Devocionais Daladier Lima

Por que o perfume se esvai?

A igreja manifesta o bom perfume de Cristo não apenas quando cresce e influencia a sociedade, mas quando salga e vai ao encontro de quem precisa de ajuda. Que o bom perfume de Cristo se manifeste em nossas atitudes!

Por que o perfume se esvai?

Este espaço virtual tem acompanhado as transformações pelas quais passa a igreja brasileira. Seja no âmbito estritamente eclesiástico, social, econômico, político ou social, modéstia à parte, há pouca coisa que não foi abordada aqui. Não é que sejamos perfeitos, temos apenas buscado ser ecléticos. Infelizmente, alguns leitores não compreendem a proposta e acabam pensando que as reflexões são primeiramente movidas por interesse pessoal. Acontece, é o castigo de escrever. Uns entendem, outros não.

O que é notório é que ao longo destes anos a Igreja assumiu um papel complexo e contraditório. Num momento queremos fazer a diferença, no instante seguinte as demandas progressistas solapam nossos princípios. Há hoje igrejas para todos os gostos. O culto se tornou rarefeito e adaptado aos fregueses do templo. As liturgias caíram em desuso. O tempo da pregação evanesceu. A liderança envelheceu antes da hora. A consciência se cauterizou e já não ouve a voz do Espírito. Há boas exceções? Com certeza, mas não deveriam ser a regra?

Um ponto crítico pontua as mudanças de nosso tempo, aquele que determina a razão de ser de uma igreja. Este organismo que não nasceu para influir a sociedade, para erguer grandes templos, para encher a mídia com uma mensagem. Quem pode imaginar Jesus programando os eventos de acordo com maior ou menor audiência? Alguns dos grandes episódios da trajetória do galileu ocorreram com um público ínfimo!

Mas uma coisa que Jesus nunca abriu mão foi o cuidado com as pessoas. Nosso tempo testemunha o desprezo reiterado com o próximo. Os que ficam pelo caminho são solenemente ignorados. Queremos os desafetos bem longe, quão distante os possamos manter tanto melhor. Não só isso, estendemos nosso desprezo a quem não tem nada a nos oferecer. São tempos em que a Igreja tem fugido à sua missão básica, enquanto se encarrega de ser mais importante e influente. Se nos remetêssemos à parábola do samaritano nem passaríamos naquela estrada, quando mais na outra calçada.

Voltemos a ser simplesmente sal e luz. Um farol para os açoitados pelo mar da vida. O bom perfume que exala o aroma do abraço, do carinho, da compreensão. E que possamos cuidar sem esperar nada em troca. Somente que possam ir adiante e fazer outros discípulos!

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

11 Comentários

  1. Amém! Ouve-se muito, hoje em dia, o “eu o perdoo, mas não quero contato!”. Ainda bem que Cristo nos ensina um caminho diferente.

  2. Roberto Rocha disse:

    Triste realidade esta! Tenho vivenciado e sofrido com isto,na igreja em que eu reúno! Uma igreja divorciada de missões!!! Obra social???!!! nem falar,passam por longe,como na parábola do bom Samaritano!!!!. tudo é um faz de conta!!! E como vc diz no post,aqueles que mostram esta realidade são considerados desafetos e inimigos da obra!! Que coisa!!!! Mas como sempre digo a nossa Assembleia de Deus tem um Dono zeloso, que quando a coisas não ocorrem segundo o seu manual, a Bíblia, Ele age!!!!

  3. Elizeu Araújo de Barros disse:

    Quando a audiência confirma a eficiência do que se está fazendo. Deus nos perdoe desse pensamento!

  4. Gladys disse:

    Eu estava falando, as minhas alunas da EBD, sobre isto! Tem igreja para todos os gostos e já não há a “renúncia”. As pessoas procuram aquela que se adequa a seus padrões. Os cultos mudaram muito, sempre é a mesma coisa, o protocolo a ser seguido à risca! Sempre as mesmas pessoas pregando, depois as mesmas pessoas cantam. E assim o tempo passa, o que nos resta como igreja é orar e pedir a Deus um avivamento.

  5. DAVI JOSE DA SILVA disse:

    o reino de Deus está acima de esta conjuntura gospel atual.

  6. Se me perguntarem quem é a verdadeira igreja hoje, será mais difícil do explicar o Molinismo, rsr acho que uma explicação bem simples porém verdadeira é que ela é todo aquele que encontramos raramente fazendo a Obra de Deus com Amor, sinceridade e Humildade, estamos num tempo em que até Líderes acreditam que no âmbito, Político, Social ele deve ser uma coisa é na religiosa outra, é que se sua religião não repudia tais atitudes que ele acha que na política é a certa, tal pessoa não concorda com essa moral Cristã, por exemplo: “Ser Cristao e apoiar o PT é o Socialismo”, uma contradição que é exclusivo dessa linha de Governo.

  7. Emília Asevedo disse:

    Verdade pastor estamos muito longe do exemplo do bom samaritano, que Deus tenha misericórdia de nós!!!

  8. MARCIO CORREIA disse:

    A paz do Senhor meu pastor! Esse realmente é um tema muito interessante e que evidencia uma séria distorção em grande parte das instituições religiosas. ´De certo há um “bom perfume” que permeia a vida do cristão, porém muitos dos que o dizem ser, em suas ações desfazem essa assertiva e isso é no minimo preocupante demais

  9. Miqueas Cipriano disse:

    Boa reflexão! Penso ser propicio um comentário acerca da igreja brasileira atual. Será que nossa presença como igreja têm influenciado a sociedade como um todo? Ou seja, temos mais de um terço de “cristãos” no Brasil, será que influenciamos ou somos influenciados?

  10. Jose sandro de oliveira Cardoso disse:

    De fato, se faz necessário que o cheiro de cristo nos permeie, somente assim exalaremos o cheiro agradável ao mundo apodrecido pelo pecado.

  11. Tempos difíceis os quais estamos. Tempo onde o coração de tantos cristãos têm se enrijessido. Quantos irmãos já não tem mais uma percepção alheia aguçada. E quantos também são movidos pelas emoções e dão vazão a rancor, ira e outros sentimentos que não provém do Senhor. Se não estamos nesta terra para nos envolvermos e vivermos em um propósito que abrange a pregação do evangelho de Cristo para vidas que estão perdidas, então o que estamos fazendo ? Vivendo uma vida vazia e que não glorifica o nome de Deus. Mas que Jesus tenha misericórdia de nós e a cada dia nos capacite a fazer a real diferença nesta terra.