem colocar mulheres no ministério. DEUS não colocou nas doze tribos de Israel, Moisés não colocou nos setenta, JESUS não colocou nos apóstolos e nem nos setenta enviados (coincidência 12 e depois 70?). JESUS não colocou a missionária Maria Madalena e nem sua própria mãe. (e nem os apóstolos o fizeram depois e nem Paulo). Diaconisa muitas vezes confunde no original, pois é usado até para uma mulher que lavou a roupa do apóstolo. Aliás, o diaconato foi instituído para servir às mesas. Pergunto: Será que alguém gostaria de ter uma pessoas como pastor com tensão pré-menstrual (irritada e nervosa e às vezes até violenta)? Alguém gostaria que sua pastora tivesse seis meses de licença maternidade, recebendo integralmente seu salário como pastora? Alguém aceitaria sua pastora com um marido desviado gastando o dinheiro da igreja com mulheres e bebidas? Pensem bem: DEUS é sábio. Não tem base bíblica, para que discutir o que DEUS não aceita ser discutido? Paz.

  30. Daladier Lima disse:

    O problema, prezado Luiz Henrique, é que as mulheres, de fato, já ocupam postos chave aos montes em nossas igrejas. No livro 100 Mulheres que fizeram a história assembleiana, CPAD, há o relato de diversas mulheres que tomaram conta de congregações, algumas por 30 anos! Então, depois fazer mimimi… não dá. A premissa do blog é: ou tiramos e negamos todos os espaços como está na Bíblia ou paramos de dissimulação e escaramuça!

    Abração!